Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

17:09 23 de July de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:16 25/04/2024 |INDÚSTRIA |INSTITUCIONAL

Ultima atualização: 18:35 25/04/2024

Rossana Fraga - BNDES / Divulgação

Neoindustrialização: BNDES lança plataforma para acompanhamento de projetos do Plano Mais Produção

  • Com transparência, ferramenta online está disponível para que a população conheça todos os investimentos aprovados pelo Banco para a Nova Indústria Brasil

  • Na mesma solenidade, BNDES e Finep assinaram acordo para aprimorar apoio à inovação no país; instituições terão 90 dias para elaborar Plano de Trabalho

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou, nesta quinta-feira, 25, plataforma online que reúne informações do Banco sobre o Plano Mais Produção, braço de financiamento da Nova Indústria Brasil. Disponível para toda a população e de fácil acesso, a ferramenta é um importante instrumento de transparência das ações da instituição, responsável pela gestão de R$ 250 bilhões do total de R$ 300 bilhões da política de neoindustrialização do Governo Federal.

A plataforma traz o volume e a quantidade de projetos aprovados desde 2023 e o montante já desembolsado pelo Banco. Também é possível pesquisar projetos aprovados por eixo (Produtividade, Exportação, Verde e Inovação), porte da empresa (micro, pequena, média ou grande), forma de apoio (direto ou indireto), além de pesquisar resultados por região e estado, com georreferenciamento. A população também terá acesso à lista de projetos contratados pelo BNDES e a textos que detalham muitas operações já aprovadas.

plataforma_internaFonte: BNDES


A ferramenta foi lançada no evento “Financiamento à neoindustrialização: mobilizando o crédito para a inovação”, fórum de debate promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), na sede do Banco, no Rio. O evento reuniu o ministro do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços e vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, o presidente da ABDE e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Celso Pansera, a presidente da Frente Parlamentar Mista de Apoio ao Sistema Nacional de Fomento para o Financiamento ao Desenvolvimento (FPSNF), Deputada Luísa Canziani, para debater política industrial, instituições financiadoras e a criação da Letra de Crédito de Desenvolvimento.

Em sua fala na cerimônia de abertura, Mercadante lembrou que o Brasil é o país que pode liderar a agenda verde e de transição climática, pois tem a melhor matriz energética e a melhor matriz de eletricidade entre os países do G20. “Esse Banco, pela Bloomberg, é o que mais financiou energia limpa renovável na história. Temos um Banco público que olhou, lá atrás, o que era o desafio. E que não pensa só no retorno de amanhã, mas pensa o desenvolvimento do país de uma forma muito mais articulada e abrangente”.

“Sobre a plataforma, Mercadante disse que o BNDES reafirma o seu compromisso com a transparência de suas ações e informações e convida a sociedade brasileira para acompanhar a implementação da Nova Indústria Brasil, importante política do governo do presidente Lula, que está trazendo inovação tecnológica, transição energética e gerando empregos qualificados no país”. Ele lembrou ainda que o BNDES, hoje, é a instituição pública federal mais transparente segundo todos os tribunais de contas da União e a CGU, entre oito mil que foram analisadas.

“Transparência absoluta traz eficiência”, disse o ministro Geraldo Alckmin atestando o discurso do presidente do banco de fomento: “O BNDES é campeão da transparência entre as estatais federais. Então, quero dar os parabéns a todo o time do Banco”, disse.

Acordo de cooperação - Na mesma solenidade de lançamento da plataforma, o BNDES e Finep assinaram Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para ampliar o apoio das duas instituições aos projetos de inovação no país, no âmbito da Nova Indústria Brasil.

Pelo acordo, as duas instituições têm prazo de 90 dias para produzir um Plano de Trabalho que promova o intercâmbio de informações, conhecimentos técnicos e análises. O objetivo é aprimorar políticas operacionais, programas, produtos e processos internos, além de promover a inovação no país.

“BNDES e Finep também vão trabalhar para fomentar a inovação em todas as regiões do país, contribuindo para reduzir as desigualdades e garantindo que os recursos estimulem a criatividade em todo o Brasil. A Nova Indústria Brasil é, sobretudo, inovadora”, afirma o presidente do BNDES.

WhatsApp Image 2024-04-25 at 11.29.36Foto: Rossana Fraga - BNDES / Divulgação


“A Nova Indústria Brasil mostra a importância de parcerias entre Finep e BNDES para a construção de políticas que combatam as desigualdades sociais, promovendo melhores empregos e o desenvolvimento de todas as regiões, considerando as necessidades de descarbonizar a economia”, diz o presidente da Finep, Celso Pansera.

O ACT é considerando uma ferramenta importante de governança dos recursos do Mais Inovação e tem quatro principais eixos para a atuação conjunta do BNDES e da Finep: avançar na complementariedade dos projetos apoiados entre as instituições; ações conjuntas para desconcentração do apoio, com foco nas regiões Norte e Nordeste e em MPMES; intercâmbio de metodologias para avaliação da efetividade dos projetos; e desenvolvimento conjunto de novos produtos voltados ao apoio à inovação.

Nova Indústria Brasil – BNDES e Finep integram a estratégia do governo federal de promover a neoindustrialização no país. O programa BNDES Mais Inovação, com dotação orçamentária de até R$ 20 bilhões para um período de quatro anos, já aprovou R$ 5,3 bilhões em operações de financiamento à inovação em 2023, um aumento de 132% em relação a 2022. 

O Finep Mais Inovação, que dispõe de R$ 41 bilhões para quatro anos, já aprovou cerca de R$ 10,5 bilhões em financiamentos para projetos de crédito e não reembolsáveis. Só em 2024, foram 203 projetos e em torno de R$ 2,7 bi aprovados.

WhatsApp Image 2024-04-25 at 11.29.37Foto: Rossana Fraga - BNDES / Divulgação