BNDES - Agência de Notícias

02:14 23 de August de 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:17:10 03/07/2019 |INFRAESTRUTURA |NORDESTE

Ultima atualização: 18:00 03/07/2019

Divulgação Prefeitura de Fortaleza
Prefeitura de Fortaleza anuncia, em coletiva de imprensa, investimentos em obras de infraestrutura em regiões carentes do município, com financiamento do BNDES
  • Intervenções visam melhorar a qualidade de vida dos moradores de cinco localidades com os menores IDHs da capital cearense

  • Serão construídos mais de 70 km de rede de esgoto, duas estações de tratamento, 5 elevatórias e 14 km de sistemas de drenagem

  • Também serão pavimentados mais de 500 mil m². Obras devem se estender até 2022, e 430 novos postos de trabalho serão gerados

 

O município de Fortaleza obteve do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a aprovação de financiamento de R$ 145,2 milhões para obras de saneamento básico, pavimentação e urbanização em cinco localidades: Canindezinho, no bairro Presidente Vargas; bairro Barroso; bairro Mondubim; Comunidade Che Guevara, no bairro Cajazeiras; e Comunidade Unidos Venceremos, no bairro Passaré.

As intervenções previstas incluem a construção de 71,6 km de rede coletora de esgotos, duas estações de tratamento de esgotos (ETEs), no Barroso e no Mondubim, cinco estações elevatórias de esgoto (uma no Barroso, três no Mondubim e uma no Canindezinho) e 14,2 km de sistema de drenagem de águas pluviais, além da pavimentação de uma área de aproximadamente 528 mil m².

Na coletiva de imprensa de lançamento do programa de obras, o prefeito da capital cearense, Roberto Cláudio, ressaltou que as comunidades foram escolhidas em razão do alto índice de vulnerabilidade social. “Boa parte das ruas dessas localidades é de lama. Foram ocupações que se consolidaram e que nunca foram estruturadas ao longo de décadas. Estas estão contempladas nesse financiamento, que é o maior investimento em infraestrutura social em comunidades carentes já realizado na história da cidade”, disse.

A fiscalização e a supervisão das obras ficarão sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura, que contratará empresa independente de gerenciamento. Concluídas as obras, sua gestão e manutenção ficarão a cargo da concessionária estadual, a Cagece.

Benefícios – O projeto vai contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da cidade e melhorar a qualidade de vida nessas ruas e comunidades em bairros com os menores índices de desenvolvimento humano (IDHs) de Fortaleza.

A Regional V, por exemplo, onde estão Canindezinho e o bairro de Mondubim, é a região mais pobre e populosa do município (abriga 21% da população da capital). Nela, menos de 25% dos imóveis têm acesso à rede pública de esgotamento sanitário. Já a Regional VI, que engloba o bairro Barroso e as comunidades Che Guevara e Unidos Venceremos, reúne cerca de 20% dos habitantes de Fortaleza e o percentual de domicílios com acesso à rede pública de esgotamento sanitário fica em torno de 24%.

As obras devem ter início no segundo semestre de 2019 e se estender por até 36 meses. Nesse período, deverão ser criados 430 novos postos de trabalho na execução e no acompanhamento do projeto.