Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

08:23 30 de November de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:09:52 30/06/2022 |INSTITUCIONAL |INTERNACIONAL |MEIO AMBIENTE

Ultima atualização: 10:10 30/06/2022

- Encontro antecede reunião de bancos de desenvolvimento internacionais na cidade

- Evento contou com especialistas do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), Universidade de Oxford, entre outros

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) promoveu, nesta quarta-feira (29/06), um workshop sobre Soluções Baseadas na Natureza (NBS na sigla em inglês). O evento realizado em Manaus/AM antecede o Encontro do Grupo Diretor do Clube de Desenvolvimento Financeiro Internacional (IDFC na sigla em inglês), entidade que representa 27 dos principais bancos de fomento do mundo. Ao longo dos próximos dois dias, o grupo fará reuniões e visitas a importantes marcos do desenvolvimento amazônico, como o Instituto Nacional de Pesquisas Amazônica (INPA).

NBS referem-se ao uso de recursos e processos naturais para os desafios socioambientais do planeta, seja para os efeitos das mudanças climáticas, seguranças hídrica e alimentar, saúde pública, proteção à biodiversidade ou gestão de riscos para desastres ambientais. Durante o workshop, seu conceito foi ampliado não somente como formas de mitigar esses efeitos, mas também no papel que a natureza pode prover como ferramenta de desenvolvimento socioambiental. Foram quatro painéis intitulados “O que são NBS e como eles podem ser usados para ajudar a sociedade na adaptação à mudança climática”; “O atual estado das NBS: onde precisamos de mais pesquisa?”; “Como reforçar Soluções Climáticas Naturais nos Bancos de Desenvolvimento”; e “Financiando NBS: ênfase nas prioridades setoriais”.

Ao longo do dia, executivos e especialistas definiram uma série de prioridades que devem pautar o trabalho dessas instituições para o tema. Entre elas, a padronização de uma taxonomia sobre as NBS comum entre todos; uma agenda única entre as instituições para a COP-27, no Egito; o reforço na consolidação de parcerias entre setores público e privado; o compartilhamento de experiências (sucessos e fracassos) entre as instituições; e o estabelecimento de metas e determinações que foquem na transição justa e nos benefícios sociais de cada ação.

Nas palavras do presidente Gustavo Montezano, promover um workshop como esse na maior cidade da Amazônia tem um caráter prático importante porque vai associar a discussão teórica de exemplos concretos, com os participantes podendo conhecer os efeitos que as políticas voltadas para este tema podem ter na vida das pessoas que aqui residem. “Enquanto representantes de instituições voltadas para o desenvolvimento socioambiental é importante estarmos aqui discutindo e chegando a consensos, mas também estimulando o debate com as divergências que vamos encontrar ao longo do caminho. E isso será importante para o resultado final, que é o efeito prático dessas políticas”, celebrou.