BNDES - Agência de Notícias

17:07 28 de November de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:18:10 14/04/2020 |SAÚDE

Ultima atualização: 20:27 15/04/2020

  • Recursos permitirão à RTS Rio entregar imediatamente 200 leitos ao Ministério da Saúde e destinar o restante a secretarias estaduais

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) aprovou financiamento à empresa RTS Rio, que permitirá a implantação de mais 300 leitos de UTI em hospitais públicos do país. A iniciativa faz parte do Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus, que vai destinar R$ 2 bilhões em financiamentos a empresas do setor de Saúde. Ao todo, a empresa vai receber crédito de R$ 50 milhões.


Em 16 de março, a RTS e o Ministério da Saúde assinaram um contrato para locação e gestão integrada de, no mínimo, 20 módulos de UTI adulta ou pediátrica de alta complexidade, com dez leitos cada, para ampliar hospitais federais de grande porte em capitais brasileiras. Ao todo, portanto, serão 200 novos leitos.


O valor do financiamento contratado junto ao BNDES servirá para cobrir os custos desse investimento, bem como, uma eventual ampliação da demanda do Ministério da Saúde ou para outros hospitais estaduais e municipais que já estão em contato com a RTS.


A empresa, que já gerencia mais de mil leitos em cerca de 100 hospitais, públicos e privados, tem novos pedidos de secretarias de Saúde dos Estados do Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e Paraná solicitando gestão de leitos, além de uma demanda adicional por parte da secretária de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul, que já possui contrato com a RTS Rio há mais de sete anos. O Ministério da Saúde prevê uma saturação dos leitos de UTI no país nos próximos dias por conta da pandemia do Covid-19, por isso a necessidade de ampliação emergencial dos leitos disponíveis em todo o Brasil.


"A nossa solução, que batizamos de 'Gestão Integrada de Leitos', tem por pilar os princípios doutrinários do SUS (universalização, equidade e integralidade) e disponibiliza equipamentos de alta qualidade através de contratos de locação. Também fornecemos os insumos associados, assistência técnica e treinamento para os profissionais de saúde. Com isso garantimos o funcionamento dos leitos 24 horas por dia, cabendo ao contratante manter a infraestrutura e o quadro de funcionários", explica o CEO da RTS, Rogério Ferneda. Com sede no Rio, a empresa possui filiais ou centros de distribuição em Porto Alegre, São Paulo, Natal, Curitiba e no Ceará, empregando 150 trabalhadores.

O Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus foi anunciado em 29 de março pelo presidente do BNDES, Gustavo Montezano. O programa concede crédito, com valor mínimo de R$ 10 milhões, para aumento da oferta de leitos emergenciais, bem como de equipamentos, materiais, insumos, peças, componentes e produtos de saúde para atender as necessidades de assistência às vítimas, diretas e indiretas, da pandemia de Covid-19.


“Com o programa, o BNDES busca dar uma contribuição efetiva para o enfrentamento do problema”, avalia o chefe do Departamento do Complexo Industrial e de Serviços do Banco, João Paulo Pieroni. Segundo o Pieroni, a flexibilização de limites e garantias e o trâmite simplificado permitem imprimir às operações a celeridade necessária para que equipamentos críticos cheguem ao sistema de saúde.

Foram essas características que chamaram a atenção da RTS. De acordo com o CFO da companhia, Luís Filipe Pinto, o relacionamento prévio com o BNDES restringia-se à utilização eventual do Cartão BNDES. "Com a chegada da Covid-19 ao Brasil, a necessidade de investimentos adicionais para atender ao aumento exponencial da demanda tornou-se fundamental.
Incialmente, recorremos aos bancos comerciais, públicos e privados, mas, apesar do ótimo relacionamento, a burocracia adicional para análise e concessão do crédito estava na contramão do que precisávamos. Nesse momento, a RTS percebeu que o BNDES poderia vir a ser o parceiro ideal para nos apoiar nesta empreitada", explica o executivo.


A previsão é de que, no total, o Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus viabilize a incorporação de três mil novos leitos de UTI, quinze mil respiradores pulmonares e 88 milhões de máscaras, entre outros materiais e equipamentos, ao sistema de saúde do país.


A esse Programa se juntam outras ações desenvolvidas pelo Banco voltadas à saúde e à economia durante a pandemia, de que são exemplos iniciativas como o “BNDES Crédito para Folha de Pagamentos”, o “Mais Capital de Giro” e o “Suspensão de Pagamentos”.


Para saber mais sobre o Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus, clique aqui