BNDES - Agência de Notícias

00:26 19 de August de 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:16:49 21/12/2018 |INSTITUCIONAL |MERCADO DE CAPITAIS

Ultima atualização: 18:51 21/12/2018

André Telles/Divulgação BNDES

 

A BNDES Participações (BNDESPar), subsidiária de participações societárias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e quatro dos principais fundos de pensão do país – Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras), Valia (Vale) e Real Grandeza (Furnas) – se uniram para analisar e aperfeiçoar os critérios socioambientais e de governança adotados pelas empresas em que investem. A ideia é que as companhias expliquem suas ações em um questionário padrão formulado pelas instituições.

Além de reduzir riscos e ampliar garantias de investimento, o objetivo do grupo é atuar como indutor na área de sustentabilidade para outros participantes do mercado, no sentido de que as empresas passem a olhar para estes critérios de maneira menos formalista e com maior consciência. Um termo de compromisso foi assinado pelas cinco instituições na última segunda-feira, 17, no Rio de Janeiro. Juntos, o BNDES e as quatro fundações somam um patrimônio de R$ 410 bilhões.

Segundo a diretora de Investimento do BNDES, Eliane Lustosa, inicialmente será feito um diagnóstico da situação. Posteriormente, essas informações poderão subsidiar critérios de seleção de investimento e venda de participações. No entendimento dos dirigentes das fundações, a medida pode ajudar as companhias a reduzir riscos potenciais e a criar valor. “O mais importante é trabalharmos juntos buscando incentivar as empresas investidas a se preocuparem com as questões sociais, ambientais e de governança. É o início de uma atuação coordenada entre os principais investidores institucionais”, afirmou Eliane.

 

BNDESPar e quatro fundos de pensão se unem para aperfeiçoar critérios socioambientais
A diretora de Investimentos do BNDES, Eliane Lustosa, se reúne no Rio com representantes de fundos de previdência

 

“O recado mais claro desse grupo às corporações é: se preocupem, pratiquem e não olhem os temas socioambientais só para produzir informes, mas para que eles entrem de fato na cultura das companhias”, disse o diretor de Participações da Previ, Renato Proença. De acordo com o presidente da Petros, Daniel Lima, o questionário inicia o processo e o acompanhamento que vão gerar retorno para as empresas. “O questionário não só nos beneficia como investidores, mas beneficia também as próprias empresas, que passarão a aprimorar seus compromissos e suas práticas”.

Para o diretor de Investimentos da Valia, Maurício Wanderley, a iniciativa vai gerar oportunidades para as empresas criarem valor. “Pode haver iniciativas que as empresas estão fazendo e não estamos enxergando, então elas passam a comunicar isso de forma direta, o que pode mudar totalmente a precificação e a visão delas do mercado”. Sérgio Wilson Fontes, presidente da Fundação Real Grandeza, acrescentou: “Já sabemos que empresas que adotam práticas sustentáveis têm retorno muito maior. É uma evolução para a geração de valor, não só para a questão do risco de imagem”.