BNDES - Agência de Notícias

Fri Jan 18 08:35:15 UTC 2019 Fri Jan 18 08:35:15 UTC 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Wed Dec 26 15:07:31 UTC 2018 |INFRAESTRUTURA

André Telles - Divulgação/BNDES

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou neste mês 10 operações, no valor total de R$ 7,6 bilhões, para investimentos em distribuição de energia elétrica nos Estados de Pernambuco, Maranhão, Bahia, Pará, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

Equatorial – Dois dos financiamentos, no valor total de R$ 2,56 bilhões, são para o grupo Equatorial Energia, com vistas à implantação do plano de investimentos das distribuidoras Centrais Elétricas do Pará S.A. (Celpa) e Companhia Energética do Maranhão (Cemar) no triênio 2018-2020.

Os recursos do BNDES serão investidos pela Celpa e pela Cemar em atualização tecnológica, contenção de perdas comerciais, atendimento ao crescimento da base de clientes, expansão do sistema e melhoria da operação e da qualidade do serviço prestado.

Os investimentos em tecnologia contemplam aquisição de hardware e software. Já o programa de contenção de perdas prevê fiscalização e regularização de consumidores e substituição de equipamentos de medição defeituosos ou fraudados.

Para atender o crescimento da base de clientes e proporcionar mais qualidade nas ligações, as companhias investirão na ampliação da rede de distribuição e na adequação de carga e tensão.

Novas subestações e linhas de transmissão serão construídas para expandir o sistema, que, no caso da Celpa, receberá também melhorias operacionais, com investimentos em georreferenciamento e automação — itens nos quais a Cemar já investiu recursos financeiros nos últimos anos.

Neonergia – O BNDES também aprovou R$ 2,47 bilhões em financiamentos ao grupo Neonergia para implantação dos planos de investimentos das distribuidoras Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e Elektro Redes, que opera em 223 municípios de São Paulo e cinco de Mato Grosso do Sul.

Os recursos serão investidos em fornecimento de energia, redução do nível de estresse sobre o sistema elétrico e aumento da disponibilidade com o fornecimento de cargas adicionais das distribuidoras em suas respectivas áreas de atuação, adequando a prestação do serviço à demanda dos consumidores.

Para expandir as redes, as concessionárias construirão novas subestações e redes de distribuição de média e alta tensão. As subestações existentes serão digitalizadas e terão a potência ampliada. A estrutura das linhas de distribuição em alta tensão também será renovada. A operação e manutenção do sistema elétrico das distribuidoras contará ainda com investimentos na estrutura de telecomunicações.

CPFL/State Grid – O Banco aprovou ainda R$ 2,6 bilhões para financiar a implantação dos planos de investimento de cinco distribuidoras do grupo CPFL/State Grid, que atuam em diversos municípios dos Estados de São Paulo, Minas, Paraná e Rio Grande do Sul: Companhia Jaguari de Energia, RGE Sul Distribuidora de Energia S.A., Rio Grande Energia S.A., Companhia Piratininga de Força e Luz e Companhia Paulista de Força e Luz.

Os investimentos visam a atender ao crescimento do número de consumidores e da demanda de energia, manter a qualidade do fornecimento de energia elétrica, automatizar redes de distribuição, adquirir veículos e equipamentos, expandir e modernizar instalações prediais, e modernizar sistemas de tecnologia da informação das concessionárias.

 

FOTO ANDRE TELLES Distribuição2