Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

18:15 23 de July de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:10:39 05/04/2024 |AGRICULTURA |COMÉRCIO E SERVIÇOS |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS

Ultima atualização: 10:45 05/04/2024

BNDES alavanca R$ 8 bi em crédito a MEIs e MPMEs por meio do FGI PEAC

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai alavancar R$ 8 bilhões em crédito para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), além de microempreendedores individuais (MEIs), por meio do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI PEAC). A partir deste mês de abril, os agentes financeiros já podem conceder garantias por meio do programa.

Isso é possível porque o BNDES, gestor do FGI PEAC, implementou alterações na alocação de recursos do programa, que tem caráter anticíclico e tem contribuído para mitigar os efeitos da crise de crédito. Uma nova metodologia de alocação aos agentes financeiros contribuiu para uma distribuição mais rápida e efetiva dos recursos, além da manutenção de uma inadimplência inferior à esperada pelo perfil da carteira garantida. Os recursos adicionais que permitirão a alavancagem não necessitaram de aportes pelo Tesouro.

“Com mais recursos garantidos pelo FGI PEAC, o BNDES amplia o acesso ao crédito para micro, pequenas e médias empresas, que são fundamentais para a economia no país e para a geração de emprego e renda”, afirma o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

As medidas dão continuidade às alterações implementadas em 2023 e contribuem para democratizar o acesso ao crédito, por meio da ampliação do número de tomadores beneficiados, aliada a uma participação cada vez mais expressiva de empresas de menor porte. Essa metodologia permitiu, em abril de 2023, a viabilização de R$ 21 bilhões, somente no 2º trimestre, em créditos garantidos pelo FGI PEAC. Ao todo, em 2023, os empréstimos somaram R$ 42 bilhões.