Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

20:01 20 de May de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:46 07/04/2022 |MEIO AMBIENTE |NORTE

Ultima atualização: 12:14 07/04/2022

- Programa Floresta Viva, para restauração ecológica de biomas brasileiros, receberá aporte de mais R$ 5 milhões da Norte Energia

-  Esta é a 11ª parceria feita com o Banco para doações para o projeto, totalizando R$ 250 milhões.

- Contrapartida do BNDES é R$ 1 para cada R$ 1 doado.

 

A Norte Energia - empresa privada concessionária da Usina Hidrelétrica Belo Monte – aderiu ao programa Floresta Viva, iniciativa liderada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para restauração ecológica de biomas brasileiros. Esta é a 11ª parceria feita com o Banco para doações para o projeto, totalizando R$ 250 milhões. O objetivo do aporte financeiro da concessionária, no valor de R$ 5 milhões, é contribuir para restauração de áreas degradadas em áreas da região da Bacia Hidrográfica do rio Xingu, na Amazônia. Por se tratar de um cofinanciamento através de matchfunding, o BNDES investirá a mesma quantia, totalizando R$ 10 milhões em recursos.

O programa Floresta Viva tem como meta a restauração de até 33 mil hectares – algo equivalente a 46 mil campos de futebol – e a remoção de quase 10 milhões de toneladas de carbono da atmosfera ao longo de 30 anos.

De acordo com a superintendente de Sustentabilidade da Norte Energia, Silvia Cabral, a decisão de adesão ao Floresta Viva tem como razão o fortalecimento das diretrizes ASG (ambiental, social e governança) da empresa. “Um dos pilares da estratégia de sustentabilidade da Norte Energia é a proteção ambiental da Bacia do Xingu, rio onde está instalada a Usina Hidrelétrica Belo Monte. Nesse contexto, o Floresta Viva é aderente ao nosso objetivo de investir em projetos que contribuam para a conservação da floresta e que promovam o reflorestamento associado à geração de renda para a população local”, explicou a executiva.

A Norte Energia se junta a parceiros de peso como Petrobras, Coopercitrus, Energisa, Grupo Heineken, Itaipu, Governo de Mato Grosso do Sul, Philip Morris Brasil e Vale (Fundo Vale). Juntas, estas empresas devem investir até R$ 250 milhões no Floresta Viva pelos próximos sete anos, cabendo outros R$ 250 milhões ao BNDES. 

“A junção de recursos públicos e privados é um dos grandes destaques do Floresta Viva. As empresas têm recebido com entusiamo a proposta do BNDES. Há uma valorização crescente da restauração florestal como atividade de mitigação e adaptação às mudanças climáticas”, explicou o presidente do BNDES, Gustavo Montezano.

Floresta Viva – A iniciativa tem como finalidade a execução de projetos para aumento da cobertura vegetal com espécies nativas em todos os biomas brasileiros, além do fortalecimento da estrutura técnica e de gestão da cadeia produtiva do setor de restauração ecológica. Os resultados esperados são a redução de processos erosivos, a preservação da biodiversidade, a manutenção de recursos hídricos e a melhoria do microclima. 

Os projetos e investimentos devem ser sustentáveis pelos beneficiários finais do apoio, considerando os aspectos financeiros, sociais, ambientais, institucionais e de governança pertinentes. 

Para apoiar o BNDES na execução do Floresta Viva, está em curso uma chamada pública para seleção de um parceiro gestor. Ele será responsável pela organização do processo de seleção pública de projetos, que deve ocorrer no segundo semestre de 2022. O parceiro gestor terá ainda a atribuição de receber os recursos do BNDES e das demais instituições apoiadoras, acompanhar sua aplicação nos projetos e monitorar os resultados. O vencedor da chamada pública será conhecido na próxima semana.

Sobre o BNDES — Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.