BNDES - Agência de Notícias

01:16 24 de Setembro de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:17:22 16/06/2020 |CULTURA |SUDESTE

Ultima atualização: 18:06 16/06/2020

Fotos: Ascom/Diocese de Petrópolis
Vista externa da Catedral Imperial, inaugurada em 1925 (esq.); os vitrais da igreja (dir.)

• Perspectiva de incremento anual à economia local é estimada em R$ 10 milhões, com o aumento do turismo na cidade histórica

• Restauro possibilitará reabertura à visitação do mausoléu do imperador dom Pedro II e da imperatriz Teresa Cristina

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou projeto para a revitalização urbana do Centro Histórico de Petrópolis (RJ), por meio da restauração da Catedral de São Pedro de Alcântara, também conhecida como Catedral Imperial. Serão feitos o restauro externo e interno do edifício, além da implantação de uma galeria de exposições. Depois da obra, haverá a reabertura para visitação ao público do mausoléu onde se encontram os restos mortais da família Imperial. Atualmente, todas as áreas superiores da catedral (órgão, coro, torres e telhado), assim como o mausoléu, encontram-se fechados para visitação.

A estimativa é que a restauração da catedral, com a abertura de novas áreas para visitação, aumente o interesse de turistas de conhecerem a igreja ou a revisitarem. O projeto reforçará a vocação da cidade de Petrópolis como polo de turismo histórico-cultural no Brasil, devendo atrair 30 mil novos visitantes anualmente, levando um incremento anual na economia local da ordem de R$ 10 milhões.

 

área central da catedral

Área central da Catedral de São Pedro de Alcântara, em Petrópolis

 

O apoio será de R$ 13,1 milhões, o que representa 98% do investimento global, que é de R$ 13,4 milhões. O investimento permitirá a recuperação de um equipamento cultural de destaque e destinará novos espaços às atividades culturais da cidade. O projeto foi proposto pela Mitra Diocesana de Petrópolis, no âmbito do BNDES Fundo Cultural, e faz parte de um conjunto de investimentos que vêm sendo implementados para promover a cidade como destino turístico relevante. O apoio financeiro do BNDES será não reembolsável, ou seja, uma vez executado todo o projeto, não há necessidade de quitação financeira do empréstimo.

A restauração da catedral será dividida em três ações. Haverá o restauro externo do edifício, abrangendo, entre outros, a recuperação da cobertura e do madeiramento estrutural, elementos de ornamentação e calhas, recolocação das rosáceas e modernização de toda parte elétrica no interior e exterior da igreja, assim como instalação de sistema de combate a incêndio. Também serão realizados o restauro e a requalificação interna, com recuperação de elementos artísticos.

O projeto prevê ainda a implantação de uma galeria expositiva nos dois primeiros pavimentos da torre que antecedem o sino. Nas suas cúpulas e agulhas neogóticas serão instaladas uma passarela e telas de projeção para contar a história da construção da catedral, bem como exibir documentos históricos da fundação da cidade. A nova área permitirá a visitação do público à torre, com sua altura de 70 metros e vista panorâmica da cidade.

Catedral Imperial – Idealizada durante a fundação de Petrópolis, em 1843, como uma igreja em louvor a São Pedro de Alcântara, padroeiro da cidade, possui uma planta em cruz românica e é um dos quatro templos religiosos em estilo neogótico do Brasil. O prédio foi incluído no plano de urbanização da cidade por dom Pedro II e pela princesa Isabel e teve sua construção iniciada em 1884, com inauguração em 29 de novembro de 1925. A catedral possui extraordinária importância histórica, não somente por estar ligada à fundação da cidade, mas também por conter no seu interior um mausoléu da Família Imperial (dom Pedro II, dona Teresa Cristina, princesa Isabel e conde D`Eu, seu primogênito dom Pedro de Alcântara e sua esposa, dona Elisabeth).

 

mausuléu da família imperial

Mausoléu da famlia imperial na catedral de Petrópolis

 

Proponente – A Mitra Diocesana de Petrópolis foi criada em abril de 1946, a partir do desmembramento de território das dioceses de Niterói e Barra do Piraí. É composta por 4 decanatos e 46 paróquias, sendo que a Paróquia São Pedro de Alcântara é a gestora direta do patrimônio cultural do projeto de restauração apoiado pelo BNDES. Além dos objetivos fundamentais da mitra, relacionados às práticas religiosas, a diocese também presta outros serviços de utilidade pública, social, socioassistencial, cultural e educacional.

BNDES Fundo Cultural – O BNDES concede apoio não reembolsável a projetos ligados à preservação do patrimônio histórico brasileiro que incentivem as atividades econômicas da cultura e do turismo. A descentralização e o aumento na oferta de bens culturais, a inserção social e a capacitação de mão de obra são outros objetivos do fundo. Os projetos podem ser apresentados a qualquer tempo, e são apreciados quanto ao seu mérito e enquadramento regulamentar três vezes ao ano pelo Comitê de Patrimônio Cultural e Economia da Cultura.

Saiba mais sobre BNDES Fundo Cultural