BNDES - Agência de Notícias

Wed Feb 26 21:01:02 UTC 2020 Wed Feb 26 21:01:02 UTC 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:17:18 15/01/2020 |INTERNACIONAL

Ultima atualização: 17:57 15/01/2020

André Teles/BNDES
Presidente do BNDES, Gustavo Montezano, e vice-presidente do EKF, Jan Vassard, durante cerimônia realizada nesta quarta-feira, 15, na sede do BNDES no Rio

• Acordo firmado com a EKF prevê troca de informações sobre possíveis operações em comum e abre possibilidades a novos investimentos no Brasil 

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Agência de Crédito à Exportação da Dinamarca (EKF) firmaram nesta quarta-feira, 15, memorando de entendimento para promover a cooperação entre as duas partes. Com vigência de 2 anos, o termo poderá ser renovado por igual período. Participaram da cerimônia de assinatura do acordo, realizada na sede do Banco, no Rio, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, e o vice-presidente do EKF, Jan Vassard.

Pelo memorando, BNDES e EKF se comprometem a cooperar com o desenvolvimento das relações econômicas, financeiras, industriais e comerciais entre Brasil e Dinamarca. De acordo com o presidente do Banco, Gustavo Montezano, é crucial para o Brasil, hoje, dispor de diferentes parceiros internacionais. “Colaboração é a palavra-chave”, sintetizou, destacando que o conhecimento acumulado pelo BNDES em 67 anos é um ativo que o banco pretende compartilhar.

O acordo prevê a troca de informações sobre possíveis operações em comum, identificando aspectos que possam ser considerados obstáculos em futuras operações de cofinanciamento ou garantia. O executivo reiterou que o sucesso do BNDES “não será mais medido pelo desembolso, mas pela quantidade de negócios atraídos para o Brasil”.

BNDES e EKF já realizaram operações de cofinanciamento, com destaque para o apoio à Margem Companhia de Mineração. A aproximação firmada nesta quarta representa nova oportunidade de negócios, considerando a inserção, no mercado nacional, de empresas constituídas ou com atuação na Dinamarca, especialmente no setor de energia eólica, tais como Vestas e Siemens Gamesa, ambas inclusive com fábricas de aerogeradores instaladas no Brasil.

Além disso, a cooperação abre também possibilidades de exportação do Brasil para a Dinamarca. A discussão de possibilidade de novas estruturas financeiras que envolvam a parceira de BNDES e EKF poderá viabilizar a realização de operações que promovam investimentos no interesse dos dois países.

O BNDES vislumbra ainda uma oportunidade de aprimorar seus conhecimentos sobre novos mecanismos que permitam o apoio às exportações, o que pode ser especialmente útil no momento atual, em que o Banco é chamado a contribuir com a reestruturação do sistema de apoio oficial às exportações no Brasil.

Instituição parceira – A EKF é uma empresa integralmente controlada pelo Estado dinamarquês e apoia as exportações e a internacionalização de empresas dinamarquesas, mediante a concessão de crédito e garantias, de modo a viabilizar a atividade exportadora e cobrir riscos políticos e comerciais.

Em 2018, a EKF ajudou a Dinamarca a gerar mais de US$ 5 bilhões em receita, bem como a criação e manutenção de 14,6 mil empregos. A empresa terminou o ano de 2018 com cerca de US$ 5 bilhões em novas garantias prestadas e aproximadamente US$ 13 bilhões em compromissos assumidos. A receita líquida foi de cerca de US$ 92 milhões.

Embora os principais clientes da EKF sejam pequenas e médias empresas, a instituição tem aumentado sua participação em projetos de infraestrutura em outros países, sobretudo no segmento de energia eólica. Sobretudo por esse aspecto — no qual o BNDES também tem atuação relevante —, o vice-presidente do EKF, Jan Vassard, considerou que o acordo firmado hoje é uma expansão natural na cooperação entre as duas instituições, e que “será benéfica para ambos os países”.