Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

17:32 23 de July de 2024

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:10:18 28/06/2024 |INSTITUCIONAL |MEIO AMBIENTE

Ultima atualização: 14:21 28/06/2024

Gabriel Souza - BNDES / Divulgação

BNDES e BEI concluem nova linha de 300 milhões de euros e discutem investimentos em hidrogênio verde

  • Parceria com Banco Europeu de Investimento também envolve a criação de grupo formado por bancos de desenvolvimento para atuação em extremos climáticos

 

Uma nova linha de crédito, no valor de 300 milhões de euros (aproximadamente R$ 1.77 bilhão), criada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pelo Banco Europeu de Investimento (BEI), está praticamente concluída, informou, nesta sexta-feira, 28, o presidente da instituição brasileira, Aloizio Mercadante, após reunião com o chefe do escritório do BEI, João Fonseca Santos. Os recursos terão como finalidade o investimento em projetos de abastecimento de água e saneamento no Brasil.

Na reunião, que ocorreu em Lisboa, Portugal, as duas instituições iniciaram tratativas para investimentos em hidrogênio verde. “O BNDES tem vários projetos sendo analisados nessa área que é de grande interesse da União Europeia”, explicou Mercadante. No encontro, BEI e BNDES também avançaram nas discussões para o banco europeu participar do fundo de minerais críticos, lançado neste ano pela instituição brasileira, em parceria com a Vale. Além do chefe do escritório do BEI, a reunião contou com a presença de Joana Sarmento, executiva da Comissão Europeia.

Extremos climáticos - Medidas para ações de emergência, que atuem em apoio imediato, logo após a ocorrência de eventos climáticos e, também, de reconstrução, mitigação e prevenção foram objeto de discussão na reunião em Lisboa. A proposta de Mercadante é que os bancos de desenvolvimento criem uma comissão para discutir como poderão atuar nessas situações. “Os desastres climáticos estão sendo cada vez mais intensos e frequentes. Já estamos conversando com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, vamos convidar o Banco Mundial e outras instituições porque é preciso enfrentar as emergências e os desafios da reconstrução, da mitigação e da prevenção”, explicou o presidente do BNDES.




WhatsApp Image 2024-06-28 at 08.50.26
Foto: Gabriel Souza - BNDES / Divulgação