Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

07:56 14 de June de 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:21:33 22/01/2021 |SAÚDE |NORTE

Ultima atualização: 09:42 23/01/2021

Hospitais Delphina Aziz, 28 de Agosto, Getúlio Vargas e Platão Araújo receberão cilindros de O2

• Com recursos do Banco e da Eletronorte, 100 cilindros estão sendo entregues nesta sexta-feira, 22, a quatro hospitais públicos da capital amazonense 

• Matchfunding Salvando Vidas será reaberto para pessoas jurídicas, que podem doar a partir de R$ 100 mil

• Como no início do programa, o BNDES sempre dobra o valor de cada doação

O Matchfunding Salvando Vidas, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entrega nesta sexta-feira, 22, 100 cilindros de oxigênio para quatro hospitais públicos de Manaus (AM). A doação foi viabilizada pela Eletronorte, que aportou recursos na primeira fase do programa, e pelo próprio Banco, já que, a cada 1 real doado ao matchfunding, o BNDES aporta mais R$ 1, dobrando o valor total.

Diante do aumento recente de casos de Covid-19 em Manaus e outras capitais, o BNDES e seus parceiros na iniciativa - SITAWI, CMB e Bionexo - decidiram reabrir a captação de doações ao programa. Nesta nova etapa, serão recebidas doações apenas de pessoas jurídicas, em valores a partir de R$ 100 mil. De acordo com as regras do Salvando Vidas, todo o valor arrecadado será dobrado pelo BNDES e os recursos serão destinados à compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) e hospitalares. Esses equipamentos são doados a instituições de saúde filantrópicas ou públicas que estejam atuando no combate à pandemia. Os cilindros entregues nesta sexta em Manaus foram divididos entre os hospitais Delphina Aziz (50 unidades), 28 de Agosto (30 cilindros), Getúlio Vargas (10) e Platão Araújo (10). 

“O Matchfunding Salvando Vidas provou-se uma iniciativa de sucesso de parceria entre setor público, privado e sociedade civil”, avalia Petrônio Cançado, diretor do BNDES. “Como a situação ainda é crítica em muitas localidades, estamos reabrindo hoje a fase de captação de recursos para doações acima de R$ 100 mil, que estava encerrada desde dezembro“, completa o executivo.

A primeira fase do Salvando Vidas configurou-se no maior matchfunding do qual se tem conhecimento no Brasil, com R$ 80 milhões em recursos doados por pessoas físicas, empresas e pelo BNDES. O Programa já beneficiou mais de 562 instituições filantrópicas e hospitais públicos que atendem o SUS, distribuídos por mais de 460 cidades em todas as regiões do país. Até o momento, já foi realizada a aquisição e entrega de mais de 44 milhões de EPIs (máscaras, luvas, toucas, aventais e álcool em gel) para os profissionais de saúde dessas instituições. A iniciativa foi lançada no fim de abril, em uma parceria entre o BNDES, a SITAWI Finanças do Bem, a Confederação das Santas Casas de Misericórdia (CMB) e a Bionexo. Seu foco são os hospitais filantrópicos - cuja rede é responsável por quase metade dos atendimentos do SUS e 60% das internações de alta complexidade - e hospitais públicos. Nesse grupo, estão as Santas Casas.

O Programa ainda realizou um projeto especial de recuperação de ventiladores pulmonares, em parceria com o SENAI, e está apoiando uma iniciativa em conjunto com o Movimento Amazônia Viva, para beneficiar mais de 22 mil pessoas que vivem nas comunidades ribeirinhas do Norte do país.Grandes empresas tornaram-se parceiras da iniciativa, entre ela Klabin, Banco ABC, Lorinvest, Linx, os grupos Eletrobras (por meio de Furnas, Eletronorte, Eletronuclear, CHESF e Eletrosul) e ACS (por meio das empresas Cymi e Cobra), bem como as empresas B3, Ultra, Duratex, State Grid, CPFL e Bionovis, que doaram pelo menos R$ 1 milhão cada uma.

Novas doações - Para novas doações, os doadores interessados podem entrar em contato diretamente com a SITAWI (salvandovidas@sitawi.net) para acesso ao contrato e depósito. O BNDES dobra os recursos e as compras são realizadas por meio da plataforma eletrônica da Bionexo, garantindo transparência e eficiência na aquisição.

A cada compra, o BNDES, com o apoio da CMB, define um ranking de criticidade dos hospitais com base no número relativo de óbitos de Covid-19 no município e a taxa de ocupação de leitos. O valor do BNDES obedece esta ordem de criticidade. Já o doador pode escolher que seus recursos sigam o mesmo ranking ou direcioná-los para hospitais específicos constantes na lista do Salvando Vidas. O programa conta com a revisão independente da E&Y Brasil, que já publicou dois relatórios de conformidade, disponíveis na página do programa, e presta esse serviço de forma inteiramente probono. Todas as informações do Matchfunding Salvando Vidas estão disponíveis no endereço: https://puragratidao.net/.