Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Sun Jan 29 12:00:41 CET 2023 Sun Jan 29 12:00:41 CET 2023

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:12:25 26/12/2022 |EDUCAÇÃO

Ultima atualização: 12:32 26/12/2022

- Chamada pública de seleção priorizará municípios urbanos e rurais em situação de vulnerabilidade de todas as regiões do país para apoiar melhorias de aprendizagem no Ensino Fundamental público
 
- Projeto prevê o desenvolvimento de formação técnica e profissional no Ensino Médio adequadas ao mercado de trabalho em até oito redes estaduais
 
 
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Instituto Votorantim apoiarão o fortalecimento de práticas e competências de gestão educacional e escolar no Ensino Fundamental em parceria com as Secretarias Municipais de Educação em 66 municípios brasileiros, assim como o desenvolvimento e oferta de formação técnica e profissional no itinerário do Novo Ensino Médio em parceria com oito Secretarias Estaduais. O projeto levará em conta critérios de vulnerabilidade na seleção de municípios e estados beneficiados, como IDH, Ideb e evasão escolar. A expectativa é de que 273 mil alunos sejam beneficiados pelo projeto.  
 
Totalizando R$ 47 milhões em investimentos, o projeto receberá apoio financeiro não reembolsável do BNDES de R$ 23,5 milhões, com recursos do Fundo Socioambiental, valor correspondente a 50% do investimento total. Os 50% restantes serão aportados pelas empresas que compõem o portfólio do Instituto Votorantim. 
 
O projeto se dará em dois eixos, sendo o primeiro, de duração de quatro anos, o da Parceria pela Valorização da Educação (PVE). A iniciativa, implementada há 14 anos pelo Instituto Votorantim, promove apoio à gestão e planejamento voltado a gestores das secretarias de educação, diretores escolares e coordenadores pedagógicos, bem como, a mobilização de pais, alunos e profissionais em prol da educação. Também contemplará atividades de diagnóstico, formação e mentoria customizadas a cada município, além do desenvolvimento de uma plataforma digital, que reunirá metodologias e conteúdos relevantes para ações de melhoria da gestão de redes municipais de ensino. 
 
Dos 66 municípios a serem atendidos no ciclo 2023-2026 do PVE, 33 serão selecionados por meio de chamada pública e os demais foram selecionados a partir de uma lista de indicação do Instituto Votorantim. Ambas as vias de seleção levam em conta aspectos relacionados à vulnerabilidade. Municípios urbanos e rurais entre 30 mil e 50 mil habitantes de todas as regiões do país serão apoiados. No total, 1.650 escolas deverão ser beneficiadas, com mais de dois mil gestores educacionais e escolares formados.  
 
O segundo eixo do projeto atuará por meio do Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio (PANEM), que tem como objetivo ampliar e qualificar a oferta dos itinerários técnicos e profissionais de forma alinhada às necessidades dos arranjos produtivos locais. O impacto esperado é o estímulo aos jovens quanto ao prosseguimento dos estudos e a inserção no mundo do trabalho de forma digna. 
 
O projeto promoverá uma articulação com Secretarias Estaduais de Educação e empresas locais para que sejam construídos e disponibilizados nas escolas públicas recursos que preparem os alunos para o exercício de profissões operacionais, técnicas e tecnológicas conforme previsto no Novo Ensino Médio. Haverá também a formação dos docentes nos currículos desenvolvidos, além de mentorias de apoio à elaboração de planos de aulas e implementação de laboratórios de práticas.   
 
Mediante chamada pública, serão selecionados até oito estados, sendo que em cada um destes serão definidos dois territórios de atuação. Estima-se que no total 96 unidades educacionais sejam apoiadas durante os três anos de atuação do projeto neste eixo, com cerca de 380 docentes capacitados e 8.640 jovens formados por ano. 

O Instituto Votorantim é um centro de inteligência aplicada que desenvolve soluções socioambientais que geram valor para a sociedade. Criado em 2002, desenvolveu-se como o núcleo de inteligência social da Votorantim S.A. e suas empresas investidas. Está à frente de ações em mais de cem municípios de todo o Brasil. Acesse www.institutovotorantim.org.br/ e saiba mais. 

"A educação é prioridade estratégica do BNDES e, ao longo dos últimos anos, diversas iniciativas vêm sendo implementadas pelo banco, buscando promover a elevação da qualidade da educação pública. As frentes de atuação do banco englobam desde melhorias na infraestrutura escolar, como é o caso das iniciativas saneamento e cisternas nas escolas, bem como ações estruturantes de tecnologia, capacitação e gestão, que beneficiarão diretamente cerca de 4 milhões de alunos. Para tanto a participação de parceiros como o Instituto Votorantim é essencial para a multiplicação de recursos e esforços, relata Bruno Aranha diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES
 
“A contribuição de instituições públicas e privadas para a educação é um tema urgente e da mais alta relevância para o combate às desigualdades de nosso país. Essa parceria com o BNDES nos permite ampliar o impacto no tema, que tem nosso compromisso desde o início da atuação do Instituto Votorantim. Fortalecer a gestão pública educacional garante a escalabilidade da iniciativa e efetividade das ações”, diz Cloves Carvalho, diretor presidente do Instituto Votorantim.
 
O BNDES e a educação – O BNDES atua como indutor de investimentos qualificados, articulador de parcerias e promotor de conhecimento sobre educação, percebida pelo Banco como fundamental para o desenvolvimento sustentável. Por isso, o tema se tornou uma prioridade estratégica para o BNDES, que tem como foco contribuir para a transformação da realidade da educação básica e promover a requalificação profissional priorizando atividades relacionadas a uma nova economia (neutra em carbono e intensiva em tecnologia). Com isso, contribui para que mais crianças e jovens tenham acesso a um ensino de qualidade e para a redução da pobreza, das desigualdades sociais e do desemprego, promovendo a inclusão produtiva e o empreendedorismo.