Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

00:23 05 de March de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:19:06 17/08/2020 |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS

Ultima atualização: 13:05 17/10/2023

André Telles/BNDES

BNDES supera R$ 10 bilhões em créditos garantidos para pequenas e médias empresas

• Programa Emergencial de Acesso a Crédito beneficiou, em pouco mais de um mês, 12.500 empresas, que empregam mais de 660 mil pessoas

• Já são 35 agentes financeiros habilitados a oferecer os empréstimos a partir R$ 5 mil 

O Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC), operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), alcançou a marca de R$ 10 bilhões em créditos concedidos a 12.529 pequenas e médias empresas (PMEs), com 80% desse valor garantido pelo programa. Essas empresas empregam mais de 660 mil pessoas. 

O programa começou a ser operacionalizado em 30 de junho. “O PEAC visa conceder garantias que contribuam para normalizar o funcionamento do mercado de crédito voltado a pequenas e médias empresas. Em menos de dois meses, os mais de R$ 10 bilhões em financiamentos feitos através do programa demonstram sua efetividade, bem como a importância da atuação conjunta do governo com o setor privado na criação de soluções inovadoras”, afirmou o diretor de Crédito e Garantia do BNDES, Petrônio Cançado.

Atualmente, 35 agentes financeiros já estão habilitados a oferecer os empréstimos, que podem ser de R$ 5 mil até R$ 10 milhões. Essas instituições são as responsáveis pela decisão final de utilizar a garantia do programa e avaliar o pedido de crédito, no momento em que estruturam cada uma de suas operações.

Uma das instituições financeiras que mais utilizou o PEAC para oferecer garantias às PMEs foi o Banco Safra, que já liberou R$ 3,1 bilhões em créditos. Para o Safra, é muito importante participar do PEAC, disse Eduardo Pinto de Oliveira, diretor de Produtos da instituição financeira.

“Sabemos que, em momentos como este, a concessão de crédito é fundamental para preservar empresas. Esse programa, criado num esforço do BNDES com o Ministério da Economia, reduz riscos e permite que a roda da economia siga girando por meio do crédito”.

Ele afirmou ainda que o PEAC é muito importante no contexto da pandemia para as pequenas e médias empresas seguirem suas histórias: “Isso significa amenizar a situação, manter empregos e criar expectativas positivas em relação ao futuro e à retomada”.

O PEAC tem como objetivo destravar o crédito para pequenas e médias empresas que faturaram entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões em 2019. Pelo programa, são concedidas garantias, mitigando os impactos econômicos da pandemia da Covid-19. A cobertura da garantia é de 80% do valor de cada operação, limitada a até 30% do valor total da carteira de cada agente financeiro para operações de créditos concedidos a empresas de pequeno porte, e até 20% do valor total da carteira de cada agente financeiro para operações com empresas de médio porte.

São passíveis à garantia emergencial do PEAC não só as operações de crédito contratadas com recursos do BNDES (por meio de algumas de suas linhas de financiamento), mas também as oferecidas pelas próprias instituições financeiras. Tais recursos podem ser utilizados pelas empresas para diferentes finalidades, de acordo com cada linha, inclusive para reforçar o seu capital de giro.

Por meio da parceria com a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (SEPEC), do Ministério da Economia, os recursos utilizados para as garantias vieram de aporte inicial de R$ 5 bilhões do Tesouro. Esses recursos para garantias permitem a alavancagem de recursos para financiamentos em até 5 vezes. Dessa forma, o valor dos empréstimos pode chegar a R$ 25 bilhões.

Do aporte inicial de R$ 5 bilhões, o valor de R$ 2,3 bilhões, que corresponde a 46% do orçamento inicial do programa, já foi utilizado. Assim, tendo em vista a referida alavancagem, foi possível a concessão de mais de R$10 bilhões de financiamentos por meio dos agentes financeiros.

Conforme a evolução da demanda, o Tesouro poderá colocar, ao todo, até R$ 20 billhões no programa, que tem vigência até 31 de dezembro de 2020, o que pode significar R$ 100 bilhões em financiamentos para pequenas e médias empresas.

As empresas que desejam obter um financiamento com a garantia do PEAC podem obter mais informações sobre como funciona o programa no nosso site. A relação dos agentes financeiros habilitados  pode ser consultada aqui