BNDES - Agência de Notícias

20:29 22 de Janeiro de 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:15:48 01/10/2020 |CULTURA

Ultima atualização: 15:59 01/10/2020

  • Edição 2020 do Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural tem potencial de mobilizar até R$ 3,7 milhões em recursos

 

  • Para cada R$ 1 real doado na plataforma benfeitoria.com//bndesmais,, BNDES doará mais R$ 2

 

Em sua segunda edição, o Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural definiu 24 projetos, dentre 175 recebidos, para participar da campanha de financiamento coletivo. Eles serão apresentados na plataforma de crowdfunding benfeitoria.com/bndesmais, mesmo site onde serão arrecadadas as doações. Assim como na versão anterior em 2019, para cada R$ 1 real doado, o BNDES doará mais R$ 2, triplicando as possibilidades de viabilização das propostas. O potencial de arrecadação da campanha é de R$ 3,7 milhões, considerados recursos do Banco e da sociedade.

Conforme as regras da chamada pública — que, este ano, teve prazo de inscrições prolongado devido às dificuldades impostas pela covid-19 —, os projetos deveriam deixar legado ao patrimônio material ou imaterial brasileiro, em quatro categorias: Promoção & Inclusão (ações de promoção do turismo, transmissão de conhecimentos tradicionais, acessibilidade e democratização); Inovação & Tecnologia (tecnologias ou conteúdos que melhorem a experiência e o engajamento do público com o patrimônio); Educação & Inspiração (formação de profissionais que trabalham com patrimônio e ações educativas que engajem o público); e Preservação & Memória (conservação ou preservação da memória do patrimônio).

No julgamento, o comitê de seleção levou em conta critérios como impacto, inovação, perenidade, custo-benefício e viabilidade técnica das propostas, bem como o perfil do proponente e o potencial de arrecadação projeto. Também foram considerados aspectos como a representatividade regional do conjunto e alinhamento a políticas públicas. O resultado são propostas oriundas de dez Estados brasileiros (Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo), mais o Distrito Federal.

Além de terem o projeto lançado na plataforma Matchfunding BNDES+ para arrecadação de recursos, as instituições culturais proponentes receberão suporte e orientação da Benfeitoria, parceira do BNDES no programa, para lançarem suas campanhas de financiamento coletivo. A capacitação teórica e prática visa ampliar as alternativas de geração de receitas futuras das instituições e aproximá-las do seu público final, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento da autonomia e sustentabilidade financeira e organizacional das entidades culturais.

Os projetos têm valores de execução entre R$ 30 mil e R$ 300 mil. Eles devem arrecadar pelo menos um terço do total junto à sociedade para que o BNDES aporte os dois terços restantes. O prazo de implementação é de até nove meses, a partir do repasse dos recursos da arrecadação coletiva. No ano passado, dos 20 projetos selecionados, 18 atingiram a meta de captação. Eles mobilizaram R$ 2,5 milhões em recursos, do BNDES e de outros 4 mil doadores. Dentre os que colaboraram, 60% afirmaram nunca ter doado para projetos de patrimônio anteriormente. Para 80% deles, o “match” do BNDES fez diferença na hora de decidir pelo aporte.

Para Patrícia Zendron, gerente no Departamento de Desenvolvimento Urbano, Cultura e Turismo do BNDES, a edição deste ano ganhou relevância extra no contexto da pandemia. “A crise decorrente da covid-19 afetou substancialmente os setores de cultura e turismo. Os projetos selecionados para o matchfunding são uma oportunidade de gerar empregos, melhorar serviços e estruturar destinos turísticos. Podem, assim, contribuir para amenizar o impacto negativo da crise”, avaliou.

Confira abaixo um resumo das 24 iniciativas selecionadas:

Edição 2020 do Programa Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural

 

Projeto: Rodando o engenho: Turismo pedagógico e de base comunitária como estratégia de geração de renda e valorização do patrimônio cultural na Rede Catarinense de Engenhos de Farinha

Proponente: Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo

Valor: R$ 68 mil

Resumo: O projeto busca qualificar o turismo de base comunitária (TBC) e pedagógico para geração de renda, envolvendo estudantes, gestores, instituições, empresas e turistas em um aspecto novo do turismo em Santa Catarina, relacionado a um patrimônio agroalimentar.

 

Projeto: Lendas e crendices populares da Ilha de Santa Catarina

Proponente: Associação FloripAmanhã

Valor: R$ 74,5 mil

Resumo: Pesquisa para mapear e reunir um acervo, disponibilizado em plataforma virtual, com parte das lendas e crendices da cultura de base luso-açoriana do litoral de Santa Catarina — patrimônio imaterial estadual, reconhecido pelo Inventário Nacional de Referências Culturais. Prevê oficinas e palestras em escolas públicas de Florianópolis.

