BNDES - Agência de Notícias

00:14 21 de September de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:19:04 28/08/2020 |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS

Ultima atualização: 19:14 28/08/2020

Divulgação
Empréstimos, ofertados por 38 agentes financeiros, vão de R$ 5 mil a R$ 10 milhões

• Operado pelo banco, Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC) poderá gerar mais R$ 20 a 25 bi em financiamento com os novos recursos

• Em dois meses, com o primeiro aporte de R$ 5 bi, iniciativa já beneficiou mais de 26 mil empresas

O Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC), operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), alcançou a marca de R$ 20 bilhões em créditos concedidos a 26,1 mil pequenas e médias empresas (PMEs), que empregam mais de 1,27 milhão de pessoas. 

Criado em parceria com a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (SEPEC) do Ministério da Economia, o programa recebeu, nesta quinta-feira, 27, um novo aporte de R$ 5 bilhões do Tesouro Nacional. Esses recursos, usados como garantias aos financiamentos, permitirão a alavancagem do valor dos créditos em até 5 vezes. Dessa forma, os novos empréstimos podem novamente superar os R$ 20 bilhões.

O programa começou a ser operacionalizado em 30 de junho e tem vigência até o fim deste ano. Do aporte inicial de R$ 5 bilhões, o valor de R$ 4,3 bilhões, que corresponde a 86% do orçamento inicial do programa, já foi utilizado. Assim, tendo em vista a alavancagem, foi possível conceder mais de R$ 20 bilhões de financiamentos por meio dos agentes financeiros. 

Conforme a evolução da demanda, o Tesouro poderá aportar, ao todo, até R$ 20 bilhões no programa, o que pode significar até R$ 100 bilhões em financiamentos para pequenos e médios tomadores. “O programa vem cumprindo com grande êxito seu papel, e nossa expectativa é que, com o novo aporte, o acesso ao crédito alcance os que mais precisam neste momento”, afirma o Diretor de Crédito e Garantia do BNDES, Petrônio Cançado.

O PEAC tem o objetivo de destravar o crédito para pequenas e médias empresas, associações, fundações privadas e cooperativas que faturaram entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões em 2019. São concedidas garantias aos agentes financeiros, mitigando os impactos econômicos da pandemia da Covid-19.

A cobertura é de 80% do valor de cada operação, limitada a até 30% do total da carteira de cada instituição financeira para operações de créditos concedidos a empresas de pequeno porte, e até 20% para operações com empresas de médio porte.

Podem contar com a garantia emergencial do PEAC não só as operações de crédito contratadas com recursos do BNDES, por meio de suas linhas de financiamento, mas também as oferecidas pelas próprias instituições financeiras. Tais recursos podem ser utilizados pelas empresas para diferentes finalidades, de acordo com cada linha, inclusive para reforçar o seu capital de giro.

Atualmente, 38 agentes financeiros já estão habilitados a oferecer os empréstimos, que podem ser de R$ 5 mil até R$ 10 milhões. Essas instituições são as responsáveis pela decisão final de utilizar a garantia do programa e avaliar o pedido de crédito, no momento em que estruturam cada uma de suas operações. O valor médio dos empréstimos praticados até o momento foi de R$ 714 mil.