Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Sun Sep 26 20:06:53 UTC 2021 Sun Sep 26 20:06:53 UTC 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:13:54 02/09/2021 |INFRAESTRUTURA |NORDESTE

Ultima atualização: 18:34 02/09/2021

Portais Governo PE
  • Consulta pública será aberta na quinta-feira
  • Sociedade poderá debater modelo na audiência pública, no dia 22 de setembro
  • Projeto de concessão deve atrair investimentos de R$ 615 milhões

 

 

O Governo do Estado de Pernambuco e o BNDES iniciam nesta quinta-feira (2) consulta pública para Concessão do Parque Estadual Dois Irmãos. A sociedade civil está convidada a participar durante o período de 30 dias com contribuições ao projeto modelado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que prevê investimentos de mais de R$ 600 milhões em gestão, infraestrutura e conservação. A colaboração da população será possível tanto por formulário eletrônico (http://www.parcerias.pe.gov.br/dialogo_publico_pmi.html) como através de audiência pública digital prevista para o dia 22 de setembro, via plataformas Zoom e Youtube.

 

O projeto de concessão do Dois Irmãos tem como objetivo o atendimento e apoio à visitação, além da revitalização e manutenção dos serviços turísticos para o parque. A iniciativa deve atrair investimentos de R$ 615 milhões em gestão e criação de novas infraestruturas. Ações de preservação ambiental também são prioridades dentro do projeto, que deve gerar 175 empregos diretos.

 

A novidade do projeto para o parque será a sua conversão em três estruturas: área urbana, área natural e bioparque. As duas primeiras vão oferecer espaço gratuito para recreação, com a construção de acesso público à mata para realização de trilhas e outras atividades de lazer. Já a área do zoológico será transformada em um grande bioparque – o primeiro do Nordeste –, nos moldes do implementado no Rio de Janeiro, incorporando conceitos de educação ambiental e conservação. Lá os animais ficarão em espaços físicos maiores e o visitante terá áreas de convivência e imersão com os animais.

 

O projeto também prevê a restauração do Chalé do Prata e do Chapéu do Sol, que são dois patrimônios históricos localizados dentro do parque. O Governo do Estado já tem em andamento a licitação para esse restauro, mas a participação do investimento privado dará celeridade às obras.

 

Em paralelo às ações para melhoria da experiência dos visitantes, o projeto incentivará a manutenção de pesquisas pelos institutos de ciência no Parque Dois Irmãos. Além disso, as funções de resgate de fauna e de estudos sobre comportamentos de espécies na Mata Atlântica seguirão a cargo da Secretaria de Meio Ambiente e seus parceiros. 

 

“O Parque Estadual de Dois Irmãos é um patrimônio da história ambiental de Pernambuco, sendo uma das primeiras iniciativas conservacionistas do estado, idealizado pelo ambientalista Vasconcelos Sobrinho na sua luta em defesa da preservação ambiental. Com a concessão dialogada com a sociedade, vamos garantir investimentos para assegurar o bem-estar dos animais e que melhorem a experiência dos visitantes. E valorizando a educação ambiental, mostrando a importância de preservar as espécies de nossa fauna regional”, explica José Bertotti, secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco.


A parceria do Estado de Pernambuco e do BNDES na estruturação de projetos para parques naturais ainda prevê a construção de uma aliança público-privada no Parque Estadual Mata da Pimenteira, em Serra Talhada. “BNDES e Pernambuco estão juntos em grandes operações como a instalação da Jeep, a modernização do Suape, além de outras em andamento como a revitalização do Porto Digital e o projeto de modelagem de rodovias. O Programa de Concessões de Unidades de Conservação é mais uma dessas iniciativas conjuntas e se insere dentro da estratégia de atuação do Banco em prol da agenda ESG”, analisa Fábio Abrahão, diretor de Infraestrutura do BNDES.

 

Parque Estadual de Dois Irmãos – Unidade de Conservação de Mata Atlântica, com cerca de 1.158 hectares de área, o Parque é localizado no bairro de Dois Irmãos, no Recife. Ampliado em 2017 pelo Governo do Estado, é um dos maiores fragmentos urbanos de Mata Atlântica de Pernambuco, e um importante centro de conservação da natureza do país. Em 14 hectares de área construída, funciona o Zoológico do Recife, com cerca de 400 animais sob cuidados humanos, entre répteis, aves e mamíferos, com foco na preservação da biodiversidade local e na educação ambiental.

 

Programa de Concessão de Unidades de Conservação do BNDES – Realizado em parceria com o Instituto Semeia, o Programa tem como objetivo atrair investimentos para o aumento do potencial turístico dos parques nacionais do Brasil. As concessões melhoram a infraestrutura dos parques e desenvolvem a vocação turística nestas regiões, aspectos fundamentais para atração de visitantes e investidores. A carteira atual de concessão de unidades de conservação do BNDES conta com 34 projetos na esfera estadual, além do projeto de concessão do Parque Nacional de Foz do Iguaçu, junto ao ICMBio (Ministério do Meio Ambiente). “Em comum na estruturação de todos eles estão a preocupação com a preservação, a sustentabilidade e o desenvolvimento da localidade onde se situa os parques”, ressalta Pedro Bruno Barros de Souza, superintendente de Governo e Relacionamento Institucional do BNDES.

 

Sobre o BNDES - Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.