Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

21:11 20 de May de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:12:04 12/04/2022 |AGRICULTURA

Ultima atualização: 14:10 12/04/2022

- Tecnologia incrementou acerto de 12,5% na previsão meteorológica e de 142% em melhora de sementes

- Projeto ocorre no âmbito do BNDES Pilotos IoT, chamada para seleção de projetos-piloto de Internet das Coisas (IoT)

- BNDES já conta com linhas de financiamento para aquisição e desenvolvimento de soluções de IoT para o setor agrícola


Apoiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o projeto AgroConnect, identificou que o uso de soluções de Internet das Coisas (IoT) pode aumentar a produtividade por hectare da soja em 19,45%. A iniciativa foi a primeira concluída no âmbito do BNDES Pilotos IoT, chamada realizada em 2018 para avaliação do uso de soluções tecnológicas de IoT em larga escala em três ambientes reais: cidades, saúde e rural. O estudo, recém-finalizado, foi elaborado por meio de uma parceria entre a Fundação para Inovações Tecnológicas (FITec), a Nokia Solutions and Networks, a Algar Farming e a Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O objetivo do AgroConnect foi o de desenvolver, por meio do teste de diversas tecnologias, uma plataforma integrada de diferentes soluções de IoT para o agronegócio (que envolvem clima, solo, manejo, máquinas, eficiência energética e eficiência hídrica), já disponíveis no mercado. Esse piloto tinha a finalidade de aumentar a qualidade de informações do produtor sobre o cultivo e, consequentemente, gerar ganhos de produtividade e rentabilidade.

“Este é o primeiro estudo finalizado, dentre três iniciativas apoiadas pelo BNDES, que estão avaliando o impacto da IoT no agronegócio. Com esses estudos, realizados de forma técnica e independente, o BNDES quer ajudar o produtor rural a conhecer de forma detalhada os reais benefícios da utilização das tecnologias digitais na agricultura, fomentando maior eficiência econômica e menor utilização de recursos naturais”, comenta o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental, Bruno Aranha.

O piloto foi realizado nas cinco fazendas do Complexo Gaia, no município de Monte Alegre de Minas (MG), a 82 Km de Uberlândia. Ao todo, foram implantadas oito tecnologias IoT para o monitoramento de dados, entre 2019 e 2021, que englobam sensoriamento remoto de lavouras, monitoramento meteorológico, do solo, dos recursos hídricos, das operações agrícolas e de ativos, além de outros dispositivos de agricultura de precisão.

Além do aumento de produtividade de até 19,45% em sacas de soja por hectare frente à média histórica de safras anteriores do complexo, os estudos indicaram também um aumento de 12,50% na porcentagem de acerto da previsão meteorológica e um aumento de 142% na singulação (efeito de tornar uma semente singular, sem falhas ou duplas), dentre outros indicadores.

Cabe mencionar que os investimentos feitos em equipamentos e serviços de IoT se pagaram já na primeira safra, e os gastos com fornecedores caíram 55% após o segundo ano. 

“O projeto AgroConnect demonstrou que IoT é o caminho seguro para o desenvolvimento sustentável em todos os setores da economia, principalmente no agronegócio”, comentou José Luis De Souza, Presidente Executivo da FITec.

A partir de um estudo prático, robusto e independente sobre o uso das tecnologias em ambiente real e em larga escala, o AgroConnect comprovou as vantagens da aplicação de soluções de IoT na agricultura, apresentando um conjunto de oportunidades para replicação destas soluções em culturas de grãos de modo geral, não apenas da soja. Uma delas é a disponibilização de linhas de crédito que apoiem a difusão das tecnologias no campo. 

O BNDES conta com linhas de crédito que impulsionam a transformação digital da agricultura, contribuindo para o desenvolvimento de soluções e facilitando investimentos iniciais em IoT realizados por produtores rurais, tais como o BNDES Finem - Crédito Inovação Direto, o BNDES Finame Máquinas 4.0 e o Inovagro. 

O BNDES Finem - Crédito Inovação Direto financia o desenvolvimento das inovações, incluindo a infraestrutura laboratorial necessária e unidades-piloto e de demonstração da tecnologia inovadora.

Já o BNDES Finame Máquinas 4.0, por outro lado, financia a aquisição de soluções de Manufatura Avançada e de serviços para IoT, incluindo as máquinas e equipamentos necessários para a execução dos mesmos. O Inovagro vai na mesma linha, de financiar a aquisição de inovações tecnológicas nas propriedades rurais, incluindo a assistência técnica necessária para a elaboração, implantação, acompanhamento e execução dos projetos.