Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

10:10 30 de novembro de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:19 24/11/2022 |INOVAÇÃO |MEIO AMBIENTE |SAÚDE

Ultima atualização: 11:27 24/11/2022

Depositphotos

· Já foram contratados 17 projetos de desenvolvimento de tecnologia e outros dois estão em análise
· Apoio total de R$ 170 milhões pode mobilizar até R$ 510 milhões

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) já contrataram 17 projetos no âmbito do acordo anunciado na COP26, em 2021. A iniciativa tem como objetivo estimular o desenvolvimento de soluções inovadoras por parte de empresas nacionais. As áreas de foco são transformação digital, defesa, novos materiais e quatro temas relacionados à sustentabilidade social e ambiental: bioeconomia florestal, biocombustíveis, economia circular e tecnologias estratégicas para o Sistema Único de Saúde.

 
A área com maior volume de projetos é a de bioeconomia florestal (sete iniciativas), seguida de novos materiais (quatro). Considerando todos os 17 contratados, a parceria entre BNDES e Embrapii já viabilizou aportes de R$ 21,7 milhões. O acordo destinará no total R$ 170 milhões aos projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). 

Estima-se que a iniciativa promova até R$ 510 milhões em investimentos totais em inovação, já que o modelo operacional aplicado alavanca recursos privados ao exigir o cofinanciamento do setor empresarial e participação econômica de instituições de ciência e tecnologia (ICTs) nas ações apoiadas pela instituição. Os projetos contratados estão sendo desenvolvidos em nove unidades da Embrapii. 


Entre eles, há pesquisas para o desenvolvimento de fármacos destinados ao tratamento de câncer e de doenças inflamatórias intestinais, além de óleos para proteção de neurônios contra enfermidades que afetam o sistema nervoso (como doenças neurodegenerativas, isquemias ou derrames). Tecnologia aplicada na geração de energia a partir de biocombustíveis, novos sistemas de recarga de veículos elétricos e novos tecidos também são objetos de algumas pesquisas apoiadas. 


A parceria busca fomentar o desenvolvimento tecnológico na Região Norte, através de maior participação aos projetos desenvolvidos por empresas da Região, assim como por meio do credenciamento de novas ICTs da região Norte à rede de Unidades Embrapii.


“Até o momento, foram contratados seis projetos por empresas na Região Norte. Além disso, quatro novos institutos de pesquisa e universidades foram credenciados como Unidades Embrapii no Estado do Pará e de Tocantins, expandindo a atuação no Norte nos temas de bioeconomia florestal, economia circular”, declara o diretor de crédito produtivo e socioambiental, Bruno Aranha.


“A parceria firmada entre BNDES e Embrapii é uma contribuição consistente para o desenvolvimento de soluções orientadas pela agenda sustentável, em apoio ao setor empresarial brasileiro e à inovação na área de bioeconomia”, acrescenta o presidente da Embrapii, José Luis Gordon


Os aportes do BNDES, que são não reembolsáveis, provêm do BNDES Funtec - Fundo Tecnológico, cujo objetivo é reforçar e ampliar as oportunidades de fortalecimento das atividades de PD&I do setor industrial no País. A Embrapii possui uma rede de 89 unidades credenciadas – onde são realizadas as pesquisas selecionadas – com infraestrutura de ponta e pesquisadores qualificados para apoiar a indústria a superar seus desafios tecnológicos. 


Além disso, possui a vantagem de atuar em fluxo contínuo, ou seja, a qualquer momento a empresa pode desenvolver projetos, sem a necessidade de esperar edital e sem valor mínimo por projeto, permitindo o apoio à inovação com agilidade, flexibilidade e sem burocracia. Em média, os projetos apresentados pelo setor produtivo são contratados e iniciados em um mês. 

A Embrapii é uma Organização Social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) que fomenta inovação de empresas por meio da parceria com centros de pesquisa credenciados (Unidades Embrapii) e o setor empresarial. Quase mil empresas já receberam esse apoio, totalizando o desenvolvimento de aproximadamente 1,8 mil projetos, em um total de R$ 2,5 bilhões em investimentos.