Aviso: Utilizamos dados pessoais, cookies e tecnologias semelhantes de acordo com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

BNDES - Agência de Notícias

Wed Jan 19 23:30:49 CET 2022 Wed Jan 19 23:30:49 CET 2022

Por: Agência BNDES de Notícias

Publicação:10:00 20/12/2021 |INSTITUCIONAL |SUDESTE

Ultima atualização: 20:07 17/12/2021

André Telles/BNDES

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) comunica duas alterações em sua diretoria. Após 30 meses intensos de trabalho, dedicação e entregas relevantes à sociedade e à estrutura do Banco, deixarão o BNDES o diretor Petrônio Cançado e a diretora Angela Estellita Lins. Ambos deixam um legado representativo a ser continuado.

 

Cançado deu início à priorização da agenda socioambiental no banco. Sob seu comando, a Diretoria criou um departamento com foco em mapear ações ASG de grandes empresas brasileiras e adotou o modelo de matchfunding – iniciado com o Salvando Vidas, que já destinou mais de R$ 200 milhões para suportar vítimas de COVID, e foi replicado para outros setores, como o Floresta Viva (restauro de biomas) e o Resgatando a História (restauro de Patrimônio Histórico). Além disso, coordenou a elaboração do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac), a garantia ao crédito para PMEs responsável por salvar mais de 114 mil pequenas e médias empresas brasileiras da crise econômica provocada pela pandemia da Covid. Este programa contou com aporte de R$ 20 bilhões do Tesouro e possibilitou a liberação de mais de R$ 92 bilhões em crédito.

 

A Diretoria de Crédito também contribuiu para o desenvolvimento de importantes instrumentos financeiros, que elevam capacidade de investimentos de longo prazo em parceria com a iniciativa privada. São eles a criação de normativos que facilitam o financiamento a projetos sem necessidade de fiança bancária, a implementação de mecanismos para o BNDES criar fundos garantidores setoriais e a simplificação de regras para o banco participar da estruturação e emissão de debêntures, FIDCs e CRAs.

 

“Trabalhar no BNDES é motivo de muito orgulho e alegria. Agradeço ao time do banco pelo esforço e dedicação que resultaram em entregas significativas para a sociedade. Tenho a certeza de que estamos no caminho certo para realizações ainda maiores no futuro e guardarei para sempre a felicidade de ter participado desta história”.

 

A diretoria será assumida no próximo ano por Solange Vieira, funcionária de carreira do Banco. Solange é funcionária do BNDES desde 1993 e já atuou nas áreas de crédito, planejamento e financeira do Banco. Em sua carreira, atuou em diversos mercados regulados, tendo sido secretária de Previdência Complementar, presidente da ANAC e superintendente da SUSEP. Solange trabalhou em posições também no setor privado, onde foi diretora de Project Finance do ItaúBBA.

 

Sua experiência no setor de seguros e de project finance darão continuidade ao trabalho da equipe, que manterá a estratégia de ampliar e diversificar a utilização de instrumentos financeiros nos projetos de infraestrutura. O objetivo é buscar cada vez mais sinergias/parcerias com o setor privado nos financiamentos a grandes projetos que virão nos próximos anos, com relevante parcela gestada pela Fábrica de Projetos do Banco.

 

”Esperamos que o BNDES possa impulsionar cada vez mais o desenvolvimento da infraestrutura brasileira e assegurar o acesso a bens básicos como água potável, saneamento e energia a todos os brasileiros. Hoje, estimativas indicam que temos cerca de 35 milhões de pessoas sem água potável e 100 milhões que não têm acesso a esgoto.”

 

Nos últimos 30 meses, a Diretoria de Pessoas e Cultura trabalhou na transformação da área de RH do Banco. Sob a direção de Angela Estellita Lins, foram implementadas ferramentas que permitirão ao Banco conduzir processo de evolução cultural baseada no desenvolvimento dos funcionários. Angela criou uma série de iniciativas na frente de pessoas. São alguns exemplos as parcerias de treinamento com instituições como FGV, FIA e Coppead; requalificações voltadas para a agenda de sustentabilidade, de diversidade, para liderança, foco no cliente, entre outros.

 

“Trabalhamos na Diretoria de Pessoas e Cultura para fortalecer o maior ativo que temos: as pessoas. Queremos estimular e reforçar os comportamentos-chave que ajudarão o BNDES a ser um Banco cada vez mais ágil, eficiente e inovador, potencializando as entregas à sociedade. Temos como principal desafio desenvolver as pessoas para que nos próximos 70 anos o nosso BNDES continue evoluindo para transformar a vida de gerações, promovendo desenvolvimento sustentável, sempre em linha com o seu propósito, visão, missão, valores e princípios”, explica Angela Estellita Lins.

 

Em seu lugar, assumirá a diretoria o atual superintendente da área, Rodrigo Aquino, colaborador de carreira do banco, que terá o desafio de dar continuidade à agenda de evolução cultural do BNDES. Uma agenda que tem o objetivo de fazer o banco incorporar mecanismos modernos de gestão, permitindo que seus funcionários trabalhem cada dia mais voltados ao propósito da instituição, reduzindo as desigualdades sociais e promovendo o desenvolvimento sustentável do país.

 

À Angela e ao Petronio, o BNDES exalta e agradece suas contribuições no caminho de fortalecer o desenvolvimento sustentável brasileiro, desejando sucesso em suas novas jornadas. À Solange e ao Aquino parabeniza a conquista de suas novas funções, confiante de que seguirão liderando os times no trabalho em prol da melhoria de qualidade de vida de milhões de brasileiros. Os novos diretores indicados serão efetivados nas suas funções após deliberação pelo Conselho de Administração do BNDES e finalização dos trâmites usuais de governança, previstos para janeiro de 2022.