BNDES - Agência de Notícias

20:32 21 de September de 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:12:07 17/05/2019 |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS |SUL

Ultima atualização: 15:19 17/05/2019

Fotos: Arlei Schmitz/Divulgação BNDES

 

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, lançou nesta sexta-feira, 17, em Joinville, Nordeste catarinense, o BNDES Crédito Direto Médias Empresas, produto voltado para empresas de médio porte. A nova linha apoiará investimentos no valor mínimo de R$ 10 milhões, em operações que poderão ser contratadas diretamente com o BNDES.

Os recursos podem ser investidos em obras civis, montagens e instalações, móveis e utensílios, máquinas e equipamentos e inovação, dentre outros. O objetivo é induzir ganhos de produtividade, sustentabilidade, competitividade e governança nas companhias apoiadas.

De acordo com Levy, as médias empresas são um segmento prioritário para o BNDES, por sua capacidade de gerar emprego e incorporar novas tecnologias. “Estamos lançando um produto para apoiar o investimento, mas que também tem um componente de giro, dando um oxigênio adicional enquanto a empresa vai crescendo e se desenvolvendo”, afirmou. O novo produto foi apresentado por Levy durante o Dia BNDES da Média Empresa, que começou às 8h30 no Perini Business Park, polo empresarial multissetorial da maior cidade catarinense.

 

BNDES lança em Joinville linha de financiamento para médias empresas

Joaquim Levy, presidente do BNDES

 

Com o BNDES Crédito Direto Médias Empresas, o banco de fomento pretende atuar em um nicho ainda pouco atendido. Considerando o peso do segmento (29% do PIB industrial do País), a avaliação é de que melhorias nas empresas desse porte tendem a gerar impacto positivo na economia do País. A estimativa é contratar cerca de R$ 2 bilhões por ano.

Condições – Além dos investimentos em obras civis, montagens e instalações, móveis e utensílios, o BNDES Crédito Direto Médias Empresas poderá destinar para capital de giro até 40% do valor contratado. Os gastos podem ocorrer em até 5 anos.

O prazo total de pagamento será de até 120 meses para investimentos (incluindo até 24 meses de carência) e de 48 meses para giro (incluindo até 12 meses de carência). O custo financeiro será a Taxa de Longo Prazo (TLP), mais spread de risco e remuneração básica, que varia de 1,7% ao ano (para investimentos) a 2,1% ao ano (para capital de giro). O banco apoia a totalidade dos itens financiáveis.

 

BNDES lança em Joinville linha de financiamento para médias empresas

Ovandi Rosenstock, diretor da Abimaq para SC

 

O diretor da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) para Santa Catarina, Ovandi Rosenstock, ressaltou a importância do crédito para que as médias empresas brasileiras possam atingir bons resultados diante do mercado competitivo e fez um apelo: “Mais do que nunca precisamos do apoio do BNDES. A indústria brasileira precisa de mais prazo para pagar e de um juro mais compatível com a economia mundial”.

Adequação – Segundo o BNDES, o desenho da nova linha de crédito buscou moldar-se à realidade das empresas médias, ao mirar no tipo de investimento que companhias desse porte de fato realizam. Com prazo de utilização mais longo e possibilidade de apresentar o detalhamento dos projetos na fase de desembolsos, o produto busca facilitar o alcance do valor mínimo de R$ 10 milhões e dá às companhias grande flexibilidade na elaboração e implementação de seus planos estratégicos.

 

Com prazo mais longo e possibilidade de detalhar os projetos na fase de desembolsos, a linha busca facilitar o alcance do valor mínimo de R$ 10 milhões e flexibiliza elaboração e implementação de planos estratégicos.

 

A ideia de oferecer um produto customizado para a necessidade do perfil de cliente foi a mesma que orientou a criação do BNDES Crédito Pequenas Empresas, lançada no mês passado e que tem como principal atributo a agilidade e como foco a geração de empregos por empresas de micro e pequeno porte. As duas linhas compõem o novo portfólio do BNDES para as MPMEs, segmento que já responde por mais de 40% dos desembolsos do banco público.

Palestras e negócios – Além de apresentação de Levy, o Dia BNDES da Média Empresa ofereceu palestras sobre acesso ao crédito, ministradas por técnicos do BNDES e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A programação do evento também inclui atendimento empresarial e agendamento de reuniões de negócios. Bradesco, Itaú, Santander e Desenvolve SP, agentes financeiros repassadores de uma série de linhas do BNDES, participaram como convidados.

O presidente do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, lembrou que há quase 60 anos a instituição atua fortemente no estado de Santa Catarina. Segundo ele, em 2018, a carteira do banco totalizou R$ 13,5 bilhões em crédito. “Nossos esforços agora estão em ampliar a capacidade de fornecer o crédito e fomentar a economia nesse momento que a economia vive essa expectativa de uma retomada e uma guinada”, afirmou.

Durante o evento, foi apresentado o caso da empresa regional Krona, fabricante de tubos, conexões e acessórios de PVC que cresceu de média para grande com apoio do BNDES. A empresa, instalada no Perini Business Park, foi visitada por Joaquim Levy, cuja agenda em Joinville inclui ainda visita à empresa catarinense de tecnologia industrial Pollux.

O evento, que teve ainda a participação do prefeito de Joinville, Udo Döhler, faz parte da diretriz do BNDES de fomentar novos negócios e se aproximar de potenciais clientes. Na avaliação da instituição, há segmentos ainda não atendidos na sua carteira, mas que já superaram barreiras de crescimento e agora precisam aumentar produtividade e governança, atributos com que um banco de desenvolvimento pode contribuir por meio de crédito e expertise setorial.

“O BNDES está aberto, buscando estar mais próximo do cliente. Nossas equipes estão indo a diversas cidades, conversando com empresas, e adaptando os nossos produtos para atender cada vez melhor nossos clientes”, ressaltou Levy.

 

Assista à íntegra do evento em vídeo: