Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

11:04 30 de November de 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:43 23/11/2022 |CULTURA |SUDESTE

Ultima atualização: 11:51 23/11/2022

UFRJ

· Leilão será realizado no dia 21 de dezembro
· Em troca da gestão por 30 anos, UFRJ receberá restaurante universitário e prédio acadêmico, além de direito a uso dos equipamentos culturais durante período de concessão
· Projeto prevê investimentos de aproximadamente R$ 140 milhões de reais nos próximos três anos

Com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) publicou nesta quarta-feira (23) o edital de concessão do Equipamento Cultural Multiuso em substituição ao antigo Canecão.  O leilão para escolha do concessionário está previsto para 21 de dezembro, com outorga mínima de R$ 625 mil. Além deste valor, o concessionário terá que construir uma casa de shows e realizar investimentos em infraestruturas acadêmicas que no total somam R$ 140 milhões de reais nos próximos três anos.

Além do espaço para espetáculos (com capacidade para no mínimo três mil espectadores), o equipamento cultural multiuso contará com espaço para exposições (com pelo menos 320 m2) e sala de ensaios (área mínima de 270 m2). Também será construído o Espaço Ziraldo (ao menos 430 m2), que poderá receber exposições e apresentações. Ele abrigará o mural produzido pelo artista para o antigo Canecão. Com 32 x 6 metros, a obra inspirada nos traços de Picasso e Portinari será restaurada pela universidade.

“O projeto de concessão do novo equipamento cultural da UFRJ é uma oportunidade de melhorar a infraestrutura acadêmica da universidade por desses edifícios. Todas as novas infraestruturas serão de propriedade da UFRJ”, explicou Ricardo Antônio Torres Rodrigues, superintendente da Área de Governo e Relacionamento Institucional do BNDES. “O projeto melhora as condições da universidade, bem como devolve à cidade do Rio de Janeiro um dos mais importantes equipamentos culturais da música brasileira", complementou o executivo.

Como contrapartida pelo uso comercial do espaço durante 30 anos, além de arcar com os custos para construção dos equipamentos culturais, o cessionário vai erguer  para a UFRJ um restaurante universitário (com capacidade para servir duas  mil refeições por dia) e um prédio acadêmico (que deve atender a mais de quatro mil estudantes). Também haverá investimento na urbanização das áreas remanescentes, criando espaços públicos e arborizados para a sociedade. A cada ano, a UFRJ terá direito a 50 dias de uso do espaço cultural multiuso; 90 do espaço de exposições e da sala de ensaio; e 275 do Espaço Ziraldo, que serão mantidos pela concessionária. Após o período da concessão, os empreendimentos culturais passarão para posse da universidade.

“O projeto do equipamento cultural multiuso fortalece a vocação da UFRJ para o ensino, a pesquisa, a extensão universitária e a permanência estudantil, além de estreitar o vínculo entre a universidade e a sociedade carioca. Isso porque todas as contrapartidas esperadas foram pensadas a partir das necessidades da nossa comunidade acadêmica, especialmente dos alunos, e da cidade do Rio de Janeiro”, pontuou a reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho. “O projeto do equipamento cultural multiuso é inovador no sentido de que ele não demanda um retorno financeiro, mas sim a construção de diversas infraestruturas acadêmicas. Dessa forma garantimos o investimento nas áreas mais demandadas pelos estudantes e nos setores de arte, cultura e lazer da nossa universidade”, avaliou Denise.

O projeto tem como pilar a valorização do patrimônio histórico e cultural, além da cultura e do lazer, na cidade do Rio de Janeiro. Também busca fortalecer as políticas de permanência estudantil, da pesquisa, do ensino e da extensão universitária da UFRJ. 

A iniciativa busca atender os preceitos determinados por auditoria realizada pelo Tribunal de Contas da União (registrada no acórdão TC 012.285/2016-1) e está em linha com a Lei Complementar Municipal 239/2022, que estabelece as condições para implantação de equipamento cultural na região que abrigava o antigo Canecão.

“Resultado de muito estudo, muito esforço e de um debate qualificado, o projeto do Equipamento Cultural Multiuso nos aproxima do nosso ideal de uma universidade inclusiva e de excelência”, concluiu a reitora.

Durante os estudos, foram realizadas reuniões técnicas com autoridades municipais, órgãos de controle, associações de moradores da região, além do público interno da universidade e representantes do setor artístico e cultural.

Sobre o BNDES – Ao longo de seus 70 anos de história, o BNDES foi o principal instrumento de Governo para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira, além de ser um dos principais financiadores de micro, pequenas e médias empresas do País. O Banco também tem importante atuação anticíclica em momentos de crise, como um dos formuladores das soluções para a retomada do crescimento da economia. Atualmente, o BNDES atua com foco na criação e manutenção de empregos, na melhoria dos serviços públicos do Brasil, como educação, saúde e saneamento, além de apoiar o País na transição justa para uma economia neutra em carbono. O Banco tem como propósito transformar a vida de gerações, promovendo o desenvolvimento sustentável.