BNDES - Agência de Notícias

22:54 31 de March de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:15:26 24/01/2020 |INFRAESTRUTURA |SUL

Ultima atualização: 16:23 24/01/2020

Unsplash
  • AdylNet vai expandir rede de fibra ótica com aquisição de equipamentos nacionais
  • Investimentos ampliarão em 37 mil o número de pessoas com acesso ao serviço de banda larga
  • Oferta de conexão de alta velocidade à população gera reflexos na qualidade de vida, produtividade e economia das cidades atendidas

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 12,1 milhões à AdylNet Acesso à Internet Ltda para investimentos na expansão da oferta de banda larga em 31 municípios do Rio Grande do Sul. O valor da operação, com recursos do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), representa 80% do total a ser investido no projeto (R$ 15,1 milhões).

Com o apoio, o BNDES incentiva a ampliação da cobertura de serviços de telecomunicações por fibra ótica visando ao aumento da oferta de conexão de alta velocidade à população desprovida de serviços adequados, com reflexos na qualidade de vida, produtividade e economia das cidades atendidas.

A estimativa é que seja possível expandir em mais de 37 mil o número de pessoas com acesso à internet por fibra óptica nos municípios gaúchos abarcados pelo projeto. O objetivo está alinhado ao plano trienal da instituição, que prevê, no item “Entregas para a sociedade” de tecnologia da informação e comunicações, novos acessos de serviços de banda larga fixa para 8 milhões de pessoas até 2022.

Retorno social – Com os recursos do BNDES, a AdylNet adquirirá equipamentos de telecomunicações e cabos de fibra ótica fabricados no Brasil, apoiando o desenvolvimento e a produção da indústria com tecnologia nacional. Outras externalidades importantes são a geração de 60 empregos diretos, aumento da renda e possibilidade de melhoria da qualificação da mão-de-obra contratada.

O projeto prevê o atendimento às cidades de Barão, Bento Gonçalves, Bom Princípio, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Ciríaco, Cotiporã, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Gentil, Jaquirana, Lagoa Vermelha, Marau, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Petrópolis, Paraí, Passo Fundo, Picada Café, Porto Alegre, Presidente Lucena, Santa Maria do Herval, Santa Tereza, Santo Antônio do Palma, São Domingos do Sul, São Marcos, São Vendelino, Serafino Corrêa, Vanini e Vista Alegre do Prata.

 

Mercado nacional de conexões de alta velocidade está entre os maiores do mundo

Segundo relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o mercado de banda larga no Brasil está situado entre os maiores do mundo em termos absolutos. O documento aponta que o mercado brasileiro de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), responsável pela oferta de serviços de banda larga fixa, registrou crescimento total de 276% no período de 2007 a 2018, de 8,3 milhões de acessos para 31 milhões, o que representa um crescimento médio anual de 12,8%, próximo à média mundial de 13% ao ano.

Em julho de 2019, havia 32 milhões de acessos no serviço SCM. Ainda assim, trata-se de um percentual relativamente pequeno da população brasileira com acesso a conexões de alta velocidade. A tecnologia de fibra ótica, por sua vez, ocupa o terceiro lugar entre os contratos de serviço de banda larga — atrás da tecnologia xDSL (Linha Digital de Assinante) e da tecnologia de modem a cabo —, mas vem apresentando crescimento elevado nos últimos anos, atingindo 24,7% de participação no mercado brasileiro em julho de 2019.