 

Projeto: Edifício IAB - Patrimônio da Cidade

Proponente: Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento São Paulo (IABsp)

Valor: R$ 73,7 mil

Resumo: Reforma e reestruturação técnica do edifício-sede do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) para aumentar a acessibilidade do prédio, impulsionar e democratizar seu uso. Localizado no centro de São Paulo, é o mais antigo centro cultural de arquitetura e urbanismo do País, tombado nos níveis federal, estadual e municipal.

 

Projeto: Áudio guia do Futebol Feminino

Proponente: IDBRASIL - Cultura, Educação e Esporte

Valor: R$ 80,6 mil

Resumo: Criação e disponibilização, em plataformas como Spotify e Youtube, de um áudio guia para incluir a história do futebol feminino na narrativa do Museu do Futebol, localizado em São Paulo e uma das instituições mais visitadas do Brasil.

 

Projeto: O Museu da Maré é Nosso!

Proponente: Centro de Estudos e Ações Solidárias da Maré

Valor: R$ 88 mil

Resumo: Reforma e adaptação do Museu da Maré, no Rio de Janeiro — primeiro museu criado em uma favela, por iniciativa dos próprios moradores —, para prover acessibilidade e segurança à comunidade que participa de suas atividades.

 

Projeto: Vidas Indígenas

Proponente: Instituto Museu da Pessoa.net

Valor: R$ 88,6 mil

Resumo: Inclusão, no acervo virtual do Museu da Pessoa, da memória de três povos indígenas — Guarani, Tupinambá e Nawa —, coletada por representantes desses próprios povos, a partir da formação na tecnologia social da memória desenvolvida pelo Museu.

 

Projeto: Mapa do Patrimônio Cultural de São João del-Rei

Proponente: Associação Amigos de São João del-Rei

Valor: R$ 100 mil

Resumo: Site com informações em texto, fotografia e vídeo, mapeando 15 bens patrimoniais, entre materiais e imateriais (grande parte reconhecido em nível federal), no conjunto arquitetônico e urbanístico de São João del-Rei (MG).

 

Projeto: Rota 02: caminhos da Independência

Proponente: Instituto Cultural Steve Biko

Valor: R$ 120 mil

Resumo: Aplicativo com uso da tecnologia de realidade aumentada, que permita visualizar, em diferentes pontos de Salvador, representações gráficas e simulações de personagens e batalhas marcantes da história da Independência do Brasil na Bahia. Busca deixar legado para o Cortejo de Dois de Julho, patrimônio imaterial estadual.

 

Projeto: Salvaguarda do acervo pessoal de matrizes de xilogravura de José Costa Leite, Patrimônio Vivo da Literatura de Cordel, no Museu Câmara Cascudo da UFRN

Proponente: Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (FUNPEC)

Valor: R$ 121 mil

Resumo: Compra, conservação, digitalização e disponibilização online de obras do artista José Costa Leite, Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco, com impacto para a literatura de cordel como referência cultural no Brasil.

 

Projeto: Um olhar acessível em 3D dos altares do Museu de Arte Sacra de Mato Grosso

Proponente: Associação dos Produtores Culturais de Mato Grosso

Valor: R$ 125 mil

Resumo do projeto: Produção de 31 peças em 3D, réplicas de bens culturais do acervo do Museu de Arte Sacra do Mato Grosso, para acessibilidade de pessoas cegas e surdas. O museu, cujo prédio é tombado em nível estadual, é o de maior visitação em Cuiabá, e, dentre as peças replicadas, quatro são retábulos tombados em nível federal.

 

Projeto: Território Plural: memória e preservação em Paraty e Ilha Grande

Proponente: Instituto de Pesquisas Marinhas, Arquitetura e Recursos Renováveis (IPEMAR)

Valor: R$ 129,3 mil

Resumo: Produção de uma websérie com 6 episódios de sobre aspectos que levaram as cidades de Paraty e Ilha Grande a serem declaradas Patrimônio Mundial pela UNESCO, especialmente no que se refere às relações entre natureza e cultura, celebrações locais (Folia de Reis, Festa do Divino, Ciranda, Jongo, etc.) e arquitetura colonial.

 

Projeto: Tempo de Choro - uma jornada interativa

Proponente: Instituto Casa do Choro

Valor: R$ 149 mil

Resumo: Reunião de informações históricas sobre o choro — patrimônio imaterial da cidade do Rio —, a serem disponibilizadas na internet, incluindo mais de 300 biografias de músicos, lista de obras, vídeos, fotografias e gravações históricas, organizadas cronologicamente.

 

Projeto: Mestres e aprendizes da Cultura Tradicional da Chapada dos Veadeiros

Proponente: Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge

Valor: R$ 150 mil

Resumo: Oficinas práticas de criação coletiva sobre saberes tradicionais da Chapada dos Veadeiros, ofertadas a 180 crianças e ministradas, durante seis meses, por 25 mestres do saber popular, os chamados Griôs.

