BNDES - Agência de Notícias

12:08 19 de April de 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

16:47 27/07/2018 |EDUCAÇÃO

André Nery/MEC
Dyogo discursa no lançamento do edital de chamada pública Educação Conectada

Lançado no dia 27 de abril, o edital de chamada pública "Educação Conectada", que selecionará projetos de incorporação de tecnologias digitais à educação nas escolas públicas, mobilizou todos os Estados e o Distrito Federal, que concluíram o diagnóstico da situação das escolas. Quase todas as unidades da Federação apresentaram seus projetos até o encerramento do período de inscrições, no último dia 13 de julho, envolvendo 47 municípios brasileiros e duas regiões administrativas do DF. No total, serão destinados até R$ 20 milhões não reembolsáveis do Fundo Social do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aos projetos apoiados.

Para o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, “o sucesso desse projeto não depende somente da nossa vontade e do MEC, mas da participação dos parceiros do setor público e privado”

Segundo ele, o país precisa “dar um salto de qualidade”. “O sucesso desse projeto não depende somente da nossa vontade e do MEC, mas da participação dos parceiros do setor público e privado”, ressaltou. “Instituições que se dedicam à melhoria da educação do País contarão com nosso apoio”.

Lançada para fomentar o uso da tecnologia no cotidiano pedagógico das escolas públicas de educação básica e na gestão das redes de ensino, a chamada é a primeira iniciativa do Programa de Inovação Educação Conectada do Governo Federal, que prevê levar internet de alta velocidade e assegurar inserção da tecnologia como ferramenta pedagógica de uso cotidiano nas escolas públicas brasileiras até 2024.

São esperados ganhos na motivação de alunos e professores, na evolução de indicadores educacionais dos projetos, na qualidade do ensino, na equidade, na gestão das redes e escolas e na promoção de maior aprendizado escolar.

Complementando o apoio do banco de fomento, a iniciativa poderá contar com recursos adicionais de entidades privadas e organizações da sociedade civil, que poderão aderir como parceiros. A intenção é convergir conhecimentos e experiências e de recursos institucionais, técnicos e financeiros voltados para a melhoria da qualidade da educação pública no Brasil. A Fundação Lemann já sinalizou disposição de aporte de R$ 4 milhões em 2018 e mais R$ 6 milhões em 2019.

“O projeto contempla todas as etapas da educação básica, da educação infantil até o ensino médio”, explicou o ministro da Educação, Rossieli Soares. “Com esse projeto e a parceria com o BNDES, as secretarias estaduais terão a possibilidade de apresentar projetos-piloto a serem desenvolvidos dentro de suas redes, para que possamos testar a excelência da proposta e, posteriormente, dar escala a isso”.

Projetos apoiáveis – Os projetos deverão contemplar ações e ou investimentos integrados em quatro dimensões estruturantes: visão, formação, recursos educacionais digitais e infraestrutura, para aplicação em escolas de ensino fundamental e médio. O BNDES coordenará ainda o desenvolvimento de um modelo de monitoramento e avaliação (M&A) da chamada pública que contará com uma rede de universidades e instituições públicas e privadas.

Inicialmente, serão selecionados cinco projetos de implementação e uso de tecnologias digitais para educação, visando apoiar sua adoção nas redes públicas estaduais e municipais de ensino e testar modelos mais efetivos, de forma a permitir a aprendizagem para atuar no longo prazo com maior escala. Outras cinco propostas comporão uma lista de espera e poderão prosseguir para o processo de análise e contratação, a critério do BNDES, e na hipótese de alavancagem de recursos adicionais.

A chamada é direcionada às unidades da Federação que aderiram ao Programa de Inovação e Educação Conectada. Eles deverão manifestar interesse em apresentar propostas de projetos, em conjunto com um ou dois de seus municípios elegíveis (no caso do Distrito Federal, regiões administrativas), até dia 15 de maio. Os municípios foram listados de acordo com critérios sociais e educacionais descritos no Edital.