BNDES - Agência de Notícias

10:33 24 de September de 2020

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:11:41 18/12/2019 |INOVAÇÃO |MERCADO DE CAPITAIS |MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS

Ultima atualização: 15:04 05/08/2020

Fotos: André Telles/Divulgação BNDES
Lançamento do fundo de investimentos focado em startups voltadas ao desenvolvimento de produtos e serviços para IoT

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Qualcomm Ventures, braço de investimentos da Qualcomm Inc., lançaram nesta terça-feira, 17, um fundo de investimento em participações de R$ 160 milhões focado em startups que desenvolvam produtos e serviços para internet das coisas (IoT, do inglês internet of things). Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de IoT no Brasil, o fundo apoiará startups em estágio inicial (capital semente e financiamento de série A).

O BNDES e a Qualcomm planejam aportar 50% do valor total do fundo, o equivalente a R$80 milhões. Outros investidores serão convidados a participar, ajudando na composição do valor integral. O fundo será administrado por um gestor a ser selecionado pelo BNDES e pela Qualcomm por meio de um edital de seleção, disponível no site do banco de fomento. Os gestores de fundos de investimentos em participações poderão encaminhar suas propostas até o dia 7 de fevereiro do ano que vem.

Para o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, o lançamento do fundo “vem em um bom momento de retomada do crescimento econômico” e “contribuirá para o desenvolvimento do ecossistema de startups e de IoT”. “Fundos como esse são instrumentos inovadores para fomentar o empreendedorismo no Brasil, principalmente em setores de maior risco, como o de tecnologia”, pondera.

 

BNDES e Qualcomm lançam fundo de R$ 160 mi para incentivar internet das coisas

Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm para a América Latina, cumprimenta o presidente do BNDES, Gustavo Montezano

 

O chefe do Departamento de Gestão de Investimentos em Fundos do BNDES, Filipe Borsato, explica que o fundo se insere em um contexto de corporate venture capital, no qual empresas são investidores relevantes dos fundos. “É uma tendência que tem muito a contribuir para o mercado de capitais e para a inovação no País”, prevê.

O presidente para a América Latina e vice-presidente sênior da Qualcomm, Rafael Steinhauser, afirma que a criação do fundo se alinha à visão estratégica da empresa de impulsionar o ecossistema de internet das coisas no Brasil. “Queremos engajar com empresas líderes em diferentes verticais, de maneira a explorar o potencial do País como produtor de tecnologia”, explica. “Além do aporte financeiro, contribuiremos também com nossa expertise em IoT, afinal estamos desenvolvendo tecnologias nesse campo há pelo menos uma década”.

Conforme lembra o diretor sênior da Qualcomm Technologies Inc. e diretor-executivo da Qualcomm Ventures para América Latina, Alexandre Villela, a IoT como uma arquitetura tecnológica que permite a conexão de milhões de dispositivos à nuvem, sem intervenção humana, para fins de tomada de decisão. “Em um momento onde as empresas buscam ganhos de produtividade para aumentar sua competitividade global, a internet das coisas surge como um dos pilares da transformação digital e da manufatura avançada – indústria 4.0 – nas empresas”, observa.

A política de investimentos do fundo deve contemplar empresas com aplicações de hardware, software e análise de dados, voltadas para áreas estratégicas, tais quais: manufatura avançada, cidades inteligentes, saúde, smart agro e IoT residencial. O fundo está alinhado ao Plano Nacional de Internet das Coisas, política pública lançada em junho deste ano para desenvolver o ecossistema de IoT no País, e à nova regulamentação da Lei de Informática, que permite o investimento, pelos fabricantes de eletrônicos, de recursos incentivados em fundos de venture capital.

 

Acesse: http://bndes.gov.br/fundo-iot

 

Assista ao vídeo: Montezano e Steinhausen comentam a criação do fundo