BNDES - Agência de Notícias

Thu Nov 21 23:35:41 UTC 2019 Thu Nov 21 23:35:41 UTC 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:18:04 10/10/2019 |INSTITUCIONAL |SEGURANÇA

Ultima atualização: 12:18 15/10/2019

Fotos: André Telles/Divulgação BNDES

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano afirmou nesta quinta-feira, 10, em São Paulo, durante o 3º Fórum de Investimentos Brasil (BIF 2019), que o banco de fomento continuará fazendo crédito. A declaração foi feita durante painel sobre reforma no setor energético, quando usou o exemplo do mercado do gás para ilustrar o eixo de atuação da instituição.

“O BNDES vai apoiar (o mercado de gás) seja com crédito, seja com serviço de estruturação, seja com modelagem de projeto”, afirmou. Segundo ele, o banco de fomento pretende daqui pra frente atuar fazendo não só o crédito que já faz hoje. “Vamos continuar fazendo crédito, não acabou o dinheiro do BNDES. Só queremos fazer com mais capital privado junto com a gente, adicionando essa capacidade de modelagem de projetos e assessoria para o Estado brasileiro”, enfatizou.

Montezano disse que o País vive o melhor momento para investir e empreender. “Não só no setor elétrico, mas em toda a matriz econômica”, frisou. Para ele, aspectos macroeconômicos (juros, inflação baixa, retomada sustentável da economia), microeconômicos (reformas) e culturais (alto nível de governança e conscientização política) ajudam a começar um novo ciclo de transformações econômicas e sociais.

“O BNDES vai manter o papel de protagonista na história do desenvolvimento energético do país”, ressaltou, lembrando que o Banco já é atualmente “o maior financiador de energia limpa do mundo”. Ainda de acordo com o presidente, o BNDES tem “expertise e know-how histórico com capacidade de processar todo o fluxo de financiamento verde que está surgindo no Brasil”.

 

Assista à íntegra do painel:

 

Mais imagens na Galeria de Fotos

 

BNDES, Ministério da Justiça e BID firmam parceria para ampliar investimento em segurança pública no País

 

No mesmo evento, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, assinaram memorando de entendimento para impulsionar investimentos inovadores em segurança pública.

 

BNDES, Ministério da Justiça e BID firmam parceria para ampliar investimento em segurança pública no País

Moreno, Moro e Montezano assinam memorando de entendimento

 

O acordo estabelece uma parceria entre as entidades para troca de informações e experiências visando ao desenvolvimento de ações institucionais para fortalecimento de mecanismos de planejamento, governança e gestão. O memorando também prevê o uso de linhas de crédito para fortalecer os mecanismos de planejamento, governança e gestão do Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

A expectativa é promover nos projetos de segurança pública o uso intensivo de tecnologia e de práticas de comprovado êxito em âmbito nacional e internacional, tais como unidades de análise criminal, integração de sistemas entre as três esferas de governo, redes de perfis genéticos e adoção de teleaudiências. Além disso, deverá ser explorado o potencial de cofinanciamento, com o estímulo à alocação de recursos privados em complemento aos recursos governamentais ou institucionais, no caso do BID. Algumas possibilidades para estimular esse cofinanciamento são a estruturação de mecanismos de garantias, parcerias público privadas e a utilização do mercado de capitais.

Outra diretriz a ser estabelecida, conforme previsão do acordo, é o monitoramento e a avaliação dos projetos de segurança pública, de forma a disseminar as boas práticas.