BNDES - Agência de Notícias

12:06 19 de April de 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

18:17 21/01/2019 |CULTURA |SUDESTE

Roberto da Silva - www.museunacional.ufrj.br

• Banco aprova novas condições para que recursos possam ser aplicados na recuperação do museu

• Aditivo contratual deverá ser assinado nos próximos dias

A Diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou alteração de finalidade no contrato de financiamento para apoio ao Museu Nacional, assinado em junho de 2018. O valor da operação é de R$ 21,7 milhões, em recursos não reembolsáveis, que serão destinados ao “Programa de Reconstrução do Museu Nacional”. Desse total, já foram liberados R$ 3,3 milhões em dezembro de 2018. Com a aprovação, um aditivo contratual deverá ser assinado nos próximos dias.

A medida era necessária uma vez que o incêndio ocorrido em setembro de 2018 destruiu as instalações principais do museu, demandando ações de salvaguarda e rescaldo, além da elaboração de novo projeto para o equipamento cultural. Os recursos do BNDES se somarão a R$ 10 milhões repassados à UFRJ pelo Ministério da Educação para realização de ações emergenciais. O MEC ainda transferiu R$ 5 milhões para a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que ficará responsável pela contratação do projeto conceitual do novo Museu, dos projetos executivos arquitetônicos e complementares de reconstrução e do projeto de gestão e sustentabilidade financeira.

Após as ações emergenciais de resgate de acervo, previstas para serem concluídas em março de 2019, a Associação de Amigos do Museu Nacional (beneficiária) deverá apresentar orçamento atualizado do projeto para ter acesso ao restante dos recursos do contrato com o BNDES.

Com os ajustes, R$ 13,7 milhões passarão a ser destinados à recuperação do Museu Nacional, sem mudanças da finalidade de aplicação dos recursos restantes: R$ 7,7 milhões serão investidos na elaboração de projeto executivo arquitetônico, reforma e readequação do prédio da biblioteca central (não afetada pelo incêndio); e R$ 368 mil na estruturação de um fundo patrimonial que contribua para a sustentabilidade do Museu Nacional.

Além desses recursos, a bancada dos deputados do Rio de Janeiro na Câmara Federal aprovou uma emenda impositiva de R$ 56 milhões destinados à recuperação estrutural das fachadas do Palácio São Cristóvão e à reconstrução das coberturas.

Acervo – Maior museu de história natural da América Latina, o Museu Nacional contava com um acervo de 20 milhões de itens, como fósseis, múmias, peças indígenas e livros raros. Logo após o incêndio, foi iniciado um trabalho de remoção das peças para uma área de triagem, onde são fotografadas e catalogadas. A previsão de conclusão do trabalho de resgate é março de 2019.

museu_aereo2_Roberto da SilvaFoto: Roberto da Silva - www.museunacional.ufrj.br