Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

19:24 05 de December de 2023

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:14:51 27/10/2023 |INFRAESTRUTURA |SUDESTE

Ultima atualização: 15:02 27/10/2023

Dirceu Aurélio / Imprensa MG

Trecho de rodovia financiada pelo BNDES é inaugurado em Minas Gerais

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acompanhou a inauguração de 65 km de duplicação da rodovia BR-135, que liga o Centro e o Norte de Minas Gerais, nesta segunda-feira, 23. A obra é parte de um financiamento do Banco no valor de R$ 996 milhões, feito em 2019, para o lote rodoviário concedido à Eco135, do grupo EcoRodovias, maior operador de rodovias do Brasil em extensão.

De 2019 a 2023, com auxílio do BNDES, a EcoRodovias realizou obras de recuperação de mais de 200 km de pavimento e implantou cerca de 43 km de faixas adicionais, cinco passarelas, cinco pontes e o alongamento de um viaduto. As melhorias feitas beneficiaram 630 mil habitantes da região, além de cerca de 38 mil veículos que passam pelo trecho diariamente, segundo estimativa da Secretaria de Estado de Infraestrutura, Mobilidade e Parcerias (Seinfra).

O lote da Eco135 corresponde a 301,2 km da BR-135 e trechos das rodovias estaduais LMG-754 (40,1 km) e MG-231 (22,6km). As obras abrangem 364 km de malha viária que corta as cidades de Montes Claros, Bocaiúva, Engenheiro Navarro, Joaquim Felício, Buenópolis, Augusto de Lima, Corinto, Curvelo, Cordisburgo, Inimutaba, Caetanópolis e Paraopeba. A concessão prevê investimentos de R$ 3,6 bilhões ao longo dos 30 anos de contrato.

Na inauguração, realizada no munícipio de Curvelo, estiveram presentes o gerente do Departamento de Infraestrutura e Concessões Rodoviárias do BNDES, Bruno Coelho, o CEO da EcoRodovias, Marcello Guidotti, o Secretário de Estado de Infraestrutura de Minas Gerais, Pedro Bruno, além do governador do Estado, Romeu Zema.

“É muito satisfatório saber que temos essa obra caminhando dentro do cronograma, com o contrato sendo rigorosamente cumprido, e viagens que antes levavam 8 horas entre Belo Horizonte e Montes Claros podem ser feitas com uma redução de 2 a 3 horas, com mais conforto e mais segurança”, disse Romeu Zema.

Anel viário - Na oferta pública de R$ 520 milhões feita pela Eco135 em agosto para seguir com as obras, o BNDES subscreveu R$ 312 milhões em debêntures de infraestrutura. O restante foi adquirido pela Kinea, gestora de fundos do grupo Itaú. Há previsão de construção de um anel viário de cerca de 13 km em Montes Claros até 2024 e um retorno operacional no km 630, em formato de U, na região de Curvelo. Outras três passarelas seguem em execução, com previsão de entrega até dezembro de 2023, para quando também está prevista a construção de outras quatro pontes e mais dois viadutos.

“O recente apoio à Eco135 demonstra como o BNDES pode ancorar uma emissão de debêntures para atrair o mercado para títulos com riscos e prazos para os quais, normalmente, não teria apetite. Além do risco de construção, as debêntures estruturadas para a rodovia possuem prazo de quase 20 anos”, ressaltou a chefe do Departamento de Infraestrutura e Concessões Rodoviárias do BNDES, Nathalia Saad.