Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

02:19 05 de March de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:14:46 02/02/2024 |INFRAESTRUTURA |CENTRO-OESTE

Ultima atualização: 15:02 02/02/2024

MMA

Concessão dos serviços no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães fortalece turismo sustentável

Com estruturação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sob coordenação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a concessão dos serviços de visitação no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães foi leiloada nesta sexta-feira, 2, em sessão pública na sede da B3, em São Paulo. A proponente Parques FIP em Infraestrutura venceu o leilão, cujo valor da proposta foi de R$ 926 mil, o que representou ágio de 0,02%.

O parque foi qualificado no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI) para fins da concessão para prestação de serviços de apoio à visitação, em 2021. O projeto envolveu estudos feitos em pelo Banco, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), o Ministério do Turismo (MTur) e a UNESCO.

“Tivemos hoje mais um leilão de concessão de serviços de visitação da carteira de estruturação de projetos de parques do BNDES. Para o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, estão previstos investimentos no valor de R$ 18 milhões em infraestrutura e mais de R$ 200 milhões em operação ao longo de 30 anos. Esses recursos contribuirão para o desenvolvimento do turismo na região, bem como para a conservação ambiental no Parque, declarado reserva da biosfera do Pantanal pela UNESCO”, disse o diretor de Planejamento e Estruturação de Projetos do BNDES, Nelson Barbosa.

O critério para seleção do concessionário envolveu o maior valor de outorga fixa, que é a quantia a ser paga ao poder público. Vencedor da licitação, Parques FIP em Infraestrutura será responsável por ampliar as condições de visitação no parque, garantindo mais atrativos e serviços, infraestrutura, segurança, acessibilidade e melhores práticas de ecoturismo, além de apoio a pesquisas científicas e atividades de conservação ambiental.

Para o presidente do ICMBio, Mauro Oliveira Pires, a iniciativa é de extrema relevância para o ecoturismo local. “É com muita expectativa que, com essa concessão, a gente consiga ampliar os investimentos para tornar a visitação pública uma experiência muito mais satisfatória. O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães continuará público e a concessão vem para somar à gestão da unidade”, concluiu.

Emprego e renda - A concessão beneficiará as comunidades dos municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães com geração de emprego e renda, com criação de cerca de 900 empregos diretos e indiretos, além do aumento de arrecadação fiscal na região. Parte da receita operacional bruta da concessão será revertida para os encargos acessórios de responsabilidade socioambiental, como ações de educação ambiental, projetos de integração com comunidades do entorno, monitoramento e projetos de pesquisa.

“Caixa d’água” de Cuiabá – Criado em 1989 e conhecido como “caixa d’água” de Cuiabá, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães está localizado no cerrado do Estado do Mato Grosso. Além do forte apelo turístico, o parque protege amostras significativas dos ecossistemas e assegura a preservação dos mananciais que abastecem a região metropolitana da capital mato-grossense. Com 32,6 mil hectares (o equivalente a 45 mil campos de futebol), o parque um dos parques nacionais mais visitados do país, com mais de 132 mil visitas em 2022.

 

MMA