BNDES - Agência de Notícias

Thu Jul 02 08:13:40 UTC 2020 Thu Jul 02 08:13:40 UTC 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:10:20 30/06/2020 |INOVAÇÃO |MERCADO DE CAPITAIS |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS |SAÚDE |NORDESTE |SUDESTE

Ultima atualização: 12:23 30/06/2020

Fotos: Captura de tela/Divulgacao Brasil sem Corona

Ferramentas que mapeiam o avanço da covid-19 têm ajudado as autoridades de saúde a planejar estratégias e coordenar as equipes que atuam no combate à pandemia. Uma dessas soluções é o projeto Brasil sem Corona, criado pela Epidemiologia e Inovação em Serviços de Informática S.A. (Epitrack), apoiada pelo fundo Criatec 2 do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e pela a Colab Tecnologia e Serviços de Internet S.A.

O Brasil sem Corona traça um mapa de risco da covid no País, a partir das respostas dos usuários de um aplicativo de celular, batizado de Colab, a um questionário sobre seus sintomas. O algoritmo desenvolvido pela Epitrack, embutido no programa, busca padrões nas respostas e classifica os usuários entre casos suspeitos, graves, confirmados, com alguns sintomas ou sem sintomas. O mapa é atualizado em tempo real.

 

Captura de Tela 2020-06-25 às 14h08min28s

Acesse o mapa

 

A Epitrack, startup pernambucana que recebeu investimento de cerca de R$ 1,5 milhão do Criatec 2 em 2016, desenvolve algoritmos de epidemiologia computacional que podem ajudar a prever a propagação de epidemias. A startup do Recife já atuou em parceria com o setor público na Copa de 2014 e nas Olimpíadas do Rio, em 2016. A Colab, por sua vez, empresa paulistana que desenvolveu o app e que tem como clientes cerca de 100 municípios brasileiros, promove grupos de discussão e troca de ideias entre secretários e gestores de todas essas prefeituras. A aproximação entre as duas empresas surgiu a partir de uma demanda desses clientes.

“Com a chegada do coronavírus, esses gestores começaram a se perguntar o que poderiam fazer para combater a pandemia em suas cidades”, conta o CEO da Epitrack, Onício Leal Neto. Após reunir-se com representantes de prefeituras, a Colab decidiu implantar no aplicativo, que existe há 7 anos e atende 300 mil usuários, missões e ferramentas que ajudassem tanto os cidadãos quanto as gestões no combate ao coronavírus. Da união entre Colab e Epitrack surgiu a plataforma Brasil sem Corona.

 Os dados gerados pelo Brasil sem Corona estão disponíveis gratuitamente para os órgãos de vigilância de saúde e outras instituições interessadas. Eles podem complementar as informações oficiais de notificação de casos e ajudar os gestores a ter uma noção da possível situação da pandemia no Brasil.

Para o CEO da Epitrack, a plataforma é uma ferramenta de vigilância participativa que proporciona diversos benefícios à população e à gestão pública: permite que o governo veja aglomerações de pessoas em determinado território reportando sintomas semelhantes ao mesmo tempo, permite uma projeção de dados para até 14 dias, dá ao usuário visibilidade para o comportamento da epidemia em seu entorno e cria um canal direto entre cidadãos, gestores públicos e pesquisadores. “Além disso, as prefeituras e órgãos interessados em receber uma planilha detalhada do seu território podem nos pedir que vamos disponibilizar de forma gratuita”, informa.

 

IMG_2285

Questionário no app de gestão colaborativa Colab: programa está disponível para os sistemas operativos iOS e Android

 

Como participar – Para participar, basta baixar o aplicativo Colab em um smartphone Android ou iOS e responder ao questionário que estará disponível logo que o programa abrir. Primeiro, o usuário informa se está se sentindo bem ou não. Se disser que está bem, será questionado sobre se entrou em contato com alguém que apresenta os sintomas da covid-19, o que também poderia indicar certo grau de risco, e se mora com um idoso, para detectar o risco desse grupo.

Se o usuário disser que não está se sentindo bem, responderá a uma série de perguntas sobre sintomas e se chegou a procurar o sistema de saúde, o que pode ser um indicativo de que seus sintomas são graves. O algoritmo desenvolvido pela Epitrack analisa a combinação das respostas e organiza um mapa de calor com a localização geográfica dos usuários e o nível de risco de estarem infectados.

Pelo app Colab também será possível denunciar a prática de preço abusivo de um produto básico, evento ou comércio aberto irregularmente, filas e aglomerações de pessoas em hospitais e postos de saúde e falta de abastecimento de alimento, remédios e produtos básicos.

“O case da Epitrack mostra que há muito conhecimento na academia brasileira, em diferentes regiões do país, que pode se transformar em empresas inovadoras e em soluções que melhorem a qualidade de vida das pessoas”, avalia o chefe do Departamento de Gestão de Investimento em Fundos do BNDES, Filipe Borsato. “Nesse sentido, importante destacar que todos os fundos da série Criatec possuem exposição ao setor de healthtech”.

Criatec – Os fundos Criatec são fundos de investimento em participações em micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) inovadoras, nos quais a BNDES Participações (BNDESPar) – subsidiária de participações societárias do banco de fomento – investe com outros parceiros, em sua maioria bancos de desenvolvimento regionais. O Criatec está em sua terceira edição e, juntos, os fundos da série já apoiaram mais de 90 empresas brasileiras, viabilizando o registro de cerca de 100 patentes e a criação de mais de mil produtos.

 

Assista ao vídeo:

Startup apoiada pelo Criatec, do BNDES, lança plataforma para mapear risco da covid