Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Sat Jan 28 16:40:12 CET 2023 Sat Jan 28 16:40:12 CET 2023

Publicação:11:25 23/12/2022 |EDUCAÇÃO

Ultima atualização: 15:25 28/12/2022

Agência BNDES

- Iniciativa terá como foco os adolescentes de 11 a 14 anos na etapa de transição para o Ensino Médio, marcada por elevados índices de evasão escolar  

- A expectativa é de que 31.500 alunos de 405 escolas sejam beneficiados

- Chamadas públicas de seleção priorizarão municípios em situação de vulnerabilidade de todas as regiões do país

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Fundação Raízen apoiarão a formação continuada de professores de redes públicas de ensino, assim como o fortalecimento da gestão escolar em 90 municípios brasileiros. A iniciativa levará em conta critérios de vulnerabilidade educacional e socioeconômica na seleção dos municípios a serem contemplados e a expectativa é de que 31.500 alunos de 405 escolas sejam beneficiados. 

Totalizando R$ 16,2 milhões em investimentos, o projeto receberá apoio financeiro não reembolsável do BNDES de R$ 8,1 milhões, com recursos do Fundo Socioambiental, valor correspondente a 50% do custo total. Os 50% restantes serão aportados pela própria Fundação Raízen.

"O BNDES estabeleceu como uma de suas prioridades atuar para a melhoria da qualidade da educação nas redes públicas com a redução das desigualdades educacionais no país. Somente nesses últimos anos, estamos atuando em projetos que beneficiam mais de 20 mil escolas públicas e aproximadamente 4 milhões de alunos, quase 10% do total nacional, com ações estruturantes como tecnologia, infraestrutura, capacitação e gestão. Queremos mais parceiros, como a Fundação Raizen, para unir esforços e levar mais resultados para a nossa sociedade, com melhoria de oportunidades para jovens e crianças de todo Brasil", comenta Bruno Aranha, Diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES.

A iniciativa terá foco os anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), a qual corresponde à etapa regular do adolescente de 11 a 14 anos. Nessa etapa, que marca a transição para o Ensino Médio, concomitante à passagem da infância para a adolescência, que problemas de distorção idade-série, de dificuldades de aprendizagem e de desinteresse pelos estudos, podem levar ao abandono e evasão escolar. 

Dessa forma o projeto focará na concretização de competências socioemocionais na sala de aula, em linha com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), contribuindo com o engajamento, frequência e permanência dos jovens nas escolas. 

“O momento de expansão da Fundação Raízen reforça nosso compromisso com a sociedade por meio de uma rede de negócios comprometida com o futuro. Queremos deixar um legado ao contribuirmos com a educação do nosso país, levando impacto social para municípios que vão muito além de onde atuamos.”, afirma Ricardo Mussa, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Raízen e CEO da Raízen.

O projeto se dará em três frentes e atenderá, ao longo de quatro anos, escolas públicas de 90 municípios: 10 no primeiro ano de execução do projeto, 40 no segundo ano e 40 no terceiro. A implementação do projeto em cada localidade é prevista em 12 meses. 

Na primeira frente, está prevista a realização de um diagnóstico da gestão escolar, que mapeará boas práticas e desafios tendo em conta o contexto do território e da comunidade escolar para avaliar os planos pedagógicos e as práticas pedagógicas das escolas. A partir daí, o projeto construirá com os gestores de cada escola um plano de fortalecimento do processo de gestão. 

A segunda frente visa contribuir para que os professores estejam aptos para aplicar novas práticas pedagógicas em sala de aula e com capacidade de promover o desenvolvimento de competências socioemocionais. 

A terceira frente refere-se à execução do programa junto à comunidade escolar. Sob a liderança de um educador em cada escola, será desenvolvido o projeto de mobilização, com foco no acolhimento dos estudantes. As escolas deverão contar, também, com a participação de ex-alunos como forma de inspiração, compartilhamento de conhecimentos e promoção de engajamento. 

A Fundação Raízen tem como objetivo ampliar oportunidades para crianças e jovens em vulnerabilidade social. Por meio do programa Ativa Juventude, voltado para o desenvolvimento de competências socioemocionais, a Fundação Raízen atende atualmente mais de 2.500 jovens de escolas públicas que estão na transição para o Ensino Médio. Além disso, a instituição atende 220 crianças por meio do programa Ativa Infância, com uma atuação baseada no afeto e no cuidado e tem como fundamento a parceria entre famílias e a comunidade escolar.