Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

08:22 30 de November de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:13:30 22/11/2022 |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS

Ultima atualização: 13:41 22/11/2022

Shutterstock

- Ação da Fundação Dom Cabral ampliará competências técnicas de gestão, contribuindo para o crescimento de negócios locais de empreendedores em situação de vulnerabilidade social

- Iniciativa do Centro de Inovação para a Educação Brasileira promoverá o uso de tecnologias educacionais em redes públicas de ensino

- Projetos contam com o apoio conjunto do BNDES e Movimento Bem Maior, em uma parceria que mobilizou R$ 53 milhões para iniciativas sociais em microempreendedorismo e educação 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o Movimento Bem Maior (MBM), apoiará a capacitação em gestão de cerca de 30 mil empreendedores de baixa renda de todo o Brasil. A ação se dará por meio do Movimento Pra>Frente, da Fundação Dom Cabral (FDC), que disponibiliza uma plataforma com conteúdos em vídeo, podcasts, e-books e testes que abordam os principais desafios enfrentados por esse público. A iniciativa, que receberá apoio de R$ 6,3 milhões do BNDES Fundo Socioambiental, contará ainda com a contrapartida de R$ 2,5 milhões em recursos do MBM. Os investimentos totais somarão R$ 12,7 milhões. 

A expectativa é de que, pelo menos, 30 mil pessoas sejam capacitadas até 2025, com foco em mulheres, pretos, pardos e jovens empreendedores. Poderão ser contemplados pela iniciativa pessoas em situação de vulnerabilidade e de baixa renda, como trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI) e desempregados de todo o Brasil que necessitem do apoio para geração de renda por meio do empreendedorismo.

Os conteúdos da plataforma direcionados aos empreendedores estão organizados em séries completas que abordam temas determinados e visam solucionar problemas e desenvolver competências como, por exemplo, em vendas e finanças. 

Além disso, os empreendedores terão acesso à mentoria oferecida pela plataforma, por meio da qual receberão orientação individualizada e apoio psicossocial de mentores voluntários. Isso possibilitará o compartilhamento de experiência e novas ideias. Esses mentores voluntários serão capacitados em ambiente próprio da plataforma para realizar o suporte aos empreendedores.

“Os desafios sociais do Brasil são imensos. Para enfrentá-los precisamos de soluções inovadoras e o empreendedorismo popular se apresenta como um caminho possível e viável para o combate à desigualdade social que insiste em se manter no âmbito da nossa sociedade. A FDC é reconhecida no mundo e temos um compromisso ético com o Brasil. Não podemos ficar indiferentes diante do persistente ciclo de pobreza e da gigantesca desigualdade social no nosso país. E para combater problemas complexos e estruturais precisamos agir juntos, com parceiros de vários setores: públicos, privados e do terceiro setor. Esta parceria representa exemplo de um esforço conjunto de atuação para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, afirma Ana Carolina Almeida, líder do Movimento Pra>Frente do FDC - Centro Social Cardeal Dom Serafim.

Transformação digital da educação pública brasileira

Outro projeto aprovado pelo BNDES e o Movimento Bem Maior é o Jornada Escola Conectada, do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) A iniciativa promoverá o desenvolvimento, implementação e disseminação do uso de tecnologias educacionais em redes públicas de ensino. O projeto terá duração de dois anos e será realizado em parceria com organizações sociais, que prestam apoio técnico e atuam junto a Secretarias de Educação.

Por meio da Jornada Escola Conectada, 127 profissionais da educação terão suas competências fortalecidas para planejar e implementar a incorporação de tecnologias na rede, beneficiando 966 escolas e mais de 279 mil alunos. O domínio da tecnologia contribuirá para a gestão eficiente dos recursos escolares bem como para o acesso a recursos federais.

“A parceria de órgãos governamentais e organizações do terceiro setor, como CIEB, é fundamental para estimular um ecossistema de inovação na educação pública. Nosso intuito com essa iniciativa é potencializar uma metodologia de apoio técnico escalável que possa ser multiplicada pelo Brasil e contribua com o desenvolvimento de escolas conectadas”, afirma Lúcia Dellagnelo, diretora-presidente do CIEB.

