Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

02:12 05 de March de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:08 22/11/2023 |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS |NORTE

Ultima atualização: 14:33 23/11/2023

Bruno Carachesti - Agência Pará

Em preparação à COP30, BNDES e Pará mobilizam setor de turismo de Belém em busca de crédito

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em ação conjunta com o Governo do Estado do Pará, promove nesta quarta e quinta-feira, dias 22 e 23, no Hangar Centro de Convenções, em Belém, o evento “Rumo à Cop30: Rodada de Negócios”, dirigido a micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) do setor de turismo, com foco nos segmentos de hotéis, bares e restaurantes.

O objetivo da iniciativa é apresentar oportunidades de negócio e soluções de crédito para atender à expectativa de aumento da demanda de serviços gerada pela 30ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30), que terá a capital paraense como sede, em 2025. Estima-se que, para que sejam feitas adequações de infraestrutura em empreendimentos para a conferência, sejam necessários investimentos da ordem de R$ 200 milhões.

Em seu papel de articulador, o BNDES busca aproximar o empresariado da capital do Estado e o setor financeiro local. A mobilização conta com apoio do Ministério do Turismo, da Prefeitura de Belém, da Associação Comercial do Pará (ACP), da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Na abertura do evento, Alexandre Abreu, diretor Financeiro e de Crédito Digital para MPMEs do BNDES, destacou o esforço do Banco para organizar a sistemática de crédito da rodada de negócios: “A primeira coisa que estamos fazendo hoje é trazer os agentes financeiros, bancos estatais, privados e de cooperativas, que estarão aqui com seus melhores técnicos, em salas específicas, conversando diretamente com os empresários”.

IMG_8162


“Sempre foi citado que o crédito seria um obstáculo para fortalecer toda a cadeia de turismo do Estado e estamos aqui diante da solução, com o apoio e comando do BNDES, para encontrar as soluções que o segmento espera, em  preparação para a nossa COP30”, afirmou a vice-governadora do Estado do Pará, Hana Ghassan.

Necessidades de investimentos - Segundo estimativas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), espera-se um fluxo de mais de 40 mil visitantes durante os principais dias da COP30. Deste total, aproximadamente 7 mil compõem a chamada “família COP”, formada pelas equipes da ONU e delegações de países membros. Somente para receber este grupo, são necessários investimentos de retrofit e adequações nos meios de hospedagens da cidade, que atualmente concentram perfis nas classes C e D, para perfis nas classes A e B.

Já no segmento de bares e restaurantes, são necessárias adequações para padrões sanitários internacionais, investimentos em capacitação de mão de obra e em modernização e renovação de equipamentos.

Segundo dados da Abrasel, o Pará possui atualmente 34.489 mil estabelecimentos comerciais bares e restaurantes, que empregam aproximadamente 1.148.404 pessoas, cujo faturamento, em 2022, foi de R$ 396 bilhões. A associação estima que o faturamento do setor cresça nos próximos anos.

“Projetando pela participação no PIB, o faturamento no Pará foi de R$ 11,5 bilhões no ano passado. E a gente vê um crescimento no setor acima do projetado até agora para o PIB Brasil, que está em 3,3%. Se o setor crescer 4%, o faturamento no Pará chegaria a quase R$ 12 bilhões”, apontou Isabela Lima, presidente da Abrasel.

RumoCop30_interna2


Negociação direta –
A expectativa é que, ao longo dos dois dias evento, aproximadamente 900 empresários (inscritos previamente na rodada) tenham a oportunidade de negociar, diretamente com agentes repassadores de recursos do BNDES e instituições parceiras, as melhores alternativas de crédito para alavancar os seus negócios.

Participam do evento “Rumo à Cop30: Rodada de Negócios” representantes de oito instituições financeiras (Banco do Brasil, Banpará, Basa, Cresol, Caixa Econômica Federal, Sicred, Sicoob e Bradesco), da Federação da Indústria do Estado do Pará (Fiepa/CNI), da Secretaria de Finanças da Prefeitura de Belém (Sefin) e da Secretaria de Fazenda do Estado do Pará (Sefa).

“Nosso trabalho é apoiar esse empreendedor para que ele tome a decisão de acessar crédito com segurança e consiga aplicar o recurso de forma correta e assistida, para evitar problemas futuros”, disse o diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Rubens Magno, também presente no evento.

IMG_8685


Apoio ao Pará -
O BNDES possui uma série de ações já em curso para o Estado do Pará e Belém e seu entorno. Recentemente, o Banco aprovou financiamento no valor de R$ 3 bilhões para a execução de plano de investimentos multissetorial de melhoria da infraestrutura urbana e para ampliação do acesso a equipamentos e serviços públicos na região metropolitana da cidade. A operação inclui equipamentos culturais e turísticos que constituirão legado da COP30 para a cidade. Em outra iniciativa, o Banco aprovou R$ 40 milhões para a restauração do Conjunto dos Mercedários, equipamento cultural que poderá ser usado como instalação durante o evento da ONU e que ficará como legado cultural para a população.

Nos últimos 4 anos, o BNDES destinou cerca de R$ 10,5 bilhões à região Norte do país, dos quais R$ 3,9 bilhões ao Pará. O setor de comércio e serviços foi responsável por R$ 3,8 bilhões em aprovações no BNDES, dos quais o Pará contou com R$ 1,5 bilhões.

O Banco não apoiou a região apenas por meio de crédito. Desde o início da pandemia, foram mais de R$ 160 bilhões em créditos garantidos pelo BNDES em todo o país. Deste total, R$ 11,5 bilhões foram para a região Norte e R$ 4,2 bilhões ao Pará. No mesmo período, somando-se o apoio por meio de créditos e garantias, o Estado do Pará contou com mais de R$ 8 bilhões do BNDES.