BNDES - Agência de Notícias

22:57 20 de September de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:19:01 03/08/2020 |ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA |SUDESTE

Ultima atualização: 19:05 03/08/2020

Sergio Cardoso/Divulgação
Em 2 anos, 35 mil lâmpadas de LED serão instaladas, reduzindo consumo em 50%

• Consórcio SRE – IP Vila Velha, formado pelas empresas Splice, RT Energia e Engelmig Energia, apresentou a melhor oferta entre os 11 licitantes

• Concessionária deve modernizar, expandir e manter o parque pelo prazo de 20 anos, com investimentos estimados em R$ 112 milhões

Modelado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o projeto de PPP de Iluminação Pública de Vila Velha (ES) foi a leilão nesta segunda-feira, 3, na B3. Onze licitantes participaram do processo, cujo vencedor foi o Consórcio SRE – IP Vila Velha, formado pelas empresas Splice, RT Energia e Engelmig Energia.

O grupo apresentou a melhor oferta, com uma contraprestação mensal máxima de 501 mil reais, o que representa um deságio de 62% ante o valor definido no Edital. Inicia-se agora a etapa de análise dos documentos de habilitação do Consórcio, recursos e homologação do certame. Ao final desse processo, será assinado o contrato da PPP. 

Coordenada pelo BNDES, a estruturação do projeto incluiu a elaboração de estudos técnicos, operacionais e financeiros, a modelagem jurídica e o apoio à prefeitura na condução de todo o processo licitatório da PPP.

A futura concessionária do parque de iluminação será responsável pela modernização, expansão e manutenção da rede municipal de iluminação pública, pelo prazo de 20 anos, com investimentos estimados em R$ 112 milhões. 

Em um prazo em torno de 2 anos, as cerca de 35 mil lâmpadas existentes serão substituídas por lâmpadas de LED, reduzindo consumo de energia com iluminação pública em torno de 50% e aumentando a eficiência operacional da rede, que também será ampliada até o fim do contrato. 

O contrato também contempla a implementação de sistemas inteligentes de operação e monitoramento remoto — com utilização de uma tecnologia conhecida como telegestão — na iluminação pública das vias de maior fluxo de veículos e outros pontos de interesse na cidade. 

Outro item relevante considerado no projeto foi a obrigação de que o parceiro privado  implemente projetos de iluminação específicos em monumentos e pontos turísticos da cidade previamente definidos, visando dar maior destaque a essas localidades. 

As mudanças vão prover maior eficiência ao sistema de iluminação pública da cidade, reduzir o consumo de energia elétrica, gerar maior sensação de segurança para a população e promover áreas comerciais, turísticas e de lazer do município.