Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

05:16 29 de June de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:16:31 13/06/2022 |INSTITUCIONAL

Ultima atualização: 11:01 14/06/2022

- BNDES será responsável pela aferição de conteúdo local do novo Navio de Apoio Antártico, da Marinha do Brasil

- Parceria contribuirá para o desenvolvimento e aumento da competitividade da cadeia de produção naval brasileira e a geração de empregos qualificados

- Iniciativa prevê possibilidade de concessão de financiamento dos investimentos aos fornecedores nacionais do projeto

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) celebrou nesta segunda-feira, 13 de junho, acordo de cooperação técnica (ACT) com a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON). O Banco fará a análise e certificação do conteúdo local dos equipamentos que serão utilizados na construção do Navio de Apoio Antártico (NApAnt), embarcação militar de superfície e de alta complexidade tecnológica da Marinha do Brasil (MB). A embarcação é destinada a prestar apoio às pesquisas realizadas na Estação Antártica Comandante Ferraz. 

“A iniciativa contribuirá para o desenvolvimento e aumento da competitividade da indústria naval brasileira, estimulando a inovação e agregação de valor aos bens de capital produzidos pelas empresas nacionais do setor”, diz Ricardo de Barros, Diretor de Operações do BNDES.

“É com grande expectativa e confiança no sucesso do projeto, que a EMGEPRON participa, em parceria com o BNDES e a Marinha do Brasil, em tão importante empreitada, que proporcionará à indústria naval brasileira ingressar no restrito círculo daquelas capazes de construir navios com capacidade de operar nas gélidas regiões polares”, diz o Diretor-Presidente da EMGEPRON, Edesio Teixeira Lima Junior.

O consórcio construtor, formado pelo Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) e pela Sembcorp Marine Specialised Shipbuilding, cujo nome da sociedade de propósito específico criada para este fim é Polar 1 Construção Naval SPE, foi selecionado pela Marinha do Brasil por meio de chamada pública. O BNDES também participou dessa fase, ajudando a verificar o índice mínimo de conteúdo nacional exigido (47,68%). O valor do contrato do projeto é cerca de R$ 691,7 milhões e a expectativa é de que 600 empregos diretos e 6 mil indiretos sejam gerados. 

Ao longo da construção do navio, até a sua efetiva entrega, prevista para 2025, o acompanhamento para comprovação do conteúdo local das máquinas, componentes e insumos utilizados será feito por meio do Portal CFI (Credenciamento Finame) do Sistema BNDES, em conformidade com os critérios e requisitos específicos elaborados em conjunto pelo Banco e a EMGEPRON. 

O acordo, que terá duração de quatro anos, permitirá ao BNDES partilhar o seu conhecimento sobre metodologia de aferição de conteúdo local, assim como obter expertise adicional no setor naval, que poderá ser utilizada para futuros credenciamentos no âmbito do CFI, que contribuirão para o fomento e incentivo à indústria local.

O BNDES prevê ainda a possibilidade de fomento à cadeia de fornecedores envolvida, financiando a compra de máquinas e equipamentos necessários à modernização de sua estrutura produtiva a fim de melhor atender às demandas do projeto. A iniciativa poderá servir de piloto para futuras apurações de conteúdo local em grandes projetos. 

O BNDES tem um longo histórico de apoio a indústria Naval. Já participou e apoiou projetos  de quatro navios militares de alta complexidade, denominados Fragatas Classe Tamandaré (FCT) e da construção das Fragatas Classe Tamandaré, entre outros.