Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

06:35 29 de June de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:32 25/03/2022 |INSTITUCIONAL |MEIO AMBIENTE

Ultima atualização: 10:27 08/04/2022

 

  • Prêmio visa reconhecer ações filantrópicas que gerem impacto socioambiental duradouro na sociedade
  • Foram avaliadas iniciativas em três categorias: Educação, Meio Ambiente e Inovação na Amazônia, e Água
  • Projetos participantes têm como foco populações em situação de exclusão social

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou, nesta quinta-feira, 24, as empresas vencedoras da primeira edição do Prêmio BNDES Todos pela Sustentabilidade. O objetivo do prêmio é reconhecer ações filantrópicas de organizações que gerem impacto socioambiental duradouro na sociedade. A premiação ocorre em três categorias: Educação; Meio Ambiente e Inovação na Amazônia; e Água. Os projetos por meio dos quais as empresas concorreram têm como foco populações em processo de exclusão social, principalmente por fatores socioeconômicos.

Na categoria Educação, a vencedora foi a Iochpe-Maxion, que apresentou o projeto “Programa Formare”; em Meio Ambiente e Inovação na Amazônia, o primeiro lugar ficou com a Ambev, que concorreu por meio do projeto “Aliança Guaraná de Maués - um case de sustentabilidade Ambev na Amazônia Brasileira”; e na categoria Água, quem venceu foi a Petrobras, com o projeto “Semeando Água”. As vencedoras receberão certificados de reconhecimento emitidos para cada categoria e terão seus projetos divulgados na página institucional e nas redes sociais do BNDES.

“Esse prêmio entra num contexto da ampliação da agenda do BNDES na sua atuação socioambiental em parceria com as empresas, reconhecendo o desenvolvimento dessas agendas por parte das companhias; e o Banco [participa] como um parceiro, que adere, estimula e apoia o desenvolvimento descentralizado desses projetos”, explicou o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, durante a live de apresentação dos resultados do prêmio. “O Banco tem como meta de direcionamento estratégico ser um grande impulsionador da agenda de filantropia estruturante do Brasil”, acrescentou.

O CFO da Iochpe-Maxion, Elcio Mitsuhito Ito, ao falar sobre o projeto vencedor na categoria Educação, ressaltou que o “Programa Formare” proporciona inclusão produtiva de jovens de baixa renda e que estão cursando o ensino médio. “É um modelo único e inovador: o programa oferece como contrapartida uma bolsa auxílio, transporte, alimentação e materiais didáticos, para que esses jovens continuem focados nos seus estudos, para um desenvolvimento profissional”, destacou. “Tudo isso para que eles possam sonhar com um futuro pessoal e profissional, e terminar o ensino médio com uma certificação de qualificação profissional, que, sem dúvida, vai ser extremamente útil para conseguirem o tão sonhado primeiro emprego.”  

Comentando sobre o projeto da Ambev, o vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da empresa, Rodrigo Figueiredo, explicou que a iniciativa envolve a fazenda de desenvolvimento sustentável de mudas e sementes de guaraná que a Ambev tem no interior do Amazonas. “Projeto iniciado pela Companhia Antarctica na década de 70, ele vem a cada ano tendo inovações, gerando esse desenvolvimento agronômico sustentável, ribeirinho, junto à sociedade lá da região de Maués (AM)”, disse Figueiredo. “A gente se orgulha muito de ter cem por cento do nosso guaraná sendo produzido com as frutas lá do Amazonas, ajudando o desenvolvimento sustentável da região.”

Gregório Maciel, gerente de Reflorestamento e Projetos Ambientais da Petrobras, lembrou que o projeto “Semeando Água” é patrocinado pela companhia desde 2003. Realizado pelo Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) no Estado de São Paulo, tem o objetivo de reverter o processo de degradação dos recursos hídricos e aumentar a segurança hídrica na região do Sistema Cantareira, que abastece a região metropolitana de São Paulo. “Esse prêmio é um reconhecimento concreto dos resultados robustos do ´Semeando Água´”, destacou Maciel. O executivo citou alguns desses resultados: “Foram restaurados 30 hectares; foram plantadas mais de 50 mil mudas nativas da Mata Atlântica; mais de 200 produtores rurais e técnicos foram capacitados; e mais de 20 mil crianças foram envolvidas nas ações de educação socioambiental”.

O Prêmio BNDES Todos pela Sustentabilidade recebeu 294 inscrições, das quais 53 tiveram seus projetos habilitados para participar da etapa classificatória. O processo de avaliação dos 53 projetos — no qual foram considerados os critérios “porte da proponente”, “fonte de recursos”, “região de impacto”, “contribuição para o atingimento das metas ODS Brasil” e “sustentabilidade do projeto pós apoio” — resultou em nove finalistas, sendo três em cada categoria.

A categoria Educação considerou iniciativas para a promoção do sistema educacional brasileiro, como, por exemplo, aquelas relacionadas à Base Nacional Comum Curricular ou projetos que visam à qualificação de profissionais e alunos e ao uso de tecnologia no ensino. Em Meio Ambiente e Inovação na Amazônia, foram consideradas, por exemplo, iniciativas referentes às cadeias de bioeconomia, agricultura sustentável e economia circular. A categoria Água levou em conta inciativas de recuperação e proteção de mananciais e/ou restauro ambiental que garantem a proteção da água potável.

A lista dos finalistas está disponível em https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/desenvolvimento-sustentavel/premio-bndes-todos-pela-sustentabilidade, onde é possível obter mais informações sobre a seleção.

Sobre o BNDES — Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.