Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

09:29 23 de May de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:16:57 22/09/2021 |INSTITUCIONAL

Ultima atualização: 17:16 22/09/2021

Divulgação
Parceria é modelo para ações futuras, diz diretor do Banco

● Reforçando agenda ASG, a parceria visa apoiar projetos geradores de impactos sociais positivos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Movimento Bem Maior (MBM), organização da sociedade civil, assinaram Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com vistas ao apoio conjunto a projetos que contribuam para gerar transformação social positiva no País. 

O plano de trabalho do ACT estabelece três focos de atuação: Empreendedorismo, Inclusão Produtiva e Educação, com ênfase, neste último caso, em iniciativas para o aprimoramento da gestão, adoção de tecnologia com fins pedagógicos e implantação da Base Nacional Comum Curricular e do Novo Ensino Médio. 

Os temas foram definidos por terem sido identificados, pelas equipes do BNDES e do MBM, como de prioridade estratégica dentre os focos de atuação da agenda social de ambas as instituições. A partir desse entendimento, os times trabalharão no sentido de mobilizar e articular organizações sociais e potenciais parceiros para viabilizar e desenvolver grandes iniciativas que estejam dentro deste escopo. 

As instituições também farão o intercâmbio de informações técnicas e conhecimentos setoriais e poderão apresentar projetos dos seus portfólios que possam ser objeto de investimento mútuo. Na hipótese de aporte do BNDES, que poderá apoiar até 50% do projeto, serão observadas as normas operacionais vigentes no Banco. 

O ACT e o plano de trabalho estão alinhados ao objetivo geral do BNDES de ampliar o alcance de suas ações de sustentabilidade e ao objetivo específico do Banco de construir parcerias em agendas socioambientais com o setor corporativo, o que levou à criação, em 2020, do Departamento de Relacionamento de Impacto com o Setor Corporativo, exclusivo para este fim.

Agenda ASG - Em julho de 2021, o BNDES divulgou os critérios do seu novo Fundo Socioambiental, cujas regras determinam que o Banco somente apoiará novos projetos na modalidade de apoio continuado se houver aporte de recursos de empresas parceiras. 

Nesse sentido, o Acordo com o MBM representa contribuição relevante para os esforços de alcançar um resultado permanente e efetivo da Agenda ASG (Ambiental, Social e de melhoria de Governança) e é oportuna em um momento no qual o tema ganha importância nacional e internacional, sobretudo no cenário pós-pandemia. 

“A parceria com o Movimento Bem Maior serve de modelo para união de esforços entre empresas, poder público e sociedade civil na promoção da agenda ASG, de forma a gerar impactos socioambientais positivos para a sociedade brasileira”, avaliou o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha.

Fundado por um grupo de empresários em 2018, o MBM tem como objetivo fortalecer a filantropia no País. Já apoiou mais de 100 organizações da sociedade civil em todo o Brasil, às quais destinou mais de R$ 30 milhões. “A parceria com o BNDES vem para solidificar um novo caminho, onde a soma de esforços entre público e privado resulta em mais investimento social e mais impacto sistêmico”, afirmou Carola Matarazzo, diretora executiva do Movimento Bem Maior. 

A organização tem, entre seus associados mantenedores, uma rede de filantropos vinculados a grandes empresas brasileiras, sob a agenda comum de diminuição das desigualdades e transformação social do País. Ao reforçar o seu acesso a essa rede, o BNDES poderá, com a alavancagem de recursos privados, ampliar sua agenda ASG. 

“Essa parceria é mais um passo da atuação do BNDES com o setor corporativo e serve de modelo para ações futuras que visam alavancar o impacto e a abrangência de iniciativas socioambientais para a sociedade, com resultados perenes e efetivos", destacou o diretor de Crédito à Infraestrutura do Banco, Petrônio Cançado.