Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

06:51 18 de May de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:15:21 22/09/2023 |EDUCAÇÃO

Ultima atualização: 13:05 17/10/2023

Deposit Photos

Programa capacita profissionais de mais de mil escolas públicas de 90 municípios

• Secretarias Municipais de Educação ou Diretorias Regionais de Ensino podem se inscrever até 10/10, pelo site editalativaeducacao2023.prosas.com.br

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Fundação Raízen vão destinar R$ 16,2 milhões para o programa Ativa Educação. A iniciativa, cujo edital foi lançado nesta sexta-feira, 22, visa capacitar profissionais de escolas públicas em 90 municípios do País. O programa prevê o atendimento direto a 405 escolas e a replicação dos conhecimentos desenvolvidos em outras 630, em todos os municípios participantes, de 2024 a 2027. 

As formações ocorrerão em modelo híbrido e tem como objetivo aprimorar a gestão escolar, bem como contribuir para que professores apliquem novas práticas pedagógicas, em linha com os critérios requeridos pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Metade dos recursos virá de apoio financeiro não reembolsável do BNDES, por meio do seu Fundo Socioambiental, cujo foco são projetos de inclusão social que melhorem as condições de vida das populações de baixa renda e em situação de vulnerabilidade. Os 50% restantes serão aportados pela Fundação Raízen, braço sem fins lucrativos da empresa de energia.

As inscrições para o programa Ativa Educação vão até o dia 10 de outubro e podem ser feitas por Secretarias Municipais de Educação ou Diretorias Regionais de Ensino pelo site editalativaeducacao2023.prosas.com.br.  

A metodologia do Ativa Educação propõe atuar em diferentes frentes. Inicialmente, está prevista a realização de diagnósticos da gestão escolar e do potencial de mobilização comunitária das escolas, que mapearão boas práticas e desafios considerando o contexto territorial.

“Para o BNDES, a redução das desigualdades passa pela melhoria da qualidade da Educação Básica brasileira e o edital, ao permitir que municípios de todos os estados do Brasil participem da seleção - atingindo, assim, as populações mais necessitadas -, insere-se nesse contexto”, disse Celina Tura, chefe do Departamento de Inclusão Produtiva e Educação do Banco.

“O objetivo do Ativa Educação é tornar a jornada formativa dos estudantes mais atrativa, para que finalizem seus estudos”, explicou Fernanda Ferraz, gerente de Performance Social na Raízen e diretora executiva da Fundação Raízen. 

“O jovem que não conclui a educação básica permanece submetido a uma situação de maior vulnerabilidade socioeconômica ao longo da vida, e as questões socioemocionais influenciam na tomada de decisão desse estudante em permanecer ou não na escola. Para formá-lo com qualidade, é necessário preparar seus formadores”, concluiu.