BNDES - Agência de Notícias

14:21 23 de January de 2021

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:21:29 24/11/2020 |INOVAÇÃO

Ultima atualização: 14:12 25/11/2020

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O ministro das Comunicações, Fábio Faria e o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, durante a cerimônia de comemoração aos 20 Anos do Funttel
  • Repasse é o maior da história do Fundo para Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações, criado há 20 anos

  • Recursos vão aumentar a competitividade da indústria brasileira de telecomunicações

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) receberam R$ 410 milhões em recursos do Fundo para Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), a maior quantia desde a sua criação, há 20 anos. Os recursos, divididos igualmente entre os dois operadores do fundo, têm o objetivo de aumentar a competitividade da indústria brasileira de telecomunicações, com a geração estimada de 41 mil empregos diretos e indiretos.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, participou nesta terça-feira, 24, da cerimônia que comemorou os 20 anos do Funttel no auditório do Ministério das Comunicações, em Brasília. O evento contou com a presença dos ministros Fábio Faria (Comunicações), Tereza Cristina (Agricultura), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações) e Milton Ribeiro (Educação).

O ministro Faria entregou cheques simbólicos ao BNDES e à Finep. Segundo Faria, o Fundo tem papel relevante para a oferta de serviço de banda larga no país. “Hoje, depois da pandemia, percebemos que a internet é um serviço tão essencial quanto saúde, segurança, agricultura”, citou o ministro.

 

comunicacoes-funtttel-fc


Do orçamento total disponibilizado pelo Funttel, metade estará sob a responsabilidade do BNDES. Serão R$ 205 milhões neste ano de 2020, montante superior ao ano passado, de R$ 150 milhões, e aos R$ 95 milhões da primeira captação, em 2018. O Banco também buscará difundir novas tecnologias para prestadores de serviços de telecomunicações e usuários de soluções conectadas.

O Funttel promove uma agenda de impacto social estratégico, com temáticas voltadas à Economia 4.0, Sociedade Conectada (Internet das Coisas), Serviços Públicos Digitais e Segurança Cibernética, entre outros. Os objetivos do Fundo se alinham às Orientações Estratégicas do Plano Trienal do BNDES (2020-2022).

Montezano disse na cerimônia que o BNDES poderá usar recursos de outras fontes do Banco para alavancar as ações do Funttel. O BNDES avaliará também, segundo o presidente, levar os recursos dos fundos para pequenas e médias empresas por meio de parceiros. “Estamos trabalhando para poder capilarizar ainda mais esse recurso e dar conexão digital a 800 mil brasileiros, caminhando para trazer comunicação, informação e reduzir a desigualdade social”.

O BNDES, em três anos, já aprovou sete operações do Funttel, com a utilização de R$ 170 milhões.  Em 2018, por exemplo, o financiamento ao plano de expansão de fibra ótica da empresa Brisanet propiciou internet em banda larga para cerca de 200 mil pessoas em 15 cidades na Paraíba e em Pernambuco. Foram quase 20 mil quilômetros de fibra óptica e equipamentos com tecnologia desenvolvida no Brasil.

 

Projeto semelhante foi desenvolvido no ano passado em apoio à provedora de internet Starweb, com a implantação de três mil quilômetros em rede de transportes de dados conectando 25 municípios do interior de Minas Gerais. E ainda relacionado à democratização da banda larga, encontra-se em fase de contratação o projeto da Sumicity que levará internet rápida e de qualidade para o interior do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Ocorreu, ainda via Funttel e BNDES, o suporte ao plano de desenvolvimento tecnológico da Intelbrás. O apoio foi responsável pelo financiamento a mais de 350 funcionários de Pequisa e Desenvolvimento responsáveis pelo desenvolvimento e aprimoramento de mais de 150 produtos nas áreas de sistemas de segurança, redes, telecom e controle de acessos. Houve também a expansão de oportunidades na estruturação de novos negócios a partir da aplicação do conceito de Internet das Coisas.

Sobre o Funttel – O Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações foi criado no ano 2000 com o objetivo de estimular a inovação tecnológica, capacitar recursos humanos e conceder acesso a crédito para as pequenas e médias empresas. Os recursos são operados pelo BNDES e pela FINEP, instituições que compõem o Conselho Gestor do fundo em conjunto com os ministérios da Ciência e Tecnologia, das Comunicações e da Economia. O Funttel possui a missão de ampliação da competitividade da indústria brasileira de telecomunicações via projetos de pesquisa e desenvolvimento, centros de tecnologia e capitais de investimento A principal receita do fundo advém de percentual do faturamento das prestadoras de serviços de telecomunicações (0,5%).