 

Projeto: Mestre Sirso: quando o mundo é silêncio a vibração é mestre

Proponente: Associação de Capoeira Serpente do Oeste – Arte Luta

Valor: R$ 152,3 mil

Resumo: Documentário sobre um homem negro e surdo, residente na periferia de Cascavel (PR), que teve sua vida transformada pela Capoeira. Com legendagem, libras, legenda descritiva e audiodescrição, para garantir a acessibilidade a diferentes públicos, buscará promover e preservar a memória da Roda de Capoeira.

 

Projeto: Programa de Visitas Educativas ao Complexo Teatro Castro Alves

Proponente: Associação Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA)

Valor: R$ 152,5 mil

Resumo: Ação visa aliar atividades de restauro e conservação à educação patrimonial, atingindo cerca de 4 mil pessoas, viabilizando a preservação física e disseminando conhecimentos sobre o Teatro Castro Alves, maior e mais frequentado equipamento cultural da Bahia.

 

Projeto: Nos Trilhos do Samba Paulista: mapeamento e registro do patrimônio cultural afro-brasileiro no estado de São Paulo

Proponente: Grêmio Recreativo de Resistência Cultural Kolombolo diá Piratininga

Valor: R$ 165 mil

Resumo do projeto: Produção e disponibilização em plataformas gratuitas de três minidocumentários sobre o Samba Paulista — patrimônio imaterial estadual —, com relatos de famílias negras que vivem nos municípios de Araraquara, Bauru e São Carlos.

 

Projeto: Rolé Carioca - Uma cartografia afetiva do Rio de Janeiro

Proponente: Ponto Solidário

Valor: R$ 167,4 mil

Resumo: Plataforma virtual e colaborativa com informações sobre o patrimônio cultural do Rio de Janeiro — um conjunto de bens tombados em níveis federal, estadual e municipal —, incluindo dados sobre cartografia afetiva (relação das pessoas com a cidade)

 

Projeto: Solar do Sertão: Museu vivo dos povos tradicionais de Minas Gerais

Proponente: Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas - CAA/NM

Valor: R$ 177,8 mil

Resumo: Criação de espaços físico e virtual sobre a cultura dos povos tradicionais geraizeiros, vazanteiros, veredeiros, catingueiros e apanhadores de flores de Minas Gerais, com sede no Edifício Solar dos Sertões, tombado pela prefeitura de Montes Claros (MG).

 

Projeto: Expansão do acesso à coleção de artes visuais da Casa-museu Ema Klabin

Proponente: Fundação Cultural Ema Gordon Klabin

Valor: R$ 199,5 mil

Resumo: Digitalização e disponibilização online do acervo da Fundação Cultural Ema Gordom Klabin — com obras de artistas como Renoir e Di Cavalcanti — e organização de cursos sobre arte, em formato online.

 

Projeto: Amo, poeta e cantador: murais da memória pelo Maranhão

Proponente: Sociedade Junina Turma de São João Batista

Valor: R$ 201 mil

Resumo: Murais em graffiti em seis diferentes cidades, assinados por reconhecido artista local, e minidocumentário sobre o Complexo Cultural do Bumba-meu-boi no Maranhão, patrimônio imaterial registrado em nível federal.

 

Projeto: Quando samba desfilou no carnaval

Proponente: Organização Cultural Remanescentes de Tia Ciata (ORTC)

Valor: R$ 254 mil

Resumo: Documentário longa-metragem sobre a origem dos desfiles de carnaval no Rio de Janeiro, tendo por base documentos do Arquivo Nacional, relatos de nomes como Ismael Silva e Donga e percepção de cronistas como João do Rio e Machado de Assis.

 

Projeto: RestaurAÇÃO no Palácio São Francisco

Proponente: Universidade Livre da Cultura

Valor: R$ 258,3 mil

Resumo: Capacitação profissional a mulheres em situação de vulnerabilidade social para restauro de pinturas decorativas parietais do século 19 no Palácio São Francisco, em Curitiba (PR) — tombado em nível estadual e sede do Museu Paranaense, 30 mais antigo do Brasil.

 

Projeto: Brasília Patrimônio da Humanidade em Realidade Virtual

Proponente: Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial (OCBPM)

Valor: R$ 287,5 mil

Resumo: Projeto-piloto enfocando o conjunto urbanístico de Brasília — tombado em nível federal — e que pretende se desdobrar em uma série de vídeos em realidade virtual para promover imersão nos Patrimônios Mundiais declarados pela UNESCO no País.

 

Projeto: Renasce Museu! Construindo novos caminhos depois do incêndio no Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG (MHNJB)

Proponente: Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa

Valor: R$ 300 mil

Resumo do projeto: Implantação de um laboratório de documentação e sistema de gestão informatizada no Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG, em Belo Horizonte, que passou por recente incêndio.