Com investimentos totais estimados em R$ 5 milhões, o projeto contou com o apoio de R$ 2,5 milhões em recursos do Fundo Socioambiental do Banco e R$ 1,75 milhão do MBM. 

BNDES e Movimento Brasil Maior

A parceria entre BNDES e MBM decorre de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) firmado em setembro de 2021. Ela tem objetivo de apoiar projetos que contribuam para gerar transformação social positiva no país. O ACT estabelece três focos de atuação: empreendedorismo, inclusão produtiva e educação. 

Além das iniciativas da FDC e do CIEB, outros quatro projetos receberam apoio no âmbito da parceria entre BNDES e MBM. São iniciativas do Instituto Iungo, do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação, da Fundação Amazônia Sustentável e do Instituto Rodrigo Mendes, todos focados no setor de educação. Ao todo, esses seis projetos receberão R$ 26,5 milhões do Fundo Socioambiental e R$ 14,5 milhões do MBM. 

Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, aponta que “o apoio em conjunto com parceiros privados nas agendas educacional e de empreendedorismo fortalece o engajamento do setor corporativo na Agenda ASG, contribuindo para um resultado mais efetivo dos projetos. Com essa parceria, vamos capacitar até 30 mil empreendedores de baixa renda e impactar positivamente até 17,3 mil escolas e 3,8 milhões alunos de municípios de todo o Brasil. Assim, a parceria com o MBM potencializa a atuação do BNDES nessa agenda e é um modelo que queremos escalar com mais interessados”.

"A sociedade tem a responsabilidade e a possibilidade de optar por ações coordenadas, colaborativas e intersetoriais na busca de soluções para os desafios estruturais do país. A parceria entre o BNDES e o MBM marca a abertura de um novo caminho onde a soma de esforços entre público e privado resulta em mais investimento social e mais impacto sistêmico", destaca Carola Matarazzo, diretora executiva do Movimento Bem Maior.

Sobre o BNDES – Ao longo de seus 70 anos de história, o BNDES foi o principal instrumento de Governo para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira, além de ser um dos principais financiadores de micro, pequenas e médias empresas do país. O Banco também tem importante atuação anticíclica em momentos de crise, como um dos formuladores das soluções para a retomada do crescimento da economia. Atualmente, o BNDES atua com foco na criação e manutenção de empregos, na melhoria dos serviços públicos do Brasil, como educação, saúde e saneamento, além de apoiar o país na transição justa para uma economia neutra em carbono. O Banco tem como propósito transformar a vida de gerações, promovendo o desenvolvimento sustentável.

Sobre o MBM – Fundado em 2018, o Movimento Bem Maior (MBM) é uma organização social apartidária, sem fins lucrativos, que atua identificando, conectando e viabilizando importantes iniciativas de impacto social com o objetivo de fortalecer a filantropia no Brasil. Por meio do investimento social, da mobilização de lideranças e da articulação intersetorial, o MBM contribui para a construção de uma sociedade mais inclusiva, diversa e justa para todos. Mais informações: http://www.movimentobemmaior.org.br.

Sobre o CIEB - O Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) é uma organização sem fins lucrativos que promove a cultura de inovação e o uso da tecnologia na educação pública brasileira. Por meio de diversas iniciativas, a organização apoia a formulação de políticas públicas, desenvolve conceitos e ferramentas, e integra múltiplos atores e ideias com o objetivo de garantir uma educação com qualidade, equidade e contemporaneidade para todas as pessoas. Mais informações: http://www.cieb.net.br.

Sobre a FDC – A Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira que há 46 anos tem a missão de contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da educação, capacitação e desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. Em 2020 a escola criou o FDC – CSCDS (Centro Social Cardeal Dom Serafim), que apoia jovens em situação de vulnerabilidade social, empreendedores populares, organizações sociais e seus gestores, por meio do desenvolvimento e capacitação e um programa afirmativo de concessão de bolsas de estudos. Em 2021, a escola lançou o Programa de Diversidade, Equidade e Inclusão, com indicadores e metas para acelerar a inclusão de grupos sociais minorizados nas salas de aula da escola e nas empresas brasileiras.