Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

18:55 23 de June de 2024

Por: Agência BNDES de notícias

Publicação:16:53 17/04/2023 |AGRICULTURA |COMÉRCIO E SERVIÇOS

Ultima atualização: 13:05 17/10/2023

BNDES lança crédito rural em dólar mais competitivo para o setor agroexportador do Brasil

BNDES cria solução financeira para contribuir com a consolidação do país na liderança da produção e exportação de produtos agrícolas

A expectativa é de potencial de crédito superior a R$ 2 bilhões por ano

Produtores rurais passam a contar a partir de maio com mais uma alternativa no BNDES para financiamento

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou o uso de uma taxa fixa, em dólares americanos, para operações no âmbito do produto BNDES Crédito Rural para a aquisição de máquinas e equipamento agrícolas. O objetivo é ampliar e diversificar alternativas de crédito agropecuário a custos mais competitivos para esse segmento, intensivamente exportador.

Atualmente, o produtor rural conta com três tipos custos financeiros básicos na formação da taxa final para o financiamento do BNDES Crédito Rural: Taxa Selic, TLP (Taxa de longo prazo do BNDES) ou a Taxa Fixa do BNDES. Com a criação de uma linha com taxa fixa em dólares, a expectativa é de potencial de crédito superior a R$ 2 bilhões por ano para operações que utilizem esse custo financeiro. A novidade deve contribuir para a ampliação da mecanização, renovação e atualização tecnológica da frota de tratores e colheitadeiras agrícolas, viabilizando maior produtividade no campo.

O presidente Aloizio Mercadante destacou que, para receber o crédito rural em dólar, o agricultor tem que apresentar recebíveis em dólar. “Não queremos transferir risco cambial para o agricultor. É uma condição muito favorável, fixa, que permite planejamento e segurança. Queremos uma agricultura inovadora, digital, de precisão, para reduzir custos e riscos. Temos um caminho muito promissor, para um setor que exportou R$ 159 bilhões no ano passado. A força do Brasil na questão ambiental e presença do presidente Lula abre portas para que surjam mais soluções e mercados sejam abertos”, explicou.

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, afirmou que “o Brasil voltou ao cenário internacional e a demanda é muito grande, o que gera oportunidades para vender mais, gerando empregos no Brasil. Precisamos buscar alternativa de custos, a equipe do BNDES entendeu a lógica e essa linha vem solucionar essa demanda para o exportador sem gerar custos para o Tesouro Nacional“, concluiu.

O diretor financeiro do BNDES, Alexandre Abreu, disse: “Encontramos uma situação que se encaixava perfeitamente para produtores com recebíveis em dólar. Aproveitando um bom momento para captações internacionais em que o BNDES preserva seus ganhos normais e pode oferecer uma taxa fixa mais barata, em 7,59% ao ano, mais variação cambial, para aquisição de máquinas e implementos para atividade agropecuária”, esclareceu.

A nova linha contará com prazos totais que vão desde 25 a 120 meses e prazo de carência de até 24 meses. Além disso, essa nova solução financeira partirá de um custo final ao produtor rural em torno de 7,59% ao ano, acrescido da variação cambial, que é extremamente competitivo se comparado a soluções semelhantes disponíveis no mercado.

Para obter o financiamento, o produtor rural deve buscar um dos agentes financeiros credenciados ao BNDES (https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/instituicoes-financeiras-credenciadas/), que atualmente conta com mais de 70 instituições, entre bancos públicos e privados, bancos de desenvolvimento regionais, bancos cooperativos e cooperativas de crédito, além de bancos de montadoras.

No site do a página do BNDES (https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/consulta-operacoes-bndes/credito-rural-desempenho-operacional), é possível observar estatísticas dos principais agentes financeiros que operam a linha de crédito rural.

Criado em 2020, o BNDES Crédito Rural é um produto financeiro não subsidiado que utiliza recursos do BNDES de forma complementar aos Programas Agropecuários do Governo Federal (PAGF). Os PAGF contam com recursos equalizáveis do Tesouro Nacional e são objeto de alta demanda por parte do setor agrícola brasileiro, o que ocasiona rápido consumo do orçamento. Como o BNDES Crédito Rural não é passível de equalização, atua de forma a tornar o funding mais estável e previsível para o setor, que poderá contar com a nova modalidade com recursos captados em moeda estrangeira. A expectativa é de que o BNDES Crédito Agrícola em Dólar esteja disponível para os clientes nos agentes financeiros a partir de maio.

Com mais esse fortalecimento da política de crédito, o BNDES segue na direção de maior intensificação da produção, adoção de boas práticas e sustentabilidade contribuindo para o avanço do país em questões econômicas, sociais e ambientais.

O BNDES Crédito Rural já aprovou, em três anos, R$ 11,2 bilhões em crédito em mais de 25 mil operações, com a participação de 20 agentes financeiros (bancos e cooperativas de crédito). Cerca de 98% das operações aprovadas no âmbito do BNDES Crédito Rural são para micro, pequenas e médias empresas, o que representa 90% do valor total financiado.

Agricultura – A estratégia de atuação do BNDES na agricultura tem focado no apoio a investimentos que gerem aumento da produtividade e sustentabilidade por meio da difusão de novas tecnologias, e assim, contribuir para a ampliação da segurança alimentar, energética e das exportações.