BNDES - Agência de Notícias

15:52 23 de January de 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:14:35 09/12/2020 |SAÚDE

Ultima atualização: 18:07 09/12/2020

BNDES/Divulgação
  • Crédito de R$ 13,5 milhões será utilizado para a expansão da Targa, fabricante de luvas de procedimento não cirúrgico e cirúrgicas de látex natural

 

  • Outros R$ 10 milhões são destinados à manutenção da estrutura produtiva da Polar Fix, que emprega cerca de 600 pessoas em SP e MG

 

  • Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus teve R$ 306 milhões em aprovações

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoia, com R$ 23,5 milhões, dois fabricantes nacionais de equipamentos de proteção individual (EPIs) para pacientes e profissionais de saúde. Os financiamentos ocorrem por meio do Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus que apoia o aumento da oferta de leitos emergenciais bem como de produtos críticos de saúde e proteção de vítimas e profissionais que atuam no combate à pandemia de Covid-19. Ao todo, já foram concedidos R$ 306 milhões nessa linha.

Do total recém-aprovado, R$ 13,5 milhões irão para a Targa S.A., de Paraíba do Sul, na Serra Fluminense (RJ), que produz luvas de procedimento não cirúrgico e cirúrgicas da marca Lemgruber. O financiamento corresponde ao custo de produção das luvas pelo período crítico da pandemia e à reforma de duas máquinas sem condições de uso. O valor viabilizará a disponibilização de cerca de 6,7 milhões de caixas de cem unidades de luvas ao mercado brasileiro em 2020.

Os outros R$ 10 milhões serão destinados à Polar Fix Indústria de Produtos Hospitalares Ltda., de Mauá, na Região Metropolitana de São Paulo, para manter em operação a nova estrutura produtiva da empresa criada durante a pandemia. Assim, será possível garantir a produção local de cerca de 3,4 milhões de aventais, que continuam muito demandados.

Em conjunto, as empresas irão entregar para a sociedade 10,1 milhões de EPIs, que serão disponibilizados no mercado nos próximos 6 meses. Segundo João Paulo Pieroni, chefe do Departamento de Complexo Industrial e de Serviços de Saúde do BNDES, no caso da Polar Fix, a internalização da produção conduzida pela empresa transformou a crise em uma oportunidade de agregar valor ao negócio: “Ao mesmo tempo, isto tornou possível a ampliação da oferta local de EPIs por meio da fabricação própria. Trata-se de um bom exemplo do que chamamos de conversão industrial”, explicou.

As empresas – Única fabricante de luvas de procedimento não cirúrgico no País, há 10 anos, a Targa produz e vende somente para o mercado nacional luvas de látex, exclusivamente para fins médicos, contribuindo para que o Brasil não seja 100%  dependente do mercado internacional. Desde março, em razão do aumento da demanda causado pela pandemia, a empresa contratou 100 funcionários e foram criadas novas vagas para 20 trabalhadores terceirizados no setor de embalagens, para atender ao crescimento de produção de luvas. Para evitar desabastecimento de matéria-prima, parte dos recursos será destinada à aquisição e armazenamento de látex e outros materiais críticos.

Para aumentar a capacidade produtiva em curto prazo, a Targa decidiu reativar duas linhas de produção, que foram modernizadas com a aquisição de novos sistemas de aquecimento, além de novas instalações elétricas, mecânicas e hidráulicas. Uma das linhas voltou a operar em agosto e a outra no inicio de novembro. Além disso, a Targa incorporou novos equipamentos de embalagem de luvas cirúrgicas para aumentar sua capacidade de entrega de produtos.

A Polar Fix importa, produz e comercializa produtos descartáveis para a área médico-hospitalar. Entre os seus produtos estão aventais e kits cirúrgicos, curativos, bandagens, além de outros itens para a proteção, esterilização e higiene de pacientes e profissionais de saúde. A empresa, que além da sede paulista conta com uma filial industrial em São Gonçalo do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais, emprega cerca de 600 pessoas. Sua estrutura comercial permite atender a todo o mercado nacional.

Impacto social do apoio do BNDES – Por meio do Programa BNDES de Apoio Emergencial ao Combate da Pandemia do Coronavírus o BNDES já aprovou R$ 306 milhões que permitiram o aumento da oferta de 2,9 mil leitos emergenciais, 4 milhões de testes de diagnóstico de Covid-19 e 1,5 mil equipamentos médicos. Já o programa de financiamento coletivo BNDES Matchfunding Salvando Vidas promovido pelo Banco arrecadou mais de R$ 73 milhões e já adquiriu e doou 36 milhões de equipamentos de proteção individual para médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde de 428 hospitais que atendem o SUS e que atuam na linha de frente da pandemia do novo coronavírus.