Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

00:04 05 de March de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:16:55 30/11/2023 |INOVAÇÃO

Ultima atualização: 17:44 30/11/2023

Rossana Fraga

Startups NaPorta e Amitis vencem edição 2023 do BNDES Garagem

rossabndesgaragem

As startups NaPorta e Amitis foram as vencedoras da edição 2023 do programa de aceleração do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES Garagem. A premiação foi anunciada na tarde desta quarta-feira, 26, durante o evento “Impact Day 2023”, na sede do Banco, no Rio. Na ocasião, doze startups finalistas apresentaram suas soluções a potenciais investidores e atores do ecossistema de negócios de impacto.

A paulista NaPorta foi a vencedora no estágio de Tração e recebeu prêmio de R$ 30 mil. A partir da dificuldade de casas nas favelas brasileiras receberem encomendas, a startup oferece uma solução que visa desenvolver, capacitar e empregar moradores de periferias como entregadores, proporcionando dignidade e senso de pertencimento por meio de serviços como entrega no último quilômetro, logística reversa, entre outros. A NaPorta também oferece um CEP Digital para que os moradores tenham acesso a todos os serviços disponíveis nas áreas urbanas, sem custos adicionais.

Já no estágio de Criação, a campeã foi a alagoana Amitis, que recebeu prêmio de R$ 20 mil. A startup criou uma cadeia de produção de alimentos com hortas hidropônicas feitas a partir de materiais sustentáveis, com o objetivo de melhorar problemas relacionados à fome na sociedade. Para isso, a Amitis vende para empresas com responsabilidade social, que financiam as aplicações para comunidades vulneráveis, o que gera impactos como geração de renda, promoção e distribuição de alimentos nutritivos e educação ambiental e alimentar.     

Na abertura do evento, a diretora Socioambiental do BNDES, Tereza Campello, destacou que a agenda do BNDES Garagem representa em nível micro o que o Banco pretende construir. “O que nós estamos colocando como ambição é que a agenda de impacto social e ambiental passe a impregnar o conjunto do negócio do BNDES. Que ela seja uma agenda inovadora, que pense na inclusão como parte do negócio e contemple todo o país”, afirmou.

tcross


Para a co-founder da NaPorta, Katrine Scomparin, participar do programa representou um importante avanço para o negócio. “Foram diversos benefícios com o BNDES Garagem, a começar pela revisão de documentos estratégicos e as agendas de internacionalização e conexão com o setor B2G (vendas para governo)”, explicou.

rosnaporta


Já a CEO da Amitis, Liliane Vicente, falou sobre o quanto o programa ajudou a startup a rever seu modelo de negócio: “No nosso processo de pivotagem, o programa ajudou a gente nos conectando com mentores, o que nos possibilitou enxergar melhor o mercado, entender melhor o nosso cliente, que é algo que antes não conseguíamos fazer bem e, com isso, conseguimos fechar contratos. Saímos de um ano em que vendemos um produto, para três meses em que vendemos mais de dez. Isso, para a gente, é muito significativo”.

rosamitis


Diversidade -
Em parceria com o Consórcio AWL, formado por Artemísia, Wayra e Liga Ventures, a edição deste ano do BNDES Garagem teve como objetivo fomentar o empreendedorismo no Brasil por meio do apoio a startups de impacto que contribuam para a solução de problemas sociais ou ambientais.

Com a participação de 45 startups, a iniciativa buscou estimular a equidade de gênero e a diversidade, atribuindo pontuação extra a negócios liderados por mulheres ou com soluções para o público feminino. Das empresas selecionadas, 80% têm mulheres como líderes, enquanto 64% das lideranças são negras.

“Além de gênero e raça, tivemos mais de 40% das startups selecionadas representando as regiões Norte e Nordeste. Conseguimos retratar mais a sociedade brasileira no programa, o que é um avanço no ambiente de startups, ainda tão concentrado no eixo Rio-São Paulo”, afirmou o head do Consórcio AWL, Felipe Alves.

A primeira edição do programa, realizada entre 2018 e 2019, contou com mais de 5 mil startups inscritas e 79 participantes selecionados. Na segunda edição, lançada em 2021, o foco foi redirecionado para negócios de impacto que contribuam para a resolução de desafios sociais ou ambientais. Nos últimos três anos, foram acelerados 134 negócios.