BNDES - Agência de Notícias

Sat Feb 23 20:43:16 UTC 2019 Sat Feb 23 20:43:16 UTC 2019

Por: Agência BNDES de Notícias

Fri Dec 21 20:46:19 UTC 2018 |CULTURA |SUDESTE

André Telles - Divulgação/BNDES
Dyogo Oliveira (BNDES) e Nísia Trindade (Fiocruz) assinaram o acordo em solenidade na sede do Banco, no Rio

Os presidentes do BNDES e da Fundação Oswaldo Cruz, Dyogo Oliveira e Nísia Trindade, assinaram nesta sexta-feira, 21, acordo de R$ 10,4 milhões para a restauração do patrimônio arquitetônico e requalificação do núcleo arquitetônico e histórico de Manguinhos, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Os recursos serão não reembolsáveis e passíveis de dedução fiscal pela Lei Rouanet.

A solenidade, ocorrida na sede do Banco, no Rio, também contou com representantes da Casa de Oswaldo Cruz e da Sociedade de Promoção da Casa de Oswaldo Cruz – SPCOC, que será a responsável pela execução das intervenções previstas no projeto. “A estratégia do BNDES com a preservação histórica não é apenas a de reconstrução física, mas sobretudo dar significação econômica e promover o desenvolvimento social”, explicou Dyogo.

O Núcleo Arquitetônico e Histórico de Manguinhos é formado pelo conjunto de edificações erguidas nas duas primeiras décadas do século XX: Pavilhão Mourisco, Pavilhão do Relógio, Cavalariça, Pavilhão do Quinino, Casa de Chá e Restaurante, além do Pombal. O projeto prevê o restauro da Cavalariça e do Pombal, com a implantação de museus em ambos os espaços, além de ações de educação patrimonial e capacitação profissional. Os demais prédios também sofrerão intervenções para aumentar o fluxo de visitação e oferta cultural. “Este acordo se soma ao esforço realizado pelos museus e pela comunidade científica para integrar a juventude da região, que é uma das mais carentes da cidade do Rio de Janeiro. Entendemos que essa é a sustentabilidade que o BNDES tanto busca”, comentou Nísia.

BNDES e Patrimônio Cultural - O BNDES atua há mais de 20 anos em prol do patrimônio cultural brasileiro, contribuindo com o restauro de mais de 200 monumentos e sítios históricos. Esta iniciativa está alinhada à estratégia de apoio do BNDES a ações de preservação de patrimônio cultural, pois conserva um importante monumento e fortalece a Fiocruz enquanto instituição científica, educacional e de saúde pública.

 

“A estratégia do BNDES com a preservação histórica não é apenas a de reconstrução física, mas sobretudo dar significação econômica e promover o desenvolvimento social” (Dyogo Oliveira)

 

Endowment - O contrato assinado com a FioCruz se alinha à estratégia de apoio do BNDES a projetos de preservação de patrimônio cultural. A iniciativa prevê, também, a estruturação de um fundo de endowment para fortalecer institucionalmente a Fiocruz e auxiliar na sua sustentabilidade financeira de longo prazo.

Fiocruz – Instituição federal de ciência e tecnologia vinculada ao Ministério da Saúde, a Fiocruz atua na geração de conhecimento, sendo uma referência na produção de vacinas, medicamentos, tratamentos e aprimoramento do sistema de saúde nacional.

Criada em 1900 – com o nome de Instituto Soroterápico Federal –, foi responsável, sob a liderança do bacteriologista Oswaldo Cruz, pela reforma sanitária que erradicou a epidemia de peste bubônica e a febre amarela do Rio de Janeiro.

Desde então, já com o nome de Fundação Oswaldo Cruz, fez descobertas importantes na área de saúde, como o primeiro isolamento do vírus do HIV na América Latina e o deciframento do genoma BCG, usado na vacina contra a tuberculose.

 

20181221_Assinatura_Fiocruz