Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

06:35 18 de May de 2024

Publicação:13:03 08/05/2024 |ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA |INFRAESTRUTURA |MEIO AMBIENTE |SUL

Ultima atualização: 14:24 08/05/2024

Governo do Paraná

BNDES e Paraná iniciam estruturação de projeto de VLT elétrico em Curitiba

  • Veículo Leve sobre Trilhos - VLT substitui corredor de BRT do Terminal Boqueirão à Praça Carlos Gomes (Eixo Boqueirão)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o governo do Paraná deram início, nesta quarta-feira, dia 8, ao projeto que prevê a implantação de Veículo Leve sobre Trilhos - VLT e prestação de serviços de operação e manutenção, substituindo o corredor de BRT que interliga atualmente o Terminal Boqueirão e a Praça Carlos Gomes (Eixo Boqueirão). O projeto contempla ainda a expansão do serviço de transporte, ao sul, até o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e, ao norte, a ser definido nos estudos técnicos.

Reunião realizada no Palácio Iguaçu, em Curitiba, deu início aos trabalhos e contou com a presença da superintendente do BNDES, Luciene Machado, do vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, do diretor-presidente da Agencia de Assuntos Metropolitanos do Paraná (Amep), Gilson dos Santos, da prefeita de São José dos Pinhais, Nina Singer, e de representantes do consórcio TYLin-Oficina-Rhein-Addax-Setec, contratado pelo Banco para estruturar o projeto de concessão de serviços de transporte sobre trilho.

20240508_AGB_AMEP VLT-5Foto: Governo do Paraná


O projeto visa aprimorar a Rede Integrada de Transporte ao reaproveitar a infraestrutura existente. O novo corredor sobre trilhos deverá inovar a mobilidade urbana da região, com maior confiabilidade nas viagens, estações multimodais e a conversão significativa para transporte de tração elétrica.

“O VLT a ser estruturado na região metropolitana de Curitiba deverá proporcionar uma melhoria no sistema de transporte público da região, oferecendo mais conforto, confiabilidade e segurança ao usuário. Trata-se de um indutor para a requalificação urbana das áreas atendidas, com melhoria das condições ambientais”, explicou o diretor de Planejamento do BNDES, Nelson Barbosa.

Da parte do Estado do Paraná, o projeto contará com acompanhamento da Secretaria das Cidades (SECID) e da Agência de Assuntos Metropolitanos do Paraná (AMEP), que terá o suporte do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Participam também dos trabalhos, pelo município de Curitiba, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) e a Urbanização de Curitiba S.A. (URBS), e, pelo Município de São José dos Pinhais, a Secretaria de Urbanismo, Transporte e Trânsito.

A previsão é que a entrega dos estudos para a nova modelagem e para a concessão ocorra no primeiro trimestre do próximo ano, com a realização de consulta e audiência pública e publicação do edital de leilão até junho de 2025. O leilão deve ocorrer até setembro do mesmo ano.

Capa1Foto: Governo do Paraná