Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

20:30 20 de May de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:10:35 11/02/2022 |SAÚDE

Ultima atualização: 11:59 11/02/2022

André Telles/BNDES
Itens como aventais, luvas, toucas e máscaras serão doados

• Braskem, com R$ 3 milhões, e Ibitu Energia, com R$ 1,9 milhão, são os novos doadores do programa

• Banco vai dobrar o valor recebido, destinando, no total, R$ 9,8 milhões para ações de enfrentamento à pandemia

• Hospitais públicos e filantrópicos de Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Piauí e Rio Grande do Sul serão beneficiados

O Matchfunding Salvando Vidas, inciativa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoiar hospitais públicos e filantrópicos no combate à Covid-19, recebeu mais duas doações, no valor total de R$ 4,9 milhões. Os aportes foram feitos pelas empresas Braskem, que doou R$ 3 milhões ao programa, e a Ibitu Energia, com doação de R$ 1,9 milhão.

Considerando as regras do Matchfunding Salvando Vidas, segundo as quais o BNDES dobra cada real recebido, os recursos significam um total de R$ 9,8 milhões a serem revertidos na compra de equipamentos e insumos necessários aos profissionais que atuam na linha de frente do combate à doença. Serão beneficiadas 17 instituições de Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul e Piauí.

“Apesar de, atualmente, termos em nosso país um cenário mais controlado em relação aos casos da Covid-19, é importante que os hospitais tenham uma melhor estrutura de atendimento. Ainda estamos em um momento de solidariedade e de unirmos esforços para ajudar quem necessita de apoio”, disse Elaine Santana, gerente de Responsabilidade Social e Direitos Humanos da Braskem.

“Vamos contribuir com hospitais localizados em regiões onde temos unidades fabris instaladas para oferecer um melhor atendimento à população do entorno, já que os equipamentos poderão ser utilizados para tratamento de outras enfermidades ou urgências”, completa.

As unidades de saúde que receberão equipamentos resultantes da doação da Braskem estão localizadas em Camaçari e Dias D’Ávila, na Bahia; Mauá e Santo André, em São Paulo; Triunfo e Montenegro, no Rio Grande do Sul; e Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Os hospitais vão receber itens como usinas de geração de oxigênio, ECMO, bombas de infusão e ventiladores pulmonares, entre outros.

No caso da Ibitu, foi acordado com o BNDES que os itens irão para cinco instituições em Teresina, Picos, Caldeirão Grande do Piauí, Marcolândia e Simões, no Piauí, onde opera o maior complexo de energia eólica da companhia. Serão mais de 1,2 milhão de itens — como álcool em gel, aventais, luvas, toucas, máscaras cirúrgicas e N95 —, suficientes para abastecer as instituições por cerca de um ano.

“Há quase dois anos, essa pandemia sem precedentes vem exigindo muito de todos nós, brasileiros. Por isso, nos sentimos na obrigação de cooperar de forma efetiva. Temos um importante papel no futuro, mas também no nosso presente.  Buscamos apoiar comunidades que conhecemos ao longo do nosso trabalho, fora do eixo de grandes capitais, que acabam concentrando grandes esforços e doações”, explica Gustavo Ribeiro, presidente da Ibitu.

Público e Privado – Desde o seu lançamento, em abril de 2020, o Salvando Vidas já aplicou R$ 140 milhões, tornando-se um dos maiores programas de matchfunding do País. Com o apoio de mais de 70 empresas, já beneficiou mais de 1.100 hospitais públicos e filantrópicos que atendem o SUS, aos quais doou 71 milhões de EPIs, 19 usinas, 247 cilindros de oxigênio e 908 equipamentos médicos. Pelas regras do Programa, a cada R$ 1 doado por empresas, o BNDES aporta mais R$ 1, dobrando os valores arrecadados.

Para Bruno Aranha, diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do Banco, "a parceria reforça a importância da colaboração entre diversos atores para o alcance e a eficiência de ações socioambientais. Nessa iniciativa liderada pelo BNDES, mais de 70 empresas uniram seus esforços na superação da pandemia, buscando levar ajuda a quem mais precisa: os profissionais da saúde da linha de frente".

Marcus Santiago, chefe do Departamento de Relacionamento de Impacto com o Setor Corporativo, considera que, "ao operarem em conjunto, setor público e iniciativa privada podem trazer resultados impactantes para o País nos âmbitos social e ambiental. Esta e outras ações ASG são exemplos das diversas frentes que vêm sendo implementadas pela interação entre BNDES e parceiros”.