Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Tue Jun 28 16:57:20 CEST 2022 Tue Jun 28 16:57:20 CEST 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:12:22 16/05/2022 |CULTURA |SUDESTE

Ultima atualização: 18:36 17/05/2022

Igreja dos Reis Magos, em Serra (ES)


• Edificações ganharão centros de interpretação e passarão a compor circuito jesuítico no Estado

• Projeto faz parte da Iniciativa Resgatando a História, que reúne BNDES e empresas parceiras para apoiar recuperação do patrimônio histórico e do acervo memorial brasileiro

Com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), serão restaurados o complexo da Igreja dos Reis Magos, em Serra (ES), e a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda, em Viana (ES). O projeto foi selecionado através da chamada pública da Iniciativa Resgatando a História, lançada em julho de 2021 pelo Banco, em conjunto com empresas parceiras.  A iniciativa tem o objetivo de conceder apoio financeiro à recuperação do patrimônio histórico e do acervo memorial brasileiro.

O BNDES destinará ao projeto R$ 4,5 milhões, em recursos não reembolsáveis, valor correspondente a 28,6% dos investimentos. Além do restauro das igrejas, cada uma delas ganhará um centro de interpretação, que utilizará diferentes formas de comunicação para melhorar o conhecimento sobre o patrimônio histórico, como programas multimídias e interativos. Com isso, passarão a compor, junto com o Santuário Nacional de Anchieta — que já possui um centro similar — e o Palácio Anchieta (sede do Governo do Estado), o circuito jesuítico do Espírito Santo. O projeto também prevê a realização de ações associadas de divulgação e de educação patrimonial, além da criação de um plano diretor para o entorno das igrejas.

“O Espírito Santo possui um rico patrimônio histórico, que conta uma parte relevante da história da formação territorial e econômica do País. O projeto apoiado pelo BNDES, por meio da iniciativa Resgatando a História, devolverá à sociedade dois patrimônios restaurados e equipados para contar essa história”, explica o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do Banco, Bruno Aranha. “Com a implantação dos centros de interpretação vamos contribuir para qualificar o patrimônio e fomentar o turismo na região”, comenta o executivo.

O projeto será executado pelo Instituto Modus Vivendi de Desenvolvimento Social, Cultural e Ambiental. Entre as ações previstas, estão o restauro de imagens sacras e obras de arte; e a implantação de instalações elétricas, hidrossanitárias e de combate a incêndio, sistema de proteção de descargas elétricas, luminotécnica, climatização e sonorização. Serão realizadas, ainda, obras de reforço estrutural e de melhoria da acessibilidade. Também serão instaladas lojas de produtos locais e cafeterias nos centros de interpretação.

Para a presidente do Instituto Modus Vivendi, Erica Kunkel Varejão, o trabalho ajudará a resgatar e preservar parte importante da história nacional por meio dos monumentos, que estão em excelente estado. “O roteiro apresentará, dentro do conceito interpretativo, a influência dos jesuítas para os habitantes da época, relatando o modo de vida dos aldeamentos indígenas e dos povos escravizados. Trará um conteúdo histórico completo”, declara.

Monumentos tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), as duas igrejas são representativas da história da passagem dos jesuítas no Espírito Santo. A dos Reis Magos forma um complexo que é composto ainda por uma antiga residência, que também funcionou como colégio de catequese indígena, e pela praça em frente à igreja. O complexo está inserido no Aldeamento dos Reis Magos, núcleo de catequese indígena que funcionou entre os séculos XVI e XVIII e é considerado um dos maiores aldeamentos jesuíticos do Brasil.

A Igreja de Nossa Senhora da Ajuda faz parte de um conjunto arquitetônico formado também pelo cemitério localizado em seu entorno, que continua ativo até hoje, e pelas ruínas da antiga residência jesuíta. Estima-se que sua construção tenha sido feita pelos jesuítas no início do século XVIII, como parte da antiga fazenda de Araçatiba, propriedade que fornecia o sustento das aldeias jesuíticas e do Colégio em Vitória (atual Palácio Anchieta, sede do Governo do Estado).

Em abril, o BNDES anunciou o a reabertura da Igreja Matriz dos Santos Cosme e Damião, considerada a mais antiga em funcionamento no país. O Banco apoiou o restauro do edifício histórico, localizado em Igarassu (PE), na região metropolitana do Recife, com R$ 4,2 milhões em recursos não reembolsáveis. A construção agora passa a contar com espaço expositivo em sua casa paroquial.

Sobre o BNDES — Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.

Sobre o Instituto Modus Vivendi — A entidade é uma associação civil sem fins econômicos sediada em Vitória (ES). Foi criada em 2007, com o objetivo de preservar a história e a memória capixaba. Hoje é uma das principais instituições de preservação de patrimônio no Espírito Santo, com destaque para os projetos de restauração da Catedral de Vitória, do Convento de Nossa Senhora do Carmo, do Museu Nacional Padre José de Anchieta, e da Igreja do Rosário em Vila Velha. O instituto também atua na edição e publicação de livros, contribuindo para a preservação da memória do Estado.

Resgatando a História - O Resgatando a História é uma ação conjunta entre o BNDES, AMBEV, EDP, MRS, Instituto Neoenergia e Instituto Cultural Vale. Por meio dela viabilizará o apoio a 21 projetos de restauro e revitalização do patrimônio histórico nacional escolhidos por meio de uma seleção pública.