Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Thu Feb 25 02:56:17 UTC 2021 Thu Feb 25 02:56:17 UTC 2021

Por: Agência BNDES de Notícias, com informações do MME

Publicação:11:16 29/01/2021 |INFRAESTRUTURA

Ultima atualização: 12:02 29/01/2021

Pok Rie/Pexels

Empréstimo de bancos liderados pelo BNDES no valor de R$ 15,3 bi dilui reajuste na conta de luz para o consumidor e dá liquidez às distribuidoras

 

A Conta-Covid ganhou esta semana o prêmio internacional Deals of the Year Awards, oferecido pelo grupo LatinFinance, na categoria de financiamento estruturado. O mecanismo é um empréstimo de R$ 15,3 bilhões de um conjunto de bancos públicos e privados, sob a liderança do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para preservar as contas das empresas do setor elétrico e reduzir o impacto da pandemia na conta de luz paga pelo consumidor.

A medida vai diluir os aumentos das tarifas de energia nos próximos cinco anos. Os recursos do BNDES e das demais instituições financeiras participantes da Conta-Covid estão sendo desembolsados para as distribuidoras em sete parcelas, que tiveram início no auge da crise sanitária em julho de 2020.

Os contratos foram assinados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e por 16 instituições financeiras para formalizar e viabilizar os empréstimos para as distribuidoras de energia elétrica, conforme regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A LatinFinance destacou que a Conta-Covid permitiu que o setor elétrico estivesse pronto para a recuperação da atividade econômica.

Conta-Covid – A Conta-Covid diluiu o reajuste nas tarifas de energia para o consumidor final e deu liquidez às distribuidoras, num momento em que a economia enfrentava perdas e recessão. “Essa operação de mercado, estruturada sob a forma de empréstimo sindicalizado por 16 bancos brasileiros e internacionais, está alinhada com as diretrizes estratégicas do BNDES visando ao cofinanciamento e desenvolvimento de mecanismos conjuntos de financiamento a projetos no Brasil”, afirmou o chefe do Departamento de Captação do Banco, André Carvalhal.