Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

06:09 18 de May de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:17:04 30/04/2024 |AGRICULTURA |NORDESTE

Ultima atualização: 20:04 30/04/2024

Fábio Chieppe - BNDES Divulgação

BNDES seleciona projeto para implementar iniciativa que beneficia 400 mil famílias no semiárido

Projeto da Associação Programa Um Milhão de Cisternas para o Semiárido (AP1MC) foi o selecionado do edital de seleção pública do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) destinado a implementar a Unidade de Planejamento, Monitoramento, Avaliação e Aprendizagem (PMEL) da iniciativa “Sertão Vivo”.

Com potencial de beneficiar mais de 400 mil famílias em vulnerabilidade social na região, a iniciativa "Sertão Vivo" conta com aproximadamente R$ 1,8 bi para os nove Estados do Nordeste - a partir de recursos reembolsáveis e não reembolsáveis do BNDES, do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e do Green Climate Fund (GCF).

Segundo a diretora Socioambiental do BNDES, Tereza Campello, o “Sertão Vivo” é inspirado na exitosa experiência brasileira de enfrentamento à pobreza rural e combate à fome. “Através da iniciativa, são realizados investimentos de acesso à água e de assistência técnica em unidades da agricultura familiar, para elevar a produtividade e a renda das comunidades e a resiliência às adversidades climáticas no bioma caatinga”, explicou.



2017_06_26-27-28_ATF_BNDES_ASA_FHC_7001


Gerida pela AP1MC, a unidade PMEL terá atuação transversal sobre toda a iniciativa “Sertão Vivo”. O projeto tem foco na gestão de conhecimento, aprendizado, monitoramento e condução de verificações de rotina, de forma a promover o alinhamento entre os projetos dos Estados, ampliar seu alcance e a troca de experiências entre os beneficiários finais (agricultores familiares).

Um milhão de cisternas - A AP1MC é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, criada em 2002. Ela realiza a gestão física e financeira de projetos de convivência com o Semiárido propostos pela Articulação Semiárido Brasileiro (ASA Brasil), em todos os territórios do bioma, proporcionando uma grande capilaridade na execução das suas ações, e com atuação em 2.878 municípios.

Em 1999, a ASA lançou como desafio para o Estado e a sociedade a construção do Programa de Formação e Mobilização Social para a Convivência com o Semiárido: Um Milhão de Cisternas - P1MC. Até o momento, foram construídas 1.172.000 tecnologias sociais de primeira e segunda água no Semiárido brasileiro, garantindo água para mais de 5 milhões de mulheres, homens e crianças.

 

2017_06_26-27-28_ATF_BNDES_ASA_FHC_6394
 Fábio Chieppe - BNDES Divulgação