Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

17:13 23 de June de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:15:24 16/11/2023 |MEIO AMBIENTE |SUL

Ultima atualização: 15:45 21/11/2023

Reprodução: Prefeitura de Cananéia

Planejamento espacial marinho da região Sul tem apoio de R$ 7 mi do BNDES

Na última quinta-feira, 16, no Palácio da Associação Comercial da Bahia, equipe da Área de Meio Ambiente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou investimentos no Planejamento Espacial Marinho (PEM) para a chamada Amazônia Azul. Por meio do Fundo de Estruturação de Projetos (BNDES FEP) foi aprovado aporte no valor de R$ 7 milhões para a realização de estudos do PEM com foco no Sul do Brasil. 

 

Fundamental para economia e soberania do país, a Amazônia Azul corresponde a toda a costa brasileira, com cerca de 5,6 milhões de km² de extensão (280 municípios), região rica em biodiversidade, recursos e minerais. Nela, estão as reservas do pré-sal: por lá, se retiram cerca de 85% do petróleo, 75% do gás natural e 45% do pescado produzidos no Brasil. Além disso, pelas rotas marítimas são escoados mais de 95% do comércio exterior do país.  

 

Criado em 1960 pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI), o PEM estimula o uso sustentável da Amazônia Azul para alavancar a bioeconomia brasileira. Entre as ações da iniciativa, estão a de regulação jurídica, planejamento e organização para viabilizar a economia azul no país.  

 

Para o chefe do Departamento do Meio Ambiente do BNDES, Marcus Santiago, com o investimento no PEM “o Banco inaugura sua ação azul, uma verdadeira ação baseada na natureza para adaptação climática”, o que se junta aos apoios à economia verde já feitos pelo BNDES.  

pemsul

Segundo o administrador do Departamento de Meio Ambiente do BNDES, Luiz Pazos, o Brasil tem potencial econômico marinho-marítimo a ser conhecido, respeitado e explorado em harmonia com o meio ambiente. “Conectado com o processo mundial que compreende o ambiente marinho como pilar da economia, o BNDES responde à demanda para financiar os estudos do PEM”. 

 

O Banco planeja investir mais R$ 12 milhões em pesquisas do PEM em outras regiões do país. “Os investimentos do Banco auxiliam na conservação marítima, em usos para lazer e esportes, no turismo, na pesca artesanal e em pequena escala, além de atividades econômicas maiores, como portos, aproveitamento energético e navegação”, acrescentou Pazos. 

Image

Na solenidade no Palácio da Associação Comercial da Bahia, além de Santiago e Pazos, estiveram presentes representantes da Marinha do Brasil, da Prefeitura de Salvador, do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, da Assembleia Legislativa da Bahia, de pesquisadores e empresários.