Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

00:19 05 de March de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:20:24 12/12/2023 |AGRICULTURA |EDUCAÇÃO |MEIO AMBIENTE |CENTRO-OESTE |NORTE

Ultima atualização: 17:22 20/12/2023

Agricultura familiar e alimentação saudável a alunos da rede pública tem R$ 336 mi do Fundo Amazônia

Uma iniciativa do Fundo Amazônia integra a produção de agricultores familiares - incluindo quilombolas, assentados e grupos de mulheres, povos indígenas e demais povos e comunidades tradicionais - e o consumo dessa produção pelas escolas da rede pública. Serão selecionados 10 projetos que atuem no fortalecimento da capacidade de produção, aquisição e consumo de alimentos sustentáveis e da sociobiodiversidade. O edital público vai abranger todos os nove estados da Amazônia Legal e prevê até R$ 336 milhões do Fundo Amazônia para promover a agricultura de base sustentável e a alimentação escolar saudável.

“Essa abordagem, de apoio à demanda e à oferta de forma integrada, é inovadora e abre caminho para o desenvolvimento de modelos que podem ser disseminados pela Amazônia Legal e pelo país”, avalia a diretora Socioambiental do BNDES, Tereza Campello. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é o gestor do Fundo Amazônia.

A seleção faz parte da iniciativa “Amazônia na Escola: Comida Saudável e Sustentável”, resultado de uma parceria entre BNDES, gestor do Fundo Amazônia, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e os ministérios do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA). As instituições assinarão acordo de cooperação técnica prevendo ações para implementação da chamada.

Agricultura-familiar_EmersonMartins_SeprorFoto: Emerson Martins - Sepror

A chamada pública apoiará com no mínimo R$ 10 milhões cada selecionado e tem previsão de alcançar 56 municípios, marcando nova fase do Fundo, voltada a projetos estruturantes, de maior escala e impacto. Para a diretora do BNDES, a consolidação de cadeias produtivas sustentáveis e justas é fundamental para um novo modelo de desenvolvimento, baseado na bioeconomia como alternativa às atividades indutoras do desmatamento.

“A chamada tem o mérito de dar soluções a vários desafios conhecidos da região, conciliando geração de emprego e renda, justiça social, conservação ambiental, estímulo à economia local a partir de atividades produtivas sustentáveis e aumento da segurança alimentar de crianças e jovens”, explica. Podem participar da seleção fundações de direito privado, associações civis e cooperativas.

Serão selecionadas duas propostas para o estado do Pará e uma para cada um dos outros estados da Amazônia Legal: Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Tocantins, Amazonas, Maranhão e Mato Grosso. O edital pode ser acessado em https://www.fundoamazonia.gov.br/pt/como-apresentar-projetos/chamadas-publicas/

AmazôniaEscola_